21 de julho de 2024 16:21

Procon de Lafaiete orienta sobre abusos provocados por escassez de produtos e vereador pede que a população exija nota fiscal

A greve dos motoristas, que começou na segunda-feira desta semana, 21 de maio, afetou o transporte, fornecimento e abastecimento de vários produtos ao comércio de todo o país, inclusive em Conselheiro Lafaiete. Diante da iniciativa dos motoristas, o Procon Municipal orienta sobre como se proceder em caso de prática abusiva por parte de comerciantes.

O Procon Municipal informa que os estabelecimentos comerciais não podem se aproveitar da escassez de determinado produto por causa da referida greve para aumentarem os preços dos produtos. De acordo com o Código de Proteção e Defesa do Consumidor, isso configura prática abusiva.

O órgão alerta que os consumidores devem ficar atentos, exigirem a Nota Fiscal e procurarem o Procon, caso presenciem essa situação. Os consumidores que se sentirem lesados ou necessitarem de algum esclarecimento devem comparecer ao Procon Municipal de Conselheiro Lafaiete que está situado na rua Carijos, número 23, Centro (atrás da Escola Estadual Domingos Bebiano) O funcionamento é de segunda a sexta-feira, de 10 às 16 horas. O telefone de contato é o (31) 3769 9010.

“Exijam nota fiscal” alerta vereador Sandro José

“Exijam nota fiscal” alerta vereador Sandro José/CORREIO DE MINAS

Na Tribuna da Câmara, o vereador Sandro José (PSDB) exortou aos empresários sobre supostos abusos nos preços, configurando crime a economia popular. Ele pediu aos lafaietenses que não comprem produtos quando um comércio aumentar valor de maneira exorbitante, lesando os consumidores. “Há aproveitadores e as pessoas não deve adquirir os produtos com preços elevando quando os comerciantes aproveitam da conjuntura para explorar os consumidores. Exijam nota fiscal ou mesmo chamem a Polícia”, aconselhou.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade