Médicos serão obrigados a cumprir carga horária de 8 horas nos PSF’s com atendimento de 24 consultas/dia e secretário reconhece que profissionais não cumpriam carga horária

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Reunião aconteceu ontem, dia 19, no Prédio do Barão de Suassuí, durante reunião da Federação das Associações de Bairros (Famocol)/CORREIO DE MINAS

Já está para aprovação final no Conselho Municipal de Saúde um novo sistema que prevê o cumprimento de jornada de trabalho de 40 horas semanais aos médicos nos 25 Programas de Saúde da Família em Lafaiete. A nova resolução começa a valer a partir do dia 20 de julho quando os atendimentos começarão a partir das 7:00 horas e término ás 12:00 horas. No turno da tarde, início às 14 horas e término às 17 horas, de segunda a sexta feira.  O novo fluxo prevê um atendimento de 24 pacientes ao dia através de consultadas agendadas, espontâneas e retorno. O atendimento será por ordem de chagada.

A intenção do novo sistema de agendamento é por fim a constantes reclamações de faltas de médicos nos PSF’ e estabelecer normas de controle de horário. “É vontade da administração de criar um fluxo de trabalho dando um novo modelo de atendimento médicos nos PSF’s. Nunca se cumpriu esta carga horária em Lafaiete e nosso esforço é para que isso comece a valer em breve. Esta será a postura da administração para regularizar os atendimentos nas unidades de saúde, levando mais conforto aos pacientes”, antecipou o Secretário municipal de Saúde, Alessandro Pereira.

Sua fala aconteceu ontem, dia 19, no Prédio do Barão de Suassuí, durante reunião da Federação das Associações de Bairros (Famocol). O secretário exortou que os médicos não cumprirem a carga horária podem ter o ponto cortado e até mesmo serem demitidos. “Será criada uma agenda de atendimentos programados onde os profissionais vão cumprir a carga horária com o controle e acompanhamento da secretaria de saúde”, explicou Alessandro que foi cobrado pelo representante do Conselho de Saúde, Cláudio Maurício.

A Promotora Daniele Vignolle, curada da saúde, elogiou a iniciativa o conselho e da prefeitura. “Até que se tentou este procedimento na gestão anterior, mas agora com este controle diário de trabalho o atendimento tende a se organizar”, frisou a promotora.

Para cumprir a resolução será afixada em todos os PSF’s relação de médicos e carga horária a ser cumprida. O novo fluxo de agendamento de consultas nos PSF’s será amplamente divulgado nos bairros para que a própria população acompanhe e fiscalize a sua execução.

Ao cobrar carga horária dos médicos, a prefeitura pretende diminuir o fluxo no pronto socorro e melhorar o atendimento primário nos bairros. O secretário explicou que nos últimos anos houve um aumento expressivo de usuários da rede privada que migraram para o setor público na casa de 20% em Lafaiete. Calcula-se que 70% dos pacientes que procuram o pronto socorro poderiam ser atendidos nos PSF’s, melhorando a resolutividade das unidades de saúde.

Ponto biométrico e processo seletivo

Médicos serão obrigados a cumprir carga horária de 8 horas nos PSF’s com atendimento de 24 consultas/dia e secretário reconhece que profissionais não cumpriam carga horária/CORREIO DE MINAS

O secretário de saúde adiantou que a prefeitura já abriu licitação para a implantação de pontos biométricos nas unidades de saúde em Lafaiete na tentativa de acompanhar o cumprimento de carga horária dos médicos e demais profissionais. Para ampliar o quadro de profissionais a prefeitura abriu processo seletivo para contratação de novos médicos para os PSF’s. A intenção é por fim a falta de médicos em período de férias dos profissionais.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *