Lafaiete: Prefeitura ganha reforço de caixa de R$2 milhões com nova taxa

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Novo tributo injetá cerca de 2 milhões nos cofres da prefeitura em 2020/ ARQUIVO

Ao contrário do ano passado, quando a Câmara rejeitou o Projeto de Lei que alteraria dispositivos no Código Tributário Municipal de Lafaiete, esta semana, por 8 votos a 4, os vereadores aprovaram a cobrança, a partir de abril de 2020, da Taxa de Licença para Localização, Instalação e Funcionamento (TLIF). O tributo, já existente, é cobrado por ocasião de abertura de empresa, alteração de endereço e mudança de atividade econômica. A partir da aprovação, ele passa ser cobrando anualmente junto com o alvará.

Pelos cálculos, a nova taxa deve incrementar a arrecadação própria em mais de R$2 milhões. Pelo projeto, até 100 m², será cobrado o valor da Unidade Fiscal do Município (UFM) que hoje está em torno de R$127,00. A partir desta metragem, há diversos parâmetros de cálculo. No projeto a prefeitura justificou a atualização o Código Tributário, da década de 80, “sempre na alternativa de alcançar a devida arrecadação, visando a independência financeira”.

Discussão acalourada

Desde setembro em tramitação na Câmara, o projeto de lei gerou uma discussão acalourada na noite desta quinta feira. O vereador João Paulo Pé Quente (DEM) justificou que a nova taxa atende a u Termo de Ajustamento de Conduta (TAG), assinado entre o Município e o Tribunal de Contas, onde o prefeito Mário Marcus (DEM) se comprometeu, sob pena de sanções, a melhorar a arrecadação. “Isso atende uma exigência. Sou um defensor dos empresários, mas temos que melhorar o desempenho das nossas

O vereador Alan Teixeira foi contrário a cobrança da nova taxa / ARQUIVO

finanças até mesmo para atender as demandas”, observou. O Vereador Chico Paulo (PT) considerou justa a cobrança. “Tem empresários que não paga imposto”, assinalou. A vereadora Carla Sassi (PSB) considerou que a aprovação seria uma urgência do Município em melhorar suas finanças, atendendo as orientações do Tribunal de Contas.

O Vereador Alan Teixeira (sem partido) apresentou uma emenda contrária a criação da taxa.  “Estamos em um momento de crise.Não é hora de taxar nossos empresários neste momento de turbulência da economia. Temos tantos contribuintes que possuem prédios e pagam por lotes. Acredito que a alternativa é a prefeitura investir na atualização de sua planta imobiliária, através do geo-referenciando e implantar justiça tributária”, avaliou.

Alan cobrou que a aplicação da lei, aprovada pela Casa, que protesta dos devedores de tributos municipais. “Até agora nãoi via a aplicação desta lei que pode melhorar a arrecadação”, concluiu.

João Paulo contestou seu colega afirmando que está sendo implantado o georeferenciamento com drones sobrevoando diversos bairros.  “Os empresários já têm uma alta carga tributária e esta cobrança vai penalizar o comércio, porém pouco representará para o município”, justificou Darcy da Barreira (SD).

Segundo informações, Lafaiete é uma das poucas cidades da região que não cobra anualmente a Taxa de Licença para Instalação, Funcionamento e Fiscalização de Atividades (TLIFLA).

 

Leia mais:

Em favor dos comerciantes, Câmara de Lafaiete rejeita projeto que cria de nova taxa

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Um comentário em “Lafaiete: Prefeitura ganha reforço de caixa de R$2 milhões com nova taxa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *