Bombeiros retornam a residência onde idoso morreu após ataques de abelhas em Rio Espera

10
Bombeiros comparecem na cidade de Rio Espera para orientar família após acidente com abelha/Divulgação

Militares do Corpo de Bombeiros de Conselheiro Lafaiete compareceram em Rio Espera para fazer vistoria e orientação à família que sofreu ataque por abelhas na ultima quarta-feira na cidade. Um idoso de 98 anos de idade que realizava capina em sua horta foi atacado pelo enxame e ainda durante as picadas conseguiu  pedir ajuda a sua filha, que na tentativa de ajudá-lo também sofreu várias picadas. O idoso não resistiu as picadas e veio a falecer ainda no local. Um Policial Militar, Cabo Cruz, vizinho das vítimas, estava de folga no momento do ocorrido, ouviu os gritos e tentou socorrê-los conseguindo agilizar o atendimento. No apoio, eles (CB Cruz e a filha do idoso) acabaram entrando em um rio poluído que corta o terreno após várias ferroadas.

A guarnição, composta pelo Cabo Moreira e Soldado Daniel, estive no local e orientou os familiares e moradores nas proximidades sobre atitudes preventivas para evitar futuros ataques. Foi efetuado o isolamento da área com intuito de prevenir novos acidentes e também foi realizado contato com um apicultor da própria cidade que se disponibilizou a deixar uma caixa especifica para capturar as abelhas que ainda estão dispersas no local, para que haja o manejo correto e direcionamento do enxame para local apropriado.

Fique atento às dicas:

Trate as abelhas como você faria com qualquer outro animal venenoso, tal como uma cobra ou escorpião. Esteja alerta e afaste-se;

O calor e a florada influenciam no surgimento de enxames itinerantes e aumento do número de insetos nas colmeias. O calor também deixa as abelhas, vespas ou marimbondos mais agitados e agressivos.

Para evitar problemas, o Corpo de Bombeiros Militar recomenda:

  • Evite movimentos bruscos e excessivos quando próximo a colmeias.
  • Não grite, pois as abelhas são atraídas por ruídos, principalmente os agudos.
  • Evite operar qualquer máquina barulhenta próximo a colmeias. Examine a área de trabalho antes de usar equipamentos motorizados.
  • Ensine as crianças a se precaver e não matar as abelhas, vespas ou marimbondos.
  • Se for atacado, proteja o pescoço e o rosto das picadas, com a ajuda de uma camisa ou outra vestimenta. Se a ferroada ocorrer na cabeça e/ou pescoço, procure imediatamente auxílio médico.
  • Pessoas alérgicas a picada de insetos devem evitar caminhadas em áreas de mata, pois para quem é sensível à peçonha, apenas uma picada pode ser suficiente para gerar um choque anafilático.
  • Caso seja alérgico a picadas, pergunte ao seu médico o que fazer.
  • Caso alguém seja picado, é importante que faça a remoção imediata dos ferrões, pois eles continuam liberando peçonha gradativamente. A sua retirada interrompe esse processo.
  • Após a picada, a abelha perde seu ferrão e a bolsa de peçonha e morre. Contudo, o mesmo não se aplica às vespas e marimbondos. Após picar eles estão prontos para atacar novamente.
  • Em casos de formação de colmeias em residências, o proprietário deve acionar uma empresa de apicultura especializada para a remoção do foco. Nos casos mais críticos, acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.