Nível do Rio Maranhão cai apesar das chuvas constantes

11

 

A Defesa Civil de Congonhas continua orientando a população, monitorando os rios e realizando vistorias durante este período de chuva. Nesta terça-feira, 19, as estações hidrológicas registraram elevação média de apenas 37 cm acima do volume normal do rio Maranhão, que é de 2 metros de profundidade. No domingo, 17, a elevação chegou a 1.51 m. O tempo chuvoso continua durante toda a semana. O Climatempo previu volume de 12 mm para esta terça e 15 mm para esta quarta. De quinta a sábado, o instituto prevê menos chuvas em Congonhas.

Nessas segunda e terça, a Defesa Civil realizou 26 vistorias pela cidade. Foram registrados deslizamentos de barrancos, desabamento de muros e quedas de árvore. Além disso, uma casa teve que ser interditada. “Continuamos monitorando o tempo e o volume de água por meio do Sistema de Meteorologia de Recursos Hídricos de Minas Gerais (SIMGE) e das estações pluviométricas e hidrológicas do Cemaden”, reforça José Pedro Miranda, que coordena os trabalhos da Defesa Civil neste início de ano.

Chuva forte atingiu Congonhas no fim de semana

No fim de semana, a equipe da Defesa Civil ficou de plantão para orientar os moradores e monitorar o nível dos rios. As estações hidrológicas do Centro Nacional de Monitoramente e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) chegaram a registrar elevação média de 1.51 acima do volume normal do rio Maranhão no domingo, 17. Foi registrado alagamento do rio na Vila Marques, onde algumas casas foram atingidas, e no trecho que corta a zona urbana de Santa Quitéria. O córrego Macaquinhos transbordou na altura do trevo do Jardim Profeta e impediu a passagem de veículos e pedestres.

 

Plano de Contingência

O Plano de Contingência está sendo executado conforme previsto, com cada setor da Prefeitura e da sociedade civil fazendo sua parte: Secretaria de Gestão Urbana (através da Defesa Civil Municipal: monitoramento e vistorias), Secretaria de Obras (pessoal e maquinário), Secretaria de Educação (cessão de prédios das escolas municipais para servirem de abrigos), Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (distribuição de alimento, vestimentas e roupa de cama, encaminhamento de possíveis vítimas à rede de saúde para atendimento), Secretaria de Saúde (atendimento médico), Secretaria de Comunicação e Eventos (cobertura jornalística nos locais atingidos e veiculação das notas oficiais).

A Defesa Civil de Congonhas está em contato direto com os órgãos de Conselheiro Lafaiete e de Jeceaba para acompanhamento da elevação do nível dos rios Bananeiras e Paraopeba.

Foto:divulgação