21 de julho de 2024 16:07

Em um ano de convívio com o vírus, Lafaiete vive o drama do pior momento da doença

Era 21 de março de 202, quando a pandemia iniciava em Lafaiete e região. Exatamente há um ano a prefeitura, em meio ao clima de medo e apreensão, após sucessivas reuniões, editou o primeiro decreto municipal, como medidas preventiva, suspendendo o funcionamento do comércio de Lafaiete até 31 de março, podendo ser prorrogado. A suspensão aconteceu a partir de 21 de março de 2020, mas vigorou por 5 meses.
Somente serviços essenciais como supermercados, farmácias, padarias, açougues, postos de gasolinas, lojas de materiais médico e hospitalares, laboratórios, clínicas médicas, podiam funcionar.
Os demais comércios foram fechados ou poderiam atender através de tele-entregas. A decisão foi tomada conjuntamente entre a gestões das 3 principais cidades do Alto Paraopeba.


Primeiro caso
O primeiro caso de coronavírus foi confirmado em uma quinta-feira (16/04/2020) em Conselheiro Lafaiete.
O paciente foi um homem de 87 anos e ficou na UTI. O Idoso ficou internado desde 1º de abril de 2020, mas veio a óbito meses depois.

Cenário

Mas há um drama por trás dos números. Lafaiete vive o pior momento da pandemia desde março de 2020 quando a doença instalou na
cidade.

Desde então, a pandemia vem evoluindo e contaminando os lafaeitenses. A cidade ultrapassou a marca de 20 mil notificados, o que representa 15% da população.

Os números de 2021 expressam a evolução da doença. Somente nos 3 primeiros meses, foram contabilizados 4.410 novos casos, o que representa um aumento de mais de 60% do total de confirmados (7.074).

Nos óbitos, Lafaiete registrou neste ano 61 mortes, o que corresponde há mais de 70% de aumento. Dos 27 leitos de UTI, todos estão esgotados há vários dias.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade