Ao custo de 1,5 milhão, obras propõem por fim ao mau cheiro da ETE Bananeiras

14

A Copasa encaminhou uma comunicação externa informando a conclusão das obras de tratamento e mitigação do odor gerado pela operação da Estação de Tratamento de Esgoto do Rio Bananeiras. O informe foi direcionado à 5ª Promotoria de Justiça da Comarca de Conselheiro Lafaiete.

Ao custo de 1,5 milhão, obras propõe por fim ao mau cheiro da ETE Bananeiras / REPRODUÇÃO

No documento, a concessionária afirma que, com a medida, cumpre, no devido prazo, o acordo assinado em março de 2018 junto à Promotoria, segundo o qual a empresa tinha até 31 de janeiro para mitigar o odor. As fotos do sistema de controle do odor, que já está em funcionamento, também foram encaminhadas à Promotoria.

Entenda o caso
Depois de 10 anos de martírio e sofrimento a que submeteu milhares de moradores da região da Barreira, a Copasa, após um acordo judicial firmado com Ministério Público, contratou uma empresa para executar as obras dos sistemas de tratamento de odores da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Bananeiras, como também do Vetura Luiz.
O contrato previa que a Copasa teria até 30 de janeiro de 2020 para pôr fim ao problema através de obras de mitigação e tratamento com implantação de um sistema de controle do mau cheiro. A empresa responsável pela execução do serviço é a Construtora Vale do Paraopeba, de Brumadinho. O valor do investimento da Copasa gira em torno de R$1,5 milhão.