Hospital Raymundo Campos é reformado e ampliado para atender Ouro Branco e região

19

Mais de 2 milhões de reais foram destinados pelo deputado federal Padre João

 

Duas foram as emendas parlamentares destinadas à reforma e ampliação do Hospital Raymundo Campos, de Ouro Branco. Somados, os valores ultrapassam os 2 milhões de reais. As indicações foram feitas pelo deputado federal Padre João, parceiro do município.

A Proposta 069054/2011, no valor de R$ 942.727,00, foi para a reforma e estruturação da rede de serviços de atenção especializada. Já a proposta 069334/2011, no valor de R$ 1.060.090,67, é para ampliar o hospital e estruturar os serviços de atenção especializada em saúde.

Os pagamentos estão sendo feitos de acordo com a execução das obras. Da primeira proposta já foram pagos R$ 496.836,00 e da segunda, R$ 500.000,00. Boa parte da obra já foi realizada e vem na hora que a população mais precisa, diante da grave crise de saúde provocada pelo Covid-19 – coronavírus.

O deputado federal Padre João está sempre preocupado com a saúde da população de Ouro Branco e região e não mede esforços para melhorar estes serviços. “Estas emendas são de 2011 e são frutos da demanda da comunidade de Ouro Branco, do Partido dos Trabalhadores (PT), da Vereadora Nilma Aparecida e do empenho de Hideraldo Belini, ex-secretário de saúde. As obras já deveriam ter ficado prontas há muito tempo, mas, infelizmente, não houve a devida compreensão de sua necessidade por parte dos gestores locais”, afirma Padre João.

O deputado sempre defendeu o Sistema Único de Saúde (SUS). Envia, todos os anos, recursos para hospitais e postos de saúde de dezenas de municípios por meio de emendas ao orçamento. O parlamentar considera que o SUS sofreu um golpe violento com a aprovação da Emenda Constitucional 95 – Emenda do Teto dos Gastos – em 2016. Só com esta medida, o SUS perdeu 20 bilhões de reais em 2019. “Votei contra a PEC 241, quando ela passou pela Câmara”, enfatiza o deputado.

Segundo Padre João, “naquela época o SUS já enfrentava problemas. Imagina com menos recursos?! Não tem como! Por isso, precisamos reverter esta Emenda”, esclarece o parlamentar, que pontua: “Se não fosse o SUS, mesmo com menos recursos, a população mais pobre estava perdida diante desta pandemia do Coronavírus”, esclarece.

Padre João ainda conclui: “País que não investe em Educação e Saúde não vai a lugar nenhum. Sempre alertei que o golpe não foi só contra a democracia. Foi contra os pobres e mais fracos. Nosso compromisso é continuar trabalhando em benefício do nosso povo”, finaliza.