Cortejo Cultural retrata a diversidade do FACE e festival já se despede de Lafaiete

12

Hoje é o último dia do Festival de Artes Cênicas (FACE). “Está chegando a hora… e o dia já vem raiando”.  Terminou a pouco o cortejo cultural na Praça Tiradentes, em Lafaiete. Cerca de 500 artistas, atores, atrizes, diretores e organizadores partiram da Praça do Cristo e percorreram as ruas da cidade puxados pelo som do grupo de raiz do Afro/Axé, de Itabirito. O cortejo sintetiza a sinergia que o Face promove pela diversidade cultural, de gênero, de credos, de cores e de estilos. O grupo União do Morro, que é a base dos trabalhos desenvolvido pela homenageada Margarete Machado participou do cortejo.

Ainda pela manhã, na praça d

Cortejo simboliza a integração cultural que o FACE promove abrindo novas perspectivas e experiências artísticas

o Cristo, dois espetáculos de rua lotaram a concha acústica. “Till, a saga de um herói torto”, do grupo Primeiro Ato, de Patos de Minas, e “A Farsa do advogado João pestana”, do grupo Boca de Cena, de Congonhas interagiram o público eclético, desde crianças, jovens e idosos. Em seguida o local foi tomado som e colorido do União do Morro e Axé Igba que fizeram os participantes dançarem.

Agora a tarde 4 peças encerram o FACE. Às 14:00 horas, no Clube Carijós, o espetáculo infantil , Poemas e Grinaldas, da Cia Nau dos Sonhos, de Congonhas. Às 15:00 horas, Casos e Causos, no Centro Cultural, Narciso de Queiróz, do grupo, Poltrona, de Teófilo Otoni. O grupo Fofoca do Teatro, de Barroso, encena, às 16:00 horas, a comédia Pelos Caminhos de Minas, no Teatro Municipal e às 17:00 horas, as cortinas se abrem para o espetáculo Zoo Story, no Clube Carijós, do grupo TPM-Rogério Cardoso Mococa, de São Paulo.

Às 19 horas, acontece o encerramento do Face e premiação paras as 8 categoria  (melhor ator e atriz, melhor espetáculo, ator e atriz coadjuvante, diretor, cenário, trilha sonora, figurino maquiagem e prêmio especial do júri0. A missão é árdua para os 15 jurados que avaliam os 53 espetáculos.