Ação rápida e perspicaz de funcionário evita assalto aos Correios de Itaverava e facilita prisão de 2 menores

7

Menores são apreendidos e agência já foi assaltada pela 4ª vez

Nesta manhã, dia 21, mas uma agência dos Correios foi alvo de bandidos em Itaverava. A Polícia Militar foi acionada pela central de monitoramento  informando que o botão de pânico do local havia sido acionado. Uma viatura da polícia e percebeu certo nervosismo por parte de um dos atendentes.

Morto roubada e clonada usada na tentativa de assalto

Devido ao grande número de pessoas na agência, foi solicitado apoio a outros militares que, juntos cercaram as entradas e saídas da agência e iniciaram verbalização com os suspeitos. Foi avistado um indivíduo na área próxima a um cofre e, de imediato, realizado busca pessoal, localizando uma arma airsoft (simulacro), semelhante a uma pistola 380 em sua cintura. Um segundo indivíduo, que também se encontrava no local, ao ser revistado, foi localizado em sua cintura um revólver calibre 38 com 6 munições intactas e numeração de série raspada, ainda em posse deste indivíduo estava uma chave de motocicleta. Ao ser interpelado pelos policiais o cidadão indicou onde estava estacionado o veículo e após consulta foi verificado que se tratava de uma CG 150, cor prata. Em consulta ao Sistema Integrado de Defesa Social constatou que a placa seria de uma XRE preta emplacada no município do Rio de Janeiro, com sinalização de queixa furto.

A motocicleta CG utilizada estava com numeração de chassi e motor raspados. Os autores confirmaram que realizaram o roubo da motocicleta, dias antes na cidade de Canaã. Os dois autores da tentativa de roubo, ambos menores de idade, foram apreendidos, a arma de fogo, simulacro e munições foram apreendidas e a motocicleta apreendida  para o pátio credenciado.

Em entrevista com o atendente da agência, ele disse que um dos autores chegou e anunciou o assalto em alto e bom tom, mostrando uma arma de fogo e ordenando que fosse aberta a porta que dá acesso ao cofre. O outro autor ficou sentado nas cadeiras de atendimento. O atendente disse que informou aos autores que demoraria cerca de 57 minutos a abertura do cofre, tendo os autores demonstrado que aguardariam. Em determinado momento o atendente conseguiu acionar o botão de segurança o que gerou toda a ação policial.