Novo capítulo: promotoria propõe TAC com a CSN Mineração para corrigir falhas em barragem apontadas por perícia

10
Novo capítulo: promotoria propõe TAC com a CSN Mineração para corrigir falhas em barragem apontadas por perícia/Reprodução
Novo capítulo: promotoria propõe TAC com a CSN Mineração para corrigir falhas em barragem apontadas por perícia/Reprodução

Em reunião realizada ontem a tarde, dia 9, em Belo Horizonte, o Ministério Público Estadual de Minas Gerais (MPMG), através dos promotores do de meio ambiente, propôs um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a CSN Mineração para corrigir falhas apontadas em perícia em barragem. O laudo do Ministério Público cita que o plano de ações emergenciais não foi cumprido e que os moradores próximos ao empreendimento não foram treinados, como faltam clareza no estabelecimento de rotas de fuga, pontos de encontro, sinalização e sistema de alerta. A direção da CSN está estudando a proposta e hoje acontece mais uma rodada de negociações. Divergências e cobranças O Capitão da 2ª Cia dos Bombeiros de Lafaiete, Ronaldo Nazaré, relatou aos vereadores no mês passado, na Câmara Municipal, a resistência da CSN em realizar treinamentos externos com os moradores em caso de evacuação dos locais de risco. Aí vem a divergências de estudos e laudos. Há 15 dias o engenheiro de Minas do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Wágner Nascimento, afirmou, ao presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Glaycon Franco (PV), que a barragem da CSN, não oferece riscos à população da cidade.

A informação foi dada em visita realizada ao local na tarde do dia 18 de setembro. A comissão esteve no local motivada por denúncias apresentadas por moradores de que a barragem Casa de Pedra estaria apresentando infiltrações em sua base, o que poderia levar riscos a bairros localizados a menos de 1 km do dique de contenção. Entre as informações diversas, a prefeitura divulgou nota na sexta feira passada, dia 6, que estará convocando uma reunião, nos os próximos dias com os representantes de órgãos que vistoriaram a Barragem Casa de Pedra, como DNPM, FEAM, Corpo de Bombeiros, Ministério Público e a ALMG, além da empresa responsável, para “confrontar as informações destoadas que estão sendo divulgadas pela mídia e que podem provocar pânico nas pessoas”. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Neylor Aarão, “quanto a estabilidade da barragem e a segurança das pessoas, não pode haver dúvidas. Queremos confrontar as informações destes órgãos, para que possamos ter tranquilidade quanto ao que é verdade e o que não é. Cada um vem na cidade, faz um levantamento e vai embora. Nós ficamos aqui sem saber o que está acontecendo, se estamos seguros ou não. E muitas vezes parece que alguns órgãos se preocupam mais em procurar os veículos de comunicação para uma exposição na mídia, do que com a segurança das pessoas, porque nós que estamos mais próximos somos os últimos a ficarmos sabendo das informações. O que queremos nada mais é do que conhecer a verdade em relação à segurança”, finaliza Neylor.