Câmara convoca vice prefeito e procurador para explicarem mudanças na educação

72
O ex vereador e empresário Tarciano Franco / DIVULGAÇÃO
Vice prefeito Darci Tavares/Foto: arquivo

Os vereadores estão em pé de guerra com mudanças promovidas, logo no início do ano letivo, no setor educacional em Lafaiete. Para explicar algumas mudanças, a Câmara aprovou por unanimidade a convocação do Secretário de Educação, o vice prefeito, Darci Tavares, e o Procurador Municipal, Luiz Antônio, que estarão na Casa Legislativa na noite do dia 1º. A polêmica deve esquentar os debates.

Vereador João Paulo/Foto: Arquivo
Vereador João Paulo/Foto: arquivo

Segundo os parlamentares municipais, uma resolução que permite a contratação e troca de monitores educacionais por funcionários especializados para cuidarem de estudantes especiais estão deixando os pais apavorados. Vereadores criticaram a decisão da secretaria de educação. “O governo municipal quer apenas economizar”, denunciou o vereador João Paulo Pé Quente (PSB). Segundo eles, alguns pais estão permanecendo nas escolas para acompanhar os seus filhos. Isso por que os novos profissionais não possuem a experiência e o conhecimento necessários para cuidarem desses alunos especiais. Estas mudanças desagradaram a comunidade escolar”, avaliou. E foi mais longe nas críticas; “O que espero, ao contrário de outras convocações, é que nós vereadores não fiquemos apenas jogando confetes nos secretários. Queremos aqui uma posição convincente sobre estas mudanças”.

Vereador Toninho do PT/Foto:Arquivo
Vereador Toninho do PT/Foto:arquivo

Já o autor do requerimento, o vereador Toninho do PT, também fez críticas a resolução. “Estamos preparados para que o secretário e procurador não sejam evasivos em suas justificativas. Vamos sim cobrar uma posição clara sobre este assunto que mexe com alunos e que precisam de uma atenção especial de profissionais especializados e não de monitores”, pontuou. A reunião acontece a partir das 19:00 horas. “Estamos bem tranquilos quanto as todas medidas que tomamos na secretaria”, afirmou Darci Tavares.

Secretária é também convocada

Também a pasta de esporte foi alvo de críticas e cobranças. Toninho do PT lamentou a ausência de Lafaiete nos JIMI e JEMG. “È lamentável que a nossa cidade não participe destes eventos tão importantes para o desenvolvimento de modalidades esportivas em que Lafaiete é competitiva. A gente fica sem entender certas atitudes da prefeitura em abandonar o esporte especializado. Acredito que não faltam de recursos”, comentou.

João Paulo Pé Quente disse que o orçamento da secretaria de esportes é de R$1,3 milhão e cerca de R$500 mil são gastos com pessoal. “Lafaiete já não tem o campeonato amador e agora não participa mais do JIMI e JEMG, as mais importantes competições. Acredito que não seja falta de verba”, lamentou.

A Secretária de Esportes, Rosângela Alves Ferreira, também foi convocada a prestar esclarecimentos à Câmara em data ainda a ser definida.