Em artigo, religioso faz reflexão sobre Santuário em homenagem a santa que caiu do céu

16

“De um avião caíste em nossa terra e nosso vigário um trono vos deu. Em que refulges vestida de Glória espargindo sem contas favores do céu.” – ( Hino a Nossa Senhora das das Graças)

O dia vinte e nove de Julho não é um simples dia para os Catasaltenses. É marco de um acontecimento histórico transcorrido em 1949. Há exatamente 69 anos, os irmãos Geraldo das Neves e Antônio Lourenço presenciaram a queda da Imagem de Nossa Senhora das Graças num monte cascalho, em meia planície num lugar denominado Lage a 12 km de Catas Altas da Noruega. Celebrar o Sexagésimo nono ano deste evento é reconhecer que a fé transcende o tempo, escreve a história e entrelaça vidas. Valorizar o dia vinte e nove de julho é ocasião propícia para fecundar novos caminhos. Contemplamos o passado e vivemos na gratuidade e apaixonadamente o presente que Deus nos dá.

Celebração em que igreja foi elevada a Santuário em Catas Altas da Noruega

Dom Geraldo Lyrio, a pedido do Rvm° Pe. Luiz Antônio Reis Costa, concedeu à Igreja do Rosário o título de Santuário Arquidiocesano. O mais novo Santuário da arquidiocese é dedicado a Nossa Senhora das Graças. A celebração aconteceu no dia vinte e um de maio, data em que o Papa Francisco instituiu a memória de Maria Mãe da Igreja. Este título conferido por Dom Geraldo remonta ao antigo sonho do saudoso Pe. Luiz Gonzaga Pinheiro, piedoso devoto de Nossa Senhora das Graças. Esta concessão alegra o coração dos Catasaltenses e marca o reconhecimento eclesial de distinta devoção mariana.

O Santuário de Nossa Senhora das Graças contribuirá para o cultivo da fé, capaz de iluminar nossa cidadania e de nos conduzir a novos tempos, pois a vivência da fé cultiva valores que humanizam e sensibilizam e, por isso, reorientam o itinerário da vida. A fé contribui no resgate do ser humano que, iluminado por Deus, modifica o cenário degradado por uma dinâmica fundada no Evangelho.

Compreende-se, então, que vinte e nove de julho é data magna para a cidade de Catas Altas da Noruega. A relevância desta data leva-nos ao mais profundo de nossa fé, inscrita na dinâmica da peregrinação. Entre outros aspectos, se compreende que na vida tudo passa rápido e que o tempo é precioso demais para gastá-lo no apego ilusório de acúmulo mesquinho de bens materiais. Peregrinar é antídoto para não cair na ambição desmedida, que leva à corrupção e suas consequências maléficas. Catas Altas da Noruega, com sua história de conversão, mostra que há razões mais profundas para se viver. Razões que vão além de suas riquezas minerais e ecológicas.

Uma história admirável! Deste 1949, os pobres, os fiéis, os humildes, homens e mulheres de boa vontade, vem à região montanhosa de Catas Altas da Noruega, atraídos pela densidade da força amorosa de Maria. Desse modo, os fiéis conseguem abrir novos horizontes para suas vidas, aprender lições e experimentar a força transformadora e salvífica do Evangelho. Pela fé alcançam graças e milagres que só Deus pode conceder.

A Veneranda imagem de Nossa Senhora das Graças se encontra no altar principal do novo Santuário. Com os braços abertos, revela raiz da religiosidade mineira, a Paixão e a morte de Nosso Senhor. Com olhar de discípula ensina que a fé possibilita enxergar o invisível, os caminhos do Amor. Os pés sob a cabeça da serpente nos faz perceber que na força do amor o bem sempre triunfa sobre o mal e a graça vence o pecado.

Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora das Graças, de Catas Altas da Noruega para o mundo. O presente concedido por Deus ilumina ainda mais nosso território sagrado. Reforça nossa dimensão espiritual que é a mais importante, uma vez que se faz necessário alcançar novos rumos para nossa vida.

A exemplo dos santuários marianos que existem pelo mundo afora, também o Santuário de Nossa Senhora das Graças congregará peregrinos que se tornam devotos pela fé. Peregrinar é oportunidade para se deixar tocar pela presença transformadora de Cristo que oferece novos rumos a partir da lógica do amor. Seja no Santuário de Nossa Senhora das Graças, na sossegada Catas Altas da Noruega, ou nos grandes Santuários marianos o convite é sempre o mesmo: viver momentos de oração, reconciliação e escuta da Palavra que faz viver. Este Santuário é um dom para a Igreja particular da arquidiocese de Mariana! É dom para a Igreja do Brasil! É um dom para todos os Catasaltenses!

Este ano celebraremos o Primeiro Jubileu em honra a Nossa Senhora das Graças, Padroeira da cidade. Que os devotos de Nossa Senhora vivenciem este jubileu com o coração aberto para acolher o conselho materno que Maria transmitiu nas bodas de Caná: Fazei tudo o que Ele, o meu Filho vos disser. (cf. Jo 2,5)

Vinte e nove de Julho é um convite para todos os devotos de Nossa Senhora catasaltenses, ausentes e presentes, peregrinarem ao novo Santuário deixando que este território abençoado inspire mais ações evangélicas. Aqui está um exercício importante para abrir novos caminhos e adotar práticas corajosas coerentes com os ensinamentos de Jesus.

Gratidão a Deus! Gratidão a Dom Geraldo! Gratidão ao nosso Pároco! Gratidão aos devotos de Nossa Senhora das Graças. Nossa Senhora gosta desse povo. Seja o novo Santuário, casa de Maria, lugar de encontro dos irmãos.

¹ Catasaltense, Religioso Orionita, Estudante do terceiro ano de Teologia no Instituto Santo Tomás de Aquino em Belo Horizonte.

Fonte: Noruega FM