21 de junho de 2024 18:05

Apesar de Bolsonaro falar R$300, Guedes afirmar que valor do Auxílio segue indefinido

As próximas parcelas do Auxílio Emergencial seguem indefinidas, segundo informou o ministro da Economia, Paulo Guedes. Além do auxílio, o governo busca alternativas de obtenção de recursos para pagar o novo Bolsa Família, que agora será chamado de Renda Brasil.

No última sexta (28), Guedes comentou da indefinição: A gente sabe que R$ 600 é muito, R$ 200 é pouco. Estamos tentando acertar os números. Mas está tudo claro, tudo tranquilo. Eu sempre repito que o timing quem dá é a política. Nós temos simulações todas preparadas. Agora, o timing do nível do auxílio emergencial ou da Renda Brasil, são decisões políticas”, afirmou.

Com essa indefinição, os beneficiários do Bolsa Família que estão recebendo o auxílio voltaram a receber o valor normal do programa: R$ 190, em média.

De inicio, a ideia da equipe econômica era prorrogar o auxílio com parcelas até chegar aos R$ 300. Com isso, durante esse tempo, seria negociado com o Congresso Nacional o novo programa Renda Brasil. Ou seja, no intervalo que o pagamento da prorrogação for realizado, o governo faria os ajustes para colocar o novo programa em ação.

Porém, Guedes diz que tudo isso deve ser feito com base no orçamento do governo, respeitando o teto de gastos, que impedem que as despesas públicas aumentem acima da inflação.

Até a próxima semana, o presidente Bolsonaro deve apresentar o Renda Brasil para os líderes da base do governo.

“auxílio emergencial não é aposentaria”, disse Bolsonaro

Bolsonaro fez o comentário em tom de reclamação. Isto, frente à possível redução no valor do benefício. Além disso, o presidente disse que o valor de R$ 600 tem um custo muito alto. De acordo com ele, por mais que a população ainda considere os R$ 600 pouco.

“Nós colocamos auxílio emergencial por três meses, R$ 600. Tem cara que reclama que é pouco.”, disse Bolsonaro. “Agora, custa para todo mundo R$ 50 bilhões por mês. A gente não tem como se endividar mais. Prorrogamos por mais dois, R$ 250 bilhões.”, continuou o presidente.

“A gente pretende prorrogar até o final do ano. No entanto, com uma importância menor do que R$ 600. Tem cara já reclamando, o tempo todo assim.”, completou Bolsonaro. (Brasil 123)

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade