Defesa Civil atua para minimizar atuação da chuva na região

9

 

Segundo o Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais – SINGI, no período de 14 a 18 de janeiro de 2016, houve acúmulo significativo de chuva no estado, ultrapassando 40mm/h, com acumulados em alguns municípios de 100mm/h, com previsão para os próximos cinco dias, de volume de chuva superior a 80mm/h, em grande parte de Minas Gerais.

Tais indicadores criaram alerta máximo e a Defesa Civil Regional intensificou o monitoramento dos níveis dos rios que cortam a região. Os pontos de referência foram: Rio Maranhão, Rio Camapuã, Rio Manso, Rio Paraopeba e foram emitidos alertas para os Municípios de Congonhas, Jeceaba, Belo Vale, Moeda e Brumadinho.

Os procedimentos foram realizados em parceria com a Defesa Civil dos Municípios consorciados e empresas da região amenizando os impactos decorrentes das chuvas. Foi realizado o levantamento das áreas de risco. A população ribeirinha foi alertada e alguns desalojados foram encaminhados para abrigos, casas de parentes e vizinhos.

A Região é monitorada também pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais – CEMADEN, que faz um mapeamento das áreas de risco de movimentos de massa, sobre deslizamento de encostas, corridas de massas, solapiamentos de margens/terras caídas, queda/rolamento, bem como, inundações e enxurradas, além de estimativa de extensão dos danos decorrentes de um desastre natural.

A Defesa Civil Regional é uma iniciativa pioneira, implantada pelo Consórcio Público para o Desenvolvimento do Alto Paraopeba – Codap, que tem como meta prestar serviço de qualidade à população. A Sede fica na Praça Nossa Senhora do Carmo, 313, centro, Conselheiro Lafaiete – MG.

Foto:divulgação