Defesa Civil e CSN promovem testes com moradores perto da barragem

11
Ministério Público cobra avaliação de alteamento de mais de 10 metros da barragem Casa de Pedra/Sandoval de Souza Pinto Filho

A CSN Mineração e a Defesa Civil Municipal, continuando as ações programadas previstas no Plano de Emergência da Barragem Casa de Pedra, colocarão em prática neste domingo (26 de novembro) o simulado com o acionamento das sirenes, verificação do tempo de resposta usando as sinalizações de rotas de fuga estabelecidas e demais fatores que influenciam na boa performance do plano.

É importante destacar que neste primeiro momento, os bairros envolvidos no simulado serão o Residencial e o Cristo Rei. Após o simulado, a empresa se reunirá com a Defesa Civil e demais envolvidos para verificar eventuais ajustes nas ações executadas para aprimorar o planejamento que será usado com a participação da população em data a ser definida.

No âmbito de preparar a estrutura para os treinamentos que acontecerão a partir deste mês, a CSN finalizou no dia 8 de novembro, junto com a Defesa Civil, o recadastramento dos moradores, incluindo pessoas com dificuldades motoras, idosos e gestantes. Além disso, durante a atividade, as pessoas contempladas no processo já foram treinadas sobre noções básicas de abandono de área.

A CSN reforça que o Plano de Emergência passou por algumas atualizações para deixá-lo ainda mais eficaz, seguindo as novas normas estabelecidas pelos órgãos competentes e autoridades do setor. Desde 2014 a CSN realiza simulados do tipo bancada. Ou seja, exercícios com os líderes comunitários e demais autoridades como Defesa Civil, Polícia Militar, Secretaria de Meio Ambiente, entre outros.

Tudo estará concluído conforme o cronograma estabelecido e dentro dos prazos da portaria 70389 do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) que regulamenta barragens de rejeito. Quanto à sinalização das rotas de fuga, a Companhia instalou pouco mais de 400 placas nas ruas da zona de auto salvamento.

 Por fim a empresa destaca que que todas as ações estão dentro do prazo previsto, conforme a portaria do DNPM e preza pela informação clara e consistente repassada pela imprensa no intuito de evitar o pânico desnecessário junto aos moradores de Congonhas.