Duto da Vale rompe em Congonhas, atinge rios da região, causa desastre ambiental e Copasa diz que não há risco de desabastecimento

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

 

Um rompimento de um duto de rejeitos da Vale atingiu rios na região de Itabirito, Congonhas e Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais.

A Vale informou que a Mina da Fábrica, em Congonhas, ocupa uma área entre as cidades de Congonhas e Ouro Preto, e o vazamento foi localizado nesta segunda-feira (13), em Ouro Preto. Disse ainda que o reparo já foi feito no local.

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Itabirito, Antônio Marcos Generoso, após o estouro, o Córrego Prata foi contaminado, depois passou para o Córrego Almas, na sequência atingiu o Ribeirão Mata Porcos que se transforma no Rio Itabirito.

O rejeito foi notado em Itabirito no domingo à tarde. Generoso contou que, na segunda-feira, o ponto de contaminação foi localizado por fiscais da prefeitura e já estava sendo recuperado por técnicos da Vale.

Duto de rejeitos da Vale se rompeu em Congonhas e atingiu rios da região de Itabirito e Ouro Preto/Reprodução

Com relação ao Rio Itabirito, que corta a cidade, o secretário disse que não houve problemas de abastecimento, porque a água é captada de afluentes. Também não houve mortandade de peixes, apesar do aumento do nível de turbidez. Mas segundo Generoso, o vazamento contribuiu para o aumento do assoreamento do rio.

O secretário disse ainda que a Copasa foi acionada porque a água do Rio Itabirito chega ao Rio das Velhas, que abastece a capital mineira e é captada em Bela Fama.

A Secretaria do Meio Ambiente de Itabirito notificou a Vale e esta notificação pode gerar uma multa. A mineradora disse que presta os esclarecimentos aos órgãos ambientais e apura as causas do rompimento.

Em nota, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) informou que o vazamento foi totalmente contido.  O Núcleo de Emergência Ambiental (NEA) do órgão foi comunicado nessa segunda-feira (13) e um técnico esteve no local junto com representantes do Núcleo de Crimes Ambientais do Ministério Público Estadual. O vazamento ocorreu na junção de dois tubos.

Ainda de acordo com a Semad, o “rejeito atingiu a rede de drenagem pluvial da estrada operacional da Vale e seguiu para a barragem Forquilha IV, por onde vazou, próximo ao vertedouto da barragem, o que ocasionou o carreamento de rejeito para o Córrego do Prata no encontro com o Córrego das Almas e o Córrego Mata Porco, além de uma área de solo dentro da empresa”.

Ribeirão Mata Porcos, que vira o Rio Itabirito, foi tomado por rejeitos/ Divulgação

O órgão “determinou que a empresa feche imediatamente o sistema de adução de rejeito, o desvio da drenagem de água pluvial, a implantação de luva de proteção na área de alagamento da barragem Forquilha IV, a troca da tubulação do duto, a realização de um reforço nas juntas e a revegetação da área afetada”.

A Vale deve encaminhar à Semad, em um prazo de sete dias, um cronograma das ações que serão realizadas na área afetada. A empresa será multada, mas o valor não foi calculado.

De acordo com a Copasa, não existe nenhum risco de desabastecimento de água para a população.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *