Andarilhos Queluizanos: a conquista de Copacabana

24
Caminhada do calçadão de Copacabana
Caminhada do calçadão de Copacabana

O sonho

Animação total na saída de Lafaiete
Animação total na saída de Lafaiete

Esta ninguém esperava! A ideia surgiu numa conversa informal numa confraternização de caminhada acontecida num sítio em Caranaíba, do amigo andarilho João Cláudio. Naquela ocasião parecia um sonho. A ideia surgiu sem muita pretensão e ninguém, a princípio, deu nada por ela. Simplesmente fazer uma caminhada no Rio de Janeiro. Parecia sem sentido, pois o grupo tem, como tradição, fazer apenas caminhadas em território mineiro, em localidades próximas a Lafaiete e apenas em estradas rurais. Mas, em julho deste ano, a ideia foi divulgada no whatsapp do grupo e teve uma aceitação surpreendente. Em apenas dois dias, mais de 50 caminhantes aderiram ao projeto.

O planejamento

Silvestre bate um bom papo com o poeta
Silvestre bate um bom papo com o poeta

Partiu-se então para o planejamento desta caminhada. Com bastante antecedência, uma comissão foi ao Rio onde definiu o trajeto a ser cumprido pelos caminhantes, local para estacionamento do ônibus fretado e escolha do restaurante, onde preços de bebidas e comidas foram combinados. Esta comissão teve um indispensável e grandioso apoio do Major reformado do exército, Júlio, cunhado do também Andarilho Queluziano, José Luiz (Lourinho). Assim, desta forma, os participantes inscritos passaram quase dois meses aguardando ansiosamente pelo evento.

E chegou o grande dia

Obras de arte em areia encontradas em toda a orla
Obras de arte em areia encontradas em toda a orla

Dia 22 de outubro de 2016. O ônibus, da empresa Millenium partia de Lafaiete por volta das 23h30 do dia 21/10 e, com uma parada no Graal de Juiz de Fora, chegou a Copacabana exatamente às 06h30 do dia seguinte. O motorista foi o Sr. Amarildo, proprietário do ônibus, muito competente e atencioso. A primeira atividade foi fazer um belo desjejum em uma padaria próxima. Muitas fotos ao lado das estátuas de Dorival Caymmi e Carlos Drumond de Andrade e, mais tarde, de Clarice Lispector, foram feitas. Após a foto oficial, em frente à praia e ao Pão de Açúcar, o grupo iniciou a caminhada na orla de Copacabana, percorrendo um trajeto de 12 km aproximadamente – ida e volta – entre o Forte de Copacabana e a Pedra do Leme. Alguns caminhantes ainda estenderam o trajeto da caminhada, indo no sentido contrário, chegando a atingir as praias do Arpoador e de Ipanema. O clima, nesta manhã, foi bom para quem caminhava, mas não para quem gostaria de curtir uma praia. Estava nublado, o mar revolto e até um pouco de garoa chegou a cair. Mas houve integrantes do grupo que não dispensaram um mergulho no mar. A alegria do grupo era contagiante. Um belo sonho estava sendo realizado: caminhar na cidade maravilhosa.

 

A confraternização

Dorival Caymmi recebe o carinho dos andarilhos
Dorival Caymmi recebe o carinho dos andarilhos

Como os andarilhos retornaram da caminhada um pouco antes do horário previsto para o almoço, a confraternização foi iniciada na barraca do Posto 6 da praia de Copacabana, onde muitos chopps e água de coco foram consumidos pelos ávidos aventureiros. Alguns decidiram fazer turismo pelo local indo ao Forte de Copacabana, que mantém a história viva em seus museus e arsenais de defesa do território, ou passeando pela orla marítima. Como o ônibus ficou o tempo todo estacionado em frente ao Restaurante Imperator, o grupo teve muita facilidade para acesso aos seus objetos pessoais, servindo de ponto de apoio para os andarilhos. O grupo foi muito recebido no restaurante, pelo gerente geral Sr. José Ribeiro, tendo sido servida uma boa e gostosa comida, regada a 100 litros de chopp e ainda algumas cervejas extras. Com a presença dos caminhantes, o ambiente local se transformou. O restaurante parecia ter se transformado num ponto de encontro de amigos, que, muito alegres, conversavam muito, externando, cada um, o seu sentimento por estar alí participando desta grande aventura. Durante o almoço foi comemorado o aniversário do Presidente Mário Lúcio Caetano, que feliz, agradeceu as felicitações e a oportunidade de comemorar a data junto ao grupo e, principalmente, ao lado de seus filhos, também andarilhos, Marco Aurélio e Juninho. Comemorações de outros aniversariantes do mês também foram realizadas.

O retorno

O poeta cercado pelos alegres andarilhos
O poeta cercado pelos alegres andarilhos

O tempo transcorria normalmente e a vontade de todos era que o mesmo passasse o mais lento possível para retardar o momento de partida. Mas este momento chegou e, por volta de 17h30, todos se acomodaram no ônibus para o retorno a Conselheiro Lafaiete, ansiosos por contar para seus familiares e amigos as emoções de terem participado desta grande caminhada na cidade maravilhosa. A chegada cumpriu na madrugada de domingo, por volta de 00h30.

Divisor de águas

Em frente ao famoso Copacabana Palace
Em frente ao famoso Copacabana Palace

É um sentimento e opinião unânimes que esta caminhada foi um divisor de águas no calendário do grupo Andarilhos Queluzianos. Ela foi, com toda certeza a base para novos e audaciosos projetos. Muitos já falam em incluí-la no calendário anual dos Andarilhos. Ano que vem tem mais. Aguardem!

Laércio Rezende Amaral e José Silvestre Vieira – Andarilhos Queluzianos