13 de junho de 2024 15:11

Suposta demora no atendimento do folclórico “Sô Manuel” gera revolta e Câmara exige explicações

Ainda repercute em Lafaiete a morte do senhor Emanuel Narciso dos Santos, aos 94 anos, ocorrida na quinta-feira (30), em Lafaiete. “Sô Manuel, figura folclórica popularmente conhecido por andar pelas ruas com uma caneta à mão dizendo “ladrão,,, ladrão”.

Seu falecimento repercutiu na cidade pelo simbolismo que ele representava no imaginário popular, tanto que dias antes, o escritor Fernando Resende o imortalizou em sua obra de estreia “Conselheiro Lafaiete, coisa de doido”.

Após a morte do “Sô Manuel”, foram ventiladas notícias nas redes sociais de suposta demora no seu atendimento no dia de sua morte. O idoso fora encaminhado ao Hospital e Maternidade São José, como também a policlínica municipal, pelo SAMU, com parada cardiorrespiratória.

Escritor Fernando Resende prestou a última homenagem a “Sô Manuel”/CORREIO DE MINAS

Nesta semana a Câmara cobrou explicações sobre as causas da morte do “Sô Manuel” e as denúncias de suposta recusa no seu atendimento.

Leia requerimento:

“Os Vereadores infra-assinado, na forma regimental, ouvida a Casa, requerem de Vossa Excelência, que seja encaminhado expediente ao Senhor Prefeito Municipal e à Secretária Municipal de Saúde, bem como ao Provedor do Hospital e Maternidade São José, para que prestem esclarecimentos sobre as negativas de atendimento ao paciente Emanuel Narciso dos Santos, ocorrida na madrugada do dia 30 de maio de 2021, que fora socorrido pelo SAMU após uma parada cardiorrespiratória e teve seu atendimento negado tanto pelo Hospital e Maternidade São José, quanto pela Policlínica Municipal, vindo a óbito em decorrência da referida parada cardiorrespiratória”.

Leia mais:

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade