Parceria entre Prefeitura de Congonhas e ASCACON beneficia catadores e a cidade

17

Catadores Congonhas1O Governo Municipal renovou pela segunda vez o contrato com a Associação dos Catadores de Papel e Materiais Recicláveis de Congonhas (ASCACON). O repasse, já com o reajuste de cerca de 11%, tem valor aproximado de R$ 19 mil mensais líquidos e se destina à manutenção da entidade. Com este apoio, os catadores passaram a ter uma renda mensal em torno de R$ 1 mil. Antes esta não passava de R$ 300,00. O Aterro Sanitário Municipal e as atividades que são desenvolvidas lá são coordenados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, por meio das diretorias de Meio Ambiente e de Trabalho e Renda.

O trabalho da ASCACON beneficia ainda catadores que atuam em pontos estratégicos, como supermercados e sacolões da cidade. Um rápido ato simbólico reuniu os associados e o Governo Municipal, nesta quinta-feria, 12, na usina de triagem, situada no complexo do Aterro Sanitário Municipal e que é utilizada pela associação.

Atualmente, cerca de 39 toneladas de material reciclável são comercializadas por mês pela ASCACON. A presidente da entidade lembra que, antes deste contrato firmado na atual Administração Municipal, “cada catadora recebia somente o valor arrecadado com a venda do material reciclável, que chegava no máximo a R$ 300,00. Então só temos a agradecer ao Governo Municipal. Estes trabalhadores realizam a separação, triagem e compactação do material, que é vendido para as empresas recicladoras CRB, WHARGOS e Santa Maria, de Belo Horizonte”.

O primeiro contrato começou a ser elaborado no início da atual Administração Municipal e posteriormente foi enviado à Câmara Municipal que o aprovou. Com isso, é garantida a inclusão social de várias famílias, gerando renda. A estrutura com a qual a ASCACON conta no Aterro Sanitário Municipal é oferecida por outras poucas cidades. No galpão há prensa, esteira, carrinhos, além do maquinário da própria ASCACON. A Prefeitura ainda leva todo o material da coleta seletiva até a usina.

Lixão Congonhas

Há ainda um grande ganho ambiental com todo esse processo. Quanto mais se recicla, menos resíduos contaminam mananciais e o solo da região. É um investimento importante do Governo Municipal em todo o complexo do Aterro Sanitário Municipal que muitas pessoas não conhecem, nem sabem que existe este trabalho lá.

O trabalho realizado em Congonhas está se tornando referência para outras cidades da região, como Ouro Branco, Conselheiro Lafaiete, Entre Rios de Minas, São Brás do Suaçuí e Jeceaba, que estão em fase de implantação da coleta seletiva. Além disso, alunos da rede municipal de ensino, do IFMG e trabalhadores da CSN e da Ferrous fazem visitas ao Aterro Sanitário Municipal para conhecer todo este trabalho. Profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável vão às escolas ministrar palestras e trocar experiências com estudantes e professores sobre o tema. Somente em 2015, foram ao Aterro Sanitário cerca de 40 ônibus de visitantes.

Com o licenciamento do Aterro Sanitário, que entrou em operação em fevereiro deste ano, as dependências da usina de triagem agora poderão receber melhorias, como reformas no banheiro e na cozinha.

Fotos:Divulgação/SECOM