Anjos de Patas – Humanização animal!

15

Hoje convido Breno Sousa, profissional em comportamento animal a falar sobre humanização animal, um assunto um pouco polêmico, diria, mas um assunto necessário, uma informação e aprendizado importantíssimos para a vida entre tutor e animal. Visto que queremos o seu bem estar, e o seu bem estar é se sentir bem de acordo com suas necessidades e origem.

Canis lupus familiares

                                          Canis lupus familiares, mais conhecido como cão doméstico.

Nossos melhores amigos estão entre nós há milhares de anos. Os cães que foram trazidos com o propósito de ajudar o homem na lida do campo se tornou nos tempos atuais um membro de muita importância dentro das famílias, independente de raça, porte ou quantidade; uma casa com um cachorro é uma casa mais feliz.

Essa proximidade tornou homem e cão muito íntimos, o que de um ponto de vista lógico, deixou-os menos naturais do que um dia foram. Por mais domesticado que o cão seja, ele ainda mantém em seu interior a necessidade de expressar suas origens.

Muitas vezes, nós tutores não os deixamos agirem ou viverem pelo menos, com o mínimo necessário para serem de certa forma, livres de espírito, livres por sua natureza. A humanização é um hábito muito comum nos dias de hoje e se apresenta de diversas formas, desde a substituição de filhos por cães, aos excessos de superproteção. A grande questão da inversão de valores tem efeito sobre o comportamento dos cães quando damos questões para eles que não fazem parte da sua natureza, o resultado é o stress, hiperatividade, ansiedade entre outros. Esses resultados todos serão negativos não somente em questões comportamentais, mas também de saúde. O fato de tratar um cão como um ser humano é desrespeitoso com ele, assim como nunca devemos tratar um ser humano como um cão. Essa é uma frase um tanto clichê, mas o mundo atual se tornou um grande clichê. A importância de se tratar cães como cães não significa que eles não são felizes com o que têm, ou se importam com o pouco que lhes é oferecido, mas sim, do que eles realmente precisam.

No conceito das leis das cinco liberdades que tem relação com o bem estar animal, diz o seguinte:

  1. Ser livre de medo e estresse.
  2. Ser livre de fome e sede.
  3. Ser livre de desconfortos.
  4. Ser livre de dor e doenças.
  5. Ter liberdade de expressar seu comportamento ambiental.

A quinta lei diz que eles têm a liberdade de expressar seu comportamento natural, mas o que oferecemos a eles para que realmente tenham essa liberdade

Cães não são filhos, bebês, ou “ser humaninho”. Cães são simplesmente cães.

A necessidade de humanizá-los é totalmente humana, nossa busca pelo amor recíproco impede que eles sejam eles próprios deixando a eles o reflexo de nossas buscas. E sabendo que tal comportamento tem um saldo negativo para nossos amigos, deixo a pergunta:

Quem é o melhor amigo de quem?

Contato Breno Sousa – Os Babacão 9 8554-8631.

Adoção conjunta!

Confira as fotos na galeria:

[Best_Wordpress_Gallery id=”117″ gal_title=”Ully 22/06/2018″]

Por: Ully Daniely