Descaso com usuário: vidro de proteção da escada da porta de ônibus da Presidente solta e fere passageira

27

É dura a vida de quem usa do transporte público em Lafaiete. A cidade pede socorro e uma fiscalização urgente do poder público a qualidade da frota da Presidente. Andar de ônibus virou risco de vida a cidade. Por volta das 19:20 horas, desta quinta-feira (02/08), a passageira Flaviana Martins, do ônibus coletivo número 418, que fazia a linha Morro da Mina /Paulo VI, acionou a Policia Militar na Avenida Pedro Celestino Nepomuceno na entrada do bairro Paulo VI para registrar a ocorrência.

Conforme o relato da passageira, ela embarcou no coletivo quando estava ainda no bairro Morro da Mina. Durante o percurso o ônibus acabou ficando superlotado, sem saber as causas, o vidro de proteção da escada da porta do meio do coletivo, soltou e atingiu o banco onde ela estava sentada. Antes de cair e estilhaçar, o vidro atingiu a sua boca, ocasionado a quebra de um dente e a tela do seu telefone celular que estava sendo manuseado.

Há menos de 10 dias, ônbius da Presidente estragou linha bairro Santa Rosa/Maternidade

O responsável pela operação do transporte da empresa no horário, Mauro Lúcio, compareceu ao local para prestar assistência mas passageira recusou a ser levada a Policlínica Municipal alegando que iria ser atendida por um clínico geral e não por dentista. Devido ao horário em que o fato aconteceu, esta seria a opção, porém ela preferiu deixar para o dia seguinte dizendo que iria procurar uma clínica odontológica para ​realizar o tratamento, disse ainda que vai questionar a empresa judicialmente.

A situação complicada

O final de maio, o novo gerente da Viação Presidente, Luiz Carlos Beato, participou da reunião da Federação das Associações de Bairro (Famocol), onde expôs a dura situação financeira, relatando na ocasião eu a empresa inicia suas atividades diárias já acumulando um prejuízo de R$ 8,3 mil inicial.

Ele citou que da frota de 53 ônibus que atendem as 27 linhas, 38 terão que ser trocados até março de 2019 pois são veículos com mais de 700 mil km rodados. Ele reconheceu que as condições dos ônibus estão aquém da qualidade exigida pelos usuários.

Quem fiscaliza a empresa Presidente? Os usuários estão reféns desta situação de penúria e descaso por que passam todos os dias.

  • Colaboração e foto: AFX Notícias