Banda de Congonhas recebe Prêmio Mineiro da Música Independente

9

premio

Os músicos da Banda Ink foram premiados na categoria Regional do Prêmio da Música Independente de Minas Gerais. Este ano a premiação completou 10 anos.

A solenidade de premiação aconteceu no dia 29 de setembro no Teatro Francisco Nunes, em Belo Horizonte. O governo municipal foi representado no evento por José Félix Junqueira (Zezeca) e Átila Caiafa, ambos servidores da Secretaria Municipal de Cultura.

Os 80 troféus, estampados com a imagem de um dos profetas de Aleijadinho, repassados aos artistas vencedores e homenageados representam os 30 anos de Patrimônio Mundial de Congonhas. Segundo Átila Caiafa, “a Prefeitura cedeu os troféus como uma forma de valorizar os artistas e músicos locais e colocar Congonhas em evidência. Estamos firmando uma parceira com o organizador do prêmio para que no próximo ano seja realizada uma pré-audição em Congonhas, com artistas daqui, para quem sabe termos mais talentos da terra sendo revelados e agraciados no evento do ano que vem”, afirmou.

Banda Ink

A Banda Ink, formada em dezembro de 2014, é composta por quatro integrantes: Ricardo Reis, Vinicius Resende, Marcelo Heidenreich e Sergio Pierre. O estilo musical adotado pelos músicos é o Rock Progressivo e Alternativo. Atualmente o grupo possui nove músicas autorais e um videoclipe também autoral.

Em Julho deste ano, a Banda Ink participou de audição em Contagem em comemoração aos 10 anos do Prêmio Mineiro da Música Independente e foi selecionada para receber o premio na categoria Regional, representando Congonhas.

“O premio representou a valorização da música autoral. Nós participamos apresentando uma música nossa. É muito importante também valorizar o rock que vem do interior e mostrar que aqui também tem boa música e bons músicos”, afirmou Ricardo Reis.

O prêmio

O Prêmio Mineiro da Música Independente (PMMI), coordenado pelo mineiro Rônei César, completou 10 anos no dia 30 de maio deste ano e vem se firmando no cenário musical brasileiro. Em 2015, o músico mineiro Fernando Brant, fundador do Clube da Esquina e que faleceu recentemente, foi o grande homenageado.

De acordo com o Rônei César, o evento revolucionou a forma de premiar e homenagear os músicos em Minas Gerais. “O Prêmio mudou definitivamente o cenário da música mineira. Antes de existir esta premiação, só existia esse tipo de evento no Rio de Janeiro e em São Paulo e nem sempre Minas Gerais era contemplada. Hoje Minas Gerais está no mapa do Brasil, tendo uma das maiores e melhores premiações de música do país”, comenta.

Fotos:divulgação/SECOM