Homenagens marcam o Dia Municipal das Violas de Queluz em Lafaiete

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
DSC_1864
O prefeito Ivar e o público presente/Foto:Divulgação/PMCL

Na noite desta terça-feira, 29/03, o Dia Municipal das Violas de Queluz foi comemorado no Centro Cultural Solar do Barão de Suaçuí com homenagens a personalidades que contribuem para a perpetuação da história do instrumento símbolo da cidade.

Representantes das famílias Meirelles e Salgado, antigos fabricantes das Violas de Queluz marcaram presença na solenidade. Abrindo a noite de homenagens a Banda Scarcéus recebeu um certificado pela defesa da música e elevação do nome de Minas Gerais e da homenagem ao seu povo na canção “Meu chegado”, usada como vinheta institucional da rede Globo Minas em homenagem a Minas Gerais. Representando a banda o vocalista Henrique Papatella recebeu a homenagem das mãos do prefeito Dr. Ivar e da secretária municipal de Cultura, Mauricéia Aparecida Ferreira Maia.

Leo Japa, Sonia Cardoso, Tuca e Henrique Papatella
Leo Japa, Sonia Cardoso, Tuca e Henrique Papatella/Foto:Divulgação/PMCL

O segundo homenageado da noite foi o músico Tuca Boelsums que iniciou a carreira no grupo “Queluz de Minas” no início da década de 80.  Tuca, que integra também os grupos “Samba do Bem” e “Viola Inviolada” contribui para divulgar a história e a importância das violas, da qual é exímio tocador.

Também recebeu homenagem o cantor Leonardo Kenji Yoshioka, conhecido no meio musical como “Leo Japa”. Apaixonado por instrumentos e curioso em descobrir os mistérios dessa arte secular, tradicional de Lafaiete, Leo Japa começou trabalhar como luthier e fabricante de instrumentos.

Já a servidora pública, Sonia Cardoso recebeu o certificado pela sua dedicação na pesquisa das Violas de Queluz desde os primeiros momentos quando as famílias Meirelles e Salgado iniciaram a divulgação dos seus acervos particulares. O trabalho de Sonia Cardoso fundamentou a criação do decreto municipal que deu a cidade de Conselheiro Lafaiete o título de “Violas de Queluz”, em 2007. Outra contribuição foi o levantamento de dados para embasar o decreto que criou o Dia das “Violas”, em 2009 e o registro do patrimônio imaterial reconhecido e apresentado ao IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais), em 2014.

Para o prefeito Dr. Ivar a comemoração do Dia das Violas Queluz significa perpetuar a cultura do instrumento símbolo de Conselheiro Lafaiete. Dr. Ivar também lembrou que a atual administração criou no Centro Cultural Solar do Barão do Suassuí o Memorial das Violas de Queluz com o apoio das famílias Meirelles e Salgado. “O memorial está ai para reviver a história das Violas de Queluz que é nossa de Lafaiete e repercute nos quatro cantos do mundo”, frisou o prefeito.

Valtinho Salgado/Foto:Divulgação/PMCL
Valtinho Salgado/Foto:Divulgação/PMCL

A secretária municipal de Cultura, Mauricéia Aparecida Ferreira Maia ressaltou que a Viola de Queluz é um símbolo para muitas famílias. “A viola está em vários ambientes. Ela está presente na catequese, na Folia de Reis e nas rodas de violeiros”, disse a secretária.

Ao final do evento houve a apresentação de moda de viola com a participação de vários violeiros da cidade. Com um repertório bem conhecido do público os violeiros arrancaram aplausos e demonstraram a importância das Violas de Queluz como patrimônio imaterial de Conselheiro Lafaiete.

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *