Em dívida: CSN negocia venda de ativos de mineração com chineses

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Empresa quer se desfazer de fatia em subsidiária, que inclui Casa de Pedra em Congonhas

csn
CSN precisa vender R$ 2 bilhões em ativos para equilibrar caixa

­ A CSN negocia com a estatal chinesa CBSteel a venda de uma participação minoritária na Congonhas Minérios, braço da siderúrgica que reúne ativos de logística e mineração — como a mina Casa de Pedra —, segundo fonte a par das conversas. As negociações começaram há dois meses e marcam uma reviravolta na estratégia da empresa para reduzir sua dívida, de R$ 25,8 bilhões. Até agora, a CSN mantinha conversas apenas com interessados nos ativos não estratégicos, como o terminal de contêineres, em Itaguaí (RJ), e a fábrica de embalagens Metalic, vendida mês passado. A Congonhas Minérios é essencial para a CSN: é de lá que vem o minério de ferro que alimenta os altosfornos de Volta Redonda, no Sul Fluminense, principal operação do conglomerado da família Steinbruch.

Além da CBSteel, o China Development Bank estaria interessado em participar do negócio. As conversas iniciais apontam para a compra de uma fatia de até 30% da participação da CSN na Congonhas Minérios. A siderúrgica tem 87,52% da subsidiária. Os 12,48% restantes estão nas mãos de um pool de empresas asiáticas, sobretudo japonesas, e não são alvo da negociação. Se esse desenho for mantido e a venda for concretizada, a CBSteel terá até 26% da companhia, ao fim do processo. Quando foi criada, no fim de novembro passado, a Congonhas Minérios um acordo de fornecimento de minério de ferro de longo prazo, a exemplo dos que foram firmados entre a Congonhas Minérios e seus sócios asiáticos — nesses casos, o compromisso é de 40 anos.

Terminal Portuário no Rio

Esse não é o primeiro negócio que CBSteel pretende fazer no Brasil. Quando o presidente Michel Temer foi à China, este mês, a estatal chinesa sinalizou com a possibilidade de investir US$ 3 bilhões na construção de uma siderúrgica no Maranhão. A Congonhas Minérios foi criada a partir da integração da mina Casa de Pedra e das minas (Engenho e Pires) da Namisa, empresa da qual a CSN detinha 60%, e os parceiros asiáticos, 40%. A Congonhas detém, ainda, uma fatia na MRS — principal ferrovia de escoamento da produção mineral de Minas Gerais para o Rio — e o terminal portuário Tecar, em Itaguaí, que movimenta cargas a granel, como minério de ferro e carvão. É por lá que é exportado o minério de ferro que a siderúrgica de Volta Redonda não consome.

A capacidade de produção de minério de ferro da Congonhas Minérios deve chegar a 31 milhões de toneladas este ano. Nas previsões da CSN, a usina de Volta Redonda vai consumir até 6 milhões de toneladas este ano.

Foto: Reprodução

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *