Filas de exames e cirurgias irritam vereadores: “Cadê os recursos de nossas emendas”, dispara Carlos Nem

19

A saúde voltou aos holofotes da Câmara de Lafaiete. A demora no atendimento de exames e cirurgias dos usuários do sistema municipal de saúde foi alvo de intensas críticas dos vereadores na sessão de ontem (18) a noite.

“O que gente não compreende é um paciente ficar até 7 meses para tratamento na fisioterapia. São pessoas esperando vários anos na fila por uma cirurgia. É revoltante”, atacou o Vereador Lúcio Barbosa (PSDB) que se notabilizou pela bandeira da saúde.

Mais incisivo, o Vereador Carlos Nem (PP)classificou como calamidade a situação da saúde de Lafaiete. Ele fez cobranças sobre os recursos de R$1,5 milhão, das emendas impositivas, destinadas pelos parlamentares para atendimento geral das demandas na fila de espera. “È brincadeira com o povo. Somos parados nas ruas e cobrados sobre exames mas ficamos com as mãos atacadas. Cobrar a gente cobra, mas pouco adianta. Onde estão os R$1,3 milhão para zerar as filas de exames e cirurgias? É simplesmente revoltante”, finalizou.

Emenda

Em outubro de 2019, um documento assinado pelos 13 parlamentares destinou quase R$1,3 milhão para cobrir os custos de exames e cirurgias eletivas de pacientes que aguardam em fila pelos atendimentos.

A emenda coletiva deve zerar a demanda reprimida de pessoas que aguardam há meses e até anos no compasso lento do SUS.

Leia mais

Fim da fila: emenda coletiva de vereadores destinará R$1,3 milhão para zerar filas de exames e cirurgias