Banda de Congonhas recebe Prêmio Mineiro da Música Independente

97

premio

Os músicos da Banda Ink foram premiados na categoria Regional do Prêmio da Música Independente de Minas Gerais. Este ano a premiação completou 10 anos.

A solenidade de premiação aconteceu no dia 29 de setembro no Teatro Francisco Nunes, em Belo Horizonte. O governo municipal foi representado no evento por José Félix Junqueira (Zezeca) e Átila Caiafa, ambos servidores da Secretaria Municipal de Cultura.

Os 80 troféus, estampados com a imagem de um dos profetas de Aleijadinho, repassados aos artistas vencedores e homenageados representam os 30 anos de Patrimônio Mundial de Congonhas. Segundo Átila Caiafa, “a Prefeitura cedeu os troféus como uma forma de valorizar os artistas e músicos locais e colocar Congonhas em evidência. Estamos firmando uma parceira com o organizador do prêmio para que no próximo ano seja realizada uma pré-audição em Congonhas, com artistas daqui, para quem sabe termos mais talentos da terra sendo revelados e agraciados no evento do ano que vem”, afirmou.

Banda Ink

A Banda Ink, formada em dezembro de 2014, é composta por quatro integrantes: Ricardo Reis, Vinicius Resende, Marcelo Heidenreich e Sergio Pierre. O estilo musical adotado pelos músicos é o Rock Progressivo e Alternativo. Atualmente o grupo possui nove músicas autorais e um videoclipe também autoral.

Em Julho deste ano, a Banda Ink participou de audição em Contagem em comemoração aos 10 anos do Prêmio Mineiro da Música Independente e foi selecionada para receber o premio na categoria Regional, representando Congonhas.

“O premio representou a valorização da música autoral. Nós participamos apresentando uma música nossa. É muito importante também valorizar o rock que vem do interior e mostrar que aqui também tem boa música e bons músicos”, afirmou Ricardo Reis.

O prêmio

O Prêmio Mineiro da Música Independente (PMMI), coordenado pelo mineiro Rônei César, completou 10 anos no dia 30 de maio deste ano e vem se firmando no cenário musical brasileiro. Em 2015, o músico mineiro Fernando Brant, fundador do Clube da Esquina e que faleceu recentemente, foi o grande homenageado.

De acordo com o Rônei César, o evento revolucionou a forma de premiar e homenagear os músicos em Minas Gerais. “O Prêmio mudou definitivamente o cenário da música mineira. Antes de existir esta premiação, só existia esse tipo de evento no Rio de Janeiro e em São Paulo e nem sempre Minas Gerais era contemplada. Hoje Minas Gerais está no mapa do Brasil, tendo uma das maiores e melhores premiações de música do país”, comenta.

Fotos:divulgação/SECOM