19 de julho de 2024 02:58

“Não nos matem, nos respeitem, não somos propriedade de ninguém”, desabafa Vereadora Damires, indignada com o feminicídio em Lafaiete

Quinta-feira (25) foi marcado por tragédias e uma delas foi quando um homem cometeu um duplo homicídio e atentou contra sua vida, matando ex-esposa e filho.
O crime cruel abalou Lafaiete e ecoou na sessão da Câmara desta quinta-feira (25), quando a pedido da Vereadora Damires Rinarlly (PV) os vereadores fizeram um minuto de silêncio.

Em um discurso afirmativo, a parlamentar desabafou sua indignação. “Hoje é mais um dia triste e há cerca de um mês eu usei esta tribuna para falar do feminicídio em Capela Nova. Agora veio mais esta tragédia. É um absurdo. Não somente tirou a vida mas desfez uma família”, pontou.
“É muito triste ter que vir aqui e protestar pela vida perdida de uma mulher. Nós temos direito a vida. Está na hora de superar esta sociedade patriarcal e temos que descontruir esta cultura e lutar pela igualdade de gênero”, salientou a vereadora.
“No próximo dia 8 de março comemoramos o dia internacional da mulher. Não dê flores, mas respeitem as mulheres. O dia é de luta e lembra mulheres mortas e luta pela igualdade. Não nos matem, nos respeitem, não somos propriedade de ninguém”, desabafou Damires.

A Vereadora Damires Rinarlly mostrou indignação em mais um feminicídio em Conselheiro Lafaiete / ARQUIVO


O caso
A cada momentos surgem mais detalhes da tragédia familiar que abalou Conselheiro Lafaiete. Após acionamento, as viaturas do turno deslocaram até a Rua Duque de Caxias, perto do n º 880, onde segundo informações preliminares uma das vítimas não havia comparecido ao serviço na data de hoje, sendo que fora realizado contatos telefônicos e ela não atendia.
Segundo a PM, a síndica do prédio escutou barulhos no interior da edificação por volta das 8:30, entretanto acreditou tratar-se de uma reforma do apartamento. Na rua encontrava-se estacionado o veículo do autor, o qual é ex-marido da vítima, de nome de Valdivino 50 anos. Diante da circunstância e pela experiência policial, as equipes bateram diversas vezes na porta do imóvel, entretanto sem êxito.
Diante da situação a porta do imóvel foi arrombada e quando os militares entraram no imóvel visualizaram 2 corpos ao solo do banheiro, a ex-esposa Gleide, de 47 anos, e o filho Artur, de 19, ambos sem sinais vitais, com orifícios de entrada causados por arma de fogo.
Ainda a PM encontrou uma poça de sangue e um corpo de Valdivino caído em uma cama em decúbito dorsal, com um revólver calibre 38, com todos os indicativos de autoextermínio.
No local do crime havia várias cápsulas caídas ao solo. Perícia realizou os trabalhos de praxe, corpos removidos pela funerária.

Gleide trabalhava em uma loja de eletrodomésticos no centro de Lafaiete/REPRODUÇÃO

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade