Justiça federal absolve Benito Laporte e ex vereador faz desabafo de que a verdade foi restabelecida

21
Benito deixa a sessão eleitoral após votação quando foi candidato a prefeito no ano passado/Arquivo

“A verdade foi restituída e minha dignidade resgatada”. Assim desabafou o ex vereador e médico Benito Nicolau Laporte ao comentar a decisão do juiz Federal Edilberto Barbosa Clementino, da 5ª Vara Federal de Foz do Iguaçu, no Paraná. No dia 18, ele julgou improcedente a ação movida pelo Ministério público Federal absolvendo e extinguindo qualquer culpa imputada a Benito Laporte das acusações sofridas.

Desde outubro de 2015, Benito responde a um processo na Justiça do Paraná sob a acusação de posse irregular de medicamento Cyptotec, de uso exclusivo em hospitais, tese agora sepultada de vez com a “canetada” do juiz federal, Edilberto Barbosa, encerrando o caso.

Na sentença de mais de 9 páginas, o juiz fundamenta sua decisão na qual “a tese de Benito é verdadeira, já que o medicamento misoprotrol, como solucionado no laudo pericial possui indicação farmocológica para tratamento de diversas doenças entre as quais de úlceras gástricas, gastrite, cicatrização de úlceras no duodeno e gastroenterites erosivas de doença péptica ulcerosa”.

O juiz abonou a conduta profissional ilibada de Benito Laporte nos mais de 30 anos de exercício profissional da medicina não tendo sofrido sequer uma penalidade na área perante o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais. “Como se vê Benito demonstrou de forma substancial a veracidade de sua tesa defensiva”, diz a sentença afastando hipótese de prática de suposto crime. “Ante o exposto, julgo improcedentes a pretensão punitiva estatal formulada na denúncia para fim de absolver Benito Nicolau Laporte”, finalizou o Juiz Federal Edilberto Barbosa ponto um fim a uma polêmica que se arrastava a quase 5 anos.

Desdobramentos

Benito recebeu com tranquilidade o resultado da sentença na semana passada. “Eu já esperava por esta decisão pelas contundências das provas já que sou inocente e arbitrariamente me acusaram de práticas que não condizem com minha índole. Mas o mais importante que a verdade dos fatos  sobressaíram para não deixar rastro de dúvida contra minha pessoa”, assinalou.

Em seguida Benito disse que já juntou todos os documentos pelos quais ele foi difamado e injuriado e pretende nas próximas semanas acionar, como frisou, “os seus caluniadores”, na Justiça para valer seus direitos fundamentais que foram violados. “Durante a eleição do ano passado fui vítima de um complô para derrubar minha candidatura. Aceitei calado esperando a sentença que enfim veio em uma hora oportuna para provar minha inocência. Mas não queiram passar pelos momentos que passei quando minha honra pessoal e minha conduta profissional foram aviltadas covardemente e sem provas. Me expuseram enquanto homem, profissional, cidadão, pai de família e ser humano. Não tive direitos de resposta apenas o força verbal caluniatória dos meus adversários. Quero deixar uma mensagem de otimismo que venci esta etapa da minha vida aos mais de 60 anos com uma folha de serviços prestados a medicina local e regional e ao município. Rogo a memória de meu pai, Alfredo Laporte, que me ensinou que acima de tudo os valores morais e éticos estão acima de qualquer disputa política e como homem deixo um legado de luta e trabalho pelos mais pobres de nossa cidade. A justiça tarda, mas não falta”, desabafou.

Falando sobre seu futuro político, Benito descartou a possibilidade de entrar na disputa para concorrer a deputado estadual em 2018. “Estamos fortalecendo um grande nome para uma candidatura a deputado estadual”, sinalizou.