Povoado de Catauá, Lagoa Dourada, recebe visita dos Andarilhos Queluzianos

30

LAÉRCIO REZENDE AMARAL – ANDARILHO QUELUZIANO

Sábado, 22 de setembro. Início da primavera. Tempo bom, temperatura amena, apesar do céu limpo. Assim, às 07h00, nos encontramos para partir em direção à Lagoa Dourada de onde saímos para uma caminhada de 14,4 Km até o povoado de Catauá, pertencente a mesma cidade.

LAGOA DOURADA

É uma cidade histórica histórica localizada no Campo das Vertentes. A cidade participa do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes e tem um enorme potencial turístico rural. Dentre as propriedades rurais mais conhecidas estão a Fazenda Engenho Grande dos Cataguases, Fazenda da Pedra, Fazenda do Mello, Fazenda Capão Seco, Fazenda Boa Esperança, Fazenda do Mendanha, Fazenda do Monte Alegre e as duas com o nome de Boa Vista, Fazenda do Val.

A Fazenda Engenho Grande dos Cataguases é muito famosa por seu grande acervo de objetos dos séculos XVIII e XIX. Seu primeiro proprietário foi o Coronel Eduardo José de Rezende que iniciou ali a desenvolveu a raça do jumento da raça pêga, famosos por serem muito dóceis e resistentes. Nesta fazenda, Dom Pedro II hospedou-se quando passou pela última vez na região.

Lagoa Dourada é a maior produtora leiteira daquela região e um forte produtora de horti-frutíferos do estado. Destaca-se também na suinocultura, produção de grãos e produção de carvão vegetal. A comunidade também se destaca na produção de vinhos, licores e os famosos rocamboles. Produtos artesanais elaborados com palha, linhagem, folhas de bananeira e madeira também fazem parte da economia local. A cidade é grande produtora de móveis com mercado já direcionado até para a exportação.

Na última semana de julho, a cidade promove a Exposição Agropecuária de Lagoa Dourada, com famosos rodeios, torneios leiteiros, concursos de marchas e, logicamente, grandes apresentações de cantores sertanejos.

A CAMINHADA

O grupo, com 64 integrantes, se reuniu em Lagoa Dourada e iniciou a caminhada, em estrada de terra por volta de 09h30. Foram, em média, gastos 150 minutos para percorrer toda esta distância. Antes do início da caminhada, o grupo se fartou com vários quilos de banana. Esta tem sido uma boa estratégia para os caminhantes. Banana é um bom alimento, rico em fibras e muita vitamina.

Foi uma caminhada prazerosa pois a região é uma das mais belas que já percorremos. Apesar das imensas áreas aradas ou plantadas, restaram ainda grandes áreas de mata nativa o que proporciona um clima agradável na região e fomos beneficiados por muita sombra de árvores reduzindo nosso desgaste físico. Para suprir a necessidade de água mineral aos caminhantes, o grupo contou com o apoio dos amigos Guy e Nonato com seus jeeps TR4 e do Rocyr com seu Cruze. Foram consumidos 90 garrafas de água mineral durante a caminhada. A natureza local nos encantou com sua grande variedade de plantas e aves além de riachos e lagoas. O turismo na região deve ser intenso em razão desta beleza natural além das várias fazendas seculares que ostentam peças genuínas da época.

A CONFRATERNIZAÇÃO

Chegando em Catauá, fomos direto ao restaurante do Binha onde fomos recebidos pela sua equipe. Entrando no restaurante, outra tradição do grupo é a farta distribuição de frutas como melancia, abacaxi, melão. São frutas essências para uma boa hidratação do corpo que consumiu muito líquido ao longo da extensa caminhada. O restaurante foi muito elogiado por todos devido ao aconchego e ao excelente atendimento do proprietário e sua equipe de familiares. Comida mineira e salgados variados, tudo muito gostoso e bem preparado, estavam dispostos na rampa de onde pratos e mais pratos saíam cheios para saciar a fome dos andarilhos. Bebidas, refrigerantes, água mineral, tudo muito bem geladinho, eram solicitadas a todo momento. Boa conversa e piadas alegravam muito o ambiente que também era disputado por uma boa música de fundo. Dava muito prazer ver os amigos se confraternizando a todo momento com apertos de mãos e abraços, afinal, trinta dias aproximados, separavam um dos outros.

Houve pausa na confraternização para a tradicional homenagem aos aniversariantes do mês: Omar Xisto Rosa (Mazinho), Tarcísio Egídio Carvalho, Rinaldi Dias de Souza, Antônio Noronha de Almeida, Raimundo Nonato Nascimento, José Rezende Chaves (Risada), José Augusto Ferreira (Guto), Altair Lobo Neiva, José Gomes Vicente, José Celso Passos, Antônio Andrioni (Bidula), Pedro Andrade e o aniversariante do dia Paulo Roberto Oliveira (Garrincha). Em seguida, outra pausa para a entrega dos donativos (roupas e calçados) para a entidade beneficente local Conferência Nossa Senhora da Paz, fundada em 1957 e representada pelo senhor Nivaldo.

A continuidade da confraternização foi estendida até 17h00 quando foi encerrada para que nos colocássemos de volta aos nossos lares onde teríamos muita conversa com nossos familiares para relatar cada detalhe deste evento maravilhoso e inesquecível.

Agora, com o espírito mais fortalecido pelas recargas emocionais fornecidas pelo encontro com os amigos e as lembranças daquela bela região, só nos resta aguardar, ansiosos, pela nossa próxima caminhada prevista para o dia 20 de outubro.

Até o nosso próximo encontro, amigos.