Mulheres armadas assaltam na Francisco Lobo e moradores cobram iluminação e limpeza na rua

16
Local de vários assaltos, com um longo trecho sem iluminação suficiente/Reprodução
Local de vários assaltos, com um longo trecho sem iluminação suficiente/Reprodução

A noite de ontem foi de terror para duas garotas que voltavam pra casa passando pela rua Francisco  Lobo, quando por volta de 23:45h elas foram abordadas por duas mulheres armadas, logo no começo da rua, num local onde existe um matagal invadindo o passeio e a iluminação é precária, como de toda a via. A gritaria pela rua chamou atenção de toda vizinhança, que atônita viu as garotas descerem gritando em desespero e chorando muito. Alguns moradores se solidarizaram e foram atrás das meninas, e por sorte, uma viatura foi avistada pelo caminho e acionada para socorrer as moças.
A polícia fez um rastreamento pela região mas não encontrou as autoras, que provavelmente fugiram em um carro que estava estacionado perto do local, segundo uma testemunha que viu as criminosas subindo a rua correndo, mas não sabia do que elas tinham feito. O fato é que este não é o primeiro e pelo visto não será o último assalto na redondeza, o que já está se tornando costumeiro pela falta de iluminação adequada, limpeza e colocação de passeios no início da rua.

A travessa entre a rua Miguel Garcia e a Francisco Lobo, é um trecho que deve ser evitado a qualquer hora do dia. Não tem uma lâmpada ou poste sequer. As autoridades já foram alertadas, inclusive pelo Radio Jornal Folha de Queluz, que em cobrando a retirada de uma moita de bambu do local, que obriga as pessoas a passarem na rua. Além de entulho e lixo, existe um buracão neste local, colocando em risco a integridade física das pessoas que por ali passam.

A comunidade pede providência para os fatos, pelo menos o assalto de ontem, que pode ser que tenha sido filmado por uma câmera existente no prédio perto do local. A construção de passeio no local já solicitada junto à prefeitura várias vezes, por um dos moradores da rua, com protocolos e registros na secretaria de obras, que até hoje ainda não deu resposta ao apelo da população, que espera que a nova administração olhe para  a região com muita atenção.

Fonte: Folha de Queluz