Aos 100 anos, Entre Rios e região se despedem de Dona Zizinha, mãe do ex prefeito Padre Rogério

30
Dona Zizinha deixa exemplo para as futuras gerações/REPRODUÇÃO
Dona Zizinha deixa exemplo para as futuras gerações/REPRODUÇÃO

No dia em que Entre Rios de Minas, completa exatamente 306 anos de fundação, a cidade perde um de seus símbolos. Hoje (20), era por volta das 1:00 hora, quando Maria Pereira de Oliveira, mais conhecida como Dona Zizinha deixou a convivência humana para abrigar sua alma no céu. Ela estava internada desde terça-feira no Hospital Cassiano Campolina, em Entre Rios, mas não resistiu e faleceu aos 100 anos completados no dia 2 de maio.

Ela deixou um prole abundante de 13 filhos, desde 2 já falecidos (Frei Toninho e Maria Helena), 17 netos e 9 bisnetos. Mulher guerreira, obstinada, doce, de fé, determinada, fiel, generosa, humilde, caridosa e tantos predicados pelos quais se destacou com uma a vida dedicada a família, exemplo de mãe, mulher e cidadã,

Dona Zizinha, nascida na Fazenda Paraopeba, na divisa de Lafaiete e São Brás, é mãe do Padre Rogério, Pároco da Igreja Nossa Senhora da Luz, em Lafaiete, e ex-prefeito de Ouro Branco, madrinha e prima do Prefeito de São Brás do Suaçuí, Elias Ribeiro, e tia do ex prefeito de São Brás do Suaçuí e atual Secretário Muncipal de Educação da Prefeitura de Lafaiete, Moisés Matias.

O velório ocorre na capela do Hospital Cassiano Campolina e a partir das 12:00 horas na Igreja Matriz  Nossa Senhora das Brotas. Às 16:00 horas acontece a missa de corpo presente, celebrada pelo seu filho Padre Rogério e demais padres da região. Um anjo partiu para o céu…

Nota

A arquidiocese de Mariana divulgou nota de pesar. “Dona Zizinha era uma centenária de amor e fé. Exemplo de discípula e missionária. A Arquidiocese manifesta o seu pesar ao padre Rogério e familiares. “A fé na ressurreição de Cristo, que nos garante a certeza de nossa ressurreição, os reconforte neste momento de dor”.”

         Encontros e despedidas (Milton Nascimento e Fernando Brant)

Mande noticias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço, venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto é poder partir sem ter planos
melhor ainda é poder voltar quando quero
Todoa os dias é um vai e vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim chegar partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega é o mesmo trem da partida
A hora do encontro é tamém despedida
A plataforma dessa estação
é a vida desse meu lugar
é a vida desse meu lugar
é a vida
A hora do encontro é também depedida
A plataforma desta estação é a cida deste meu lugar
é a vida desse meu lugar
é a vida