Atraso no repasse de verba coloca em risco o trabalho social da clínica terapêutica Bom Pastor e dívida com fornecedores chega a mais de R$113 mil

14

logo

Inaugurada há 17 anos Comunidade Terapêutica Bom Pastor (CTBP), situada às margens da MG 129, na divisa entre Ouro Branco e Lafaiete, corre risco de fechar suas portas.

Isso porque os atrasos no repasse dos recursos do governo estadual dos convênios desde o 2º semestre do ano passado e o encerramento do contrato de parceria com a Secretaria Estadual de Saúde/ Programa Cartão Aliança pela Vida em junho de 2015, sem o pagamento do valor devido pode colocar em risco uma das entidades mais importantes da região. Hoje a dívida atual com fornecedores no montante de R$ 113.000,00.

clinica-bom-pastor-dentro-1
Abrigados da clínica desenvolvem atividades ligadas lúdicas e de trabalho; em 17 anos mais de 2,5 já foram atendidos

Nos 17 anos de funcionamento já atendeu a 2500 pessoas sendo acolhidas 1050 dependentes químicos para abrigamento.

Somente até outubro deste ano, a clínica atendeu 70 pessoas para abrigamento temporário, 350 atendimentos familiares e 200 atendimentos ambulatoriais.

Manutenção a entidade

Cerca de 86% da receita é obtida através de convênios com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – SENAD, Subsecretaria de Políticas sobre Drogas, através da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, Prefeitura Municipal de Ouro Branco e  parceria em projetos sociais com a Gerdau.

Dívida

clinica-bom-pastor-dentro-2
Clínica é uma referência em Minas e na região no tratamento de dependentes químicos

Os atrasos totais dos convênios com o Estado chegam ao valor de R$200 mil. Hoje a entidade vive com ajuda de subvenções. Hoje 14% da receita é  feita através doações espontâneas através da conta da Cemig, boletos tanto pessoas físicas, jurídicas e paróquias.

Quem quiser ajudar a clínica pode entrar em contato para doações: (31) 3742-1445

Dom Luciano foi um dos fundadores

Em 1996, um grupo de amigos deu início a um projeto para dar apoio às famílias e pessoas com problemas associados ao consumo abusivo de álcool e outras drogas. O então Arcebispo da Diocese de Mariana, MG, Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, se sensibilizou com a ideia e filiou o projeto à Fundação Marianense de Educação (FME) – entidade de fins filantrópicos da qual ele era o Presidente.

Por solicitação do Arcebispo, a Gerdau Açominas doou um terreno situado nas proximidades do km 10 da Rodovia MG 129, que liga os municípios de Ouro Branco e Conselheiro Lafaiete. Em 1999, a Comunidade Terapêutica Bom Pastor (CTBP) foi inaugurada.

dom-luciano

A Comunidade Terapêutica Bom Pastor é uma entidade filantrópica, católica, filiada à Fundação Marianense de Educação, tem CNPJ próprio e autonomia administrativa e financeira. Não recebe recursos da FME para sua manutenção. É administrada por um corpo de diretores e uma coordenação técnica.

A entidade está capacitada para acolher 30 pessoas do sexo masculino, maiores de 18 anos, em um programa terapêutico de abordagem cognitiva comportamental, voluntário, em regime de abrigamento temporário por um período de 6 meses. Além disso, oferece um programa de atendimento e aconselhamento familiar e projeto de prevenção ao uso abusivo de álcool e outras drogas no município de Ouro Branco e cidades do seu entorno.

Os interessados são encaminhados pelos serviços do SUS e SUAS dos municípios bem como demanda espontânea, após processo de exames laboratoriais e relatórios médicos e odontológicos. Após a avaliação através de entrevista é agendado a data de internação. Todo o processo é acompanhado pelos familiares ou responsáveis.

Equipe técnica é formada 14 profissionais entre a coordenadora técnica, assistente social psicólogos, psiquiatra, nutricionista, oficineiros (artes, academia e música), Já a equipe administrativa é formada por 5 funcionários.

Contatos: [email protected]