Encurralada pelo MP e a PMCL, a Copasa vai colocar em operação até final de 2016 ETE de R$ 21 milhões em Lafaiete

13

Com funcionamento, 100% do esgoto da cidade será tratada; mau cheiro será eliminado 

Ete usar (3)
Técnicos da Copasa e empresa responsável pela construção da ETE

A Copasa pretende colocar em funcionamento até o final deste ano a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), do Ribeirão Ventura Luiz. A construção iniciou no novembro do ano passado, quando foi liberado o licenciamento ambiental. A obra já com mais de 60% concluída e está localizada perto da Lagoa Água Preta, em uma aérea rural, situada no Bairro Rancho Novo.

O valor orçado da ETE juntamente com as travessias, inclusive alguns sob a MRS e BR 040, recuperação de trechos e construção de muros de gabião está orçada em R$ 21 milhões. A intenção, quando estiver em operação, é que 100% do esgoto de Lafaiete esteja tratado. A  nova ETE corresponde por mais da metade do esgoto coletado e tratado em Lafaiete.

Visita

Em funcionamento, 100% do esgoto será tratado
Em funcionamento, 100% do esgoto será tratado

Nossa reportagem foi primeira a visitar o canteiro de obras da nova ETE. De perto trata-se de uma grande obra e que chama atenção pelo seu porte. Mais de 70 homens trabalham diariamente no local e a “Previsan Engenharia” é responsável pela construção da nova ETE. 90% dos trabalhadores são de Lafaiete.

A empresa tem expertisse em saneamento básico, atua na área há mais de 30 anos e paralelamente constrói diversas estações em Minas, como em Timóteo, Santos Dumont, Barbacena e outras cidades.

Ete usar (4)
Obra chama a atenção pelo grande porte e vai consumir R$ 21 milhões

A técnica em fiscalização da Copasa, Simone Andrade, acompanhou nossa visita às diversas áreas da ETE, como o reator anaeróbico, filtro biológico, decantador secundário, leito de secagem e aterro sanitário e o leito de secagem. A primeira pergunta e mais incisiva: “a exemplo da ETE Bananeiras, a população está garantida que não haverá mau cheiro exalando do local e incomodando os moradores”?. Simone garantiu que a Copasa usa na nova ETE o processo de desodorização que vai eliminar o mau cheiro de vez. O sistema usado no local é o mais moderno e avançado no Brasil.

Ao final da visita, nossa reportagem ouviu a moradora Eliane Helena de Carvalho cuja residência há a menos de 400 metros da ETE. “A nossa expectativa é que não haja mau cheiro e é o que esperamos e empresa nos garantiu. A Copasa sabe da experiência vivida em Lafaiete e vai querer mostrar uma obra que trará benefícios a cidade. A ETE é uma grande obra e vai beneficiar o meio ambiente e nossas águas”, avaliou.

Problemas

Obra terá sistema moderno e avançado que eliminará mau cheiro
Obra terá sistema moderno e avançado que eliminará mau cheiro

Há mais de 3 anos a estatal mineira finalizou um contrato por 30 anos de exploração do abastecimento de água e tratamento de esgoto. Desde então, a empresa descumpri prazos fixados no contrato por sucessivas vezes e por isso é alvo de 5 ações do Ministério Público que, se condenada, terá que pagar mais de R$ 5 milhões. O Município também já aplicou multa administrativa que chega a mais de R$ 1 milhão.

O principal problema ainda sem solução é da ETA Bananeiras cujo mau cheiro incomoda a população desde sua inauguração há mais de 5 anos. “Eu não aguento mais esta situação”, desabafou o prefeito recentemente ameaçando romper o contrato com a Copasa.

Fotos:CORREIO DE MINAS