Resgate dignidade: Prefeitura de Congonhas entrega moradias populares

21

casas-populares-em-cong

O Governo Municipal, através da Secretaria de Habitação, e as Associações Comunitárias Nossa Senhora Aparecida, do Residencial, e Doutor Joaquim Murtinho, entregaram aos moradores, na semana passada, as primeiras quatro casas do bairro, das oito reconstruídas graças ao Programa Mão Solidária. Esta é uma ação complementar do Programa de Urbanização, Regularização e Integração de Assentamentos Precários dos bairros Alvorada e Campinho / FNHIS.

As quatro residências restantes deverão ficar prontas até o final de dezembro. O convênio entre a Prefeitura e as duas associações beneficia proprietários de residências em risco de desabamento. Além do bairro Alvorada, esta parceria já beneficiou outras 20 casas do Residencial, que receberam pequenos reparos. Em 2014, a Prefeitura investiu no programa R$ 136 mil, enquanto que em 2015 e 2016, R$ 260 mil em cada.

casas-populares-cong-2

“A Prefeitura repassou quatro parcelas de R$ 65 mil as duas entidades para recuperação dessas oito casas do bairro Alvorada. Enquanto as casas eram totalmente demolidas e reconstruídas desde a base, as famílias contempladas estavam incluídas no Programa Municipal de Retirada de Famílias da Área de Risco de Desabamento (PROFAR), desenvolvido pela a Secretaria Municipal de Habitação”, diz o Secretário, Anivaldo Coelho.

O casal Evaldo Braga e Maria de Fátima Ferreira Nepomuceno possuem um filho com deficiência e agora recebeu uma residência adaptada às necessidades dele. “Nossa casa tem rampa de acesso, laje pré-moldada e telhado colonial, portas largas e banheiro adaptado. Gostamos do jeito que ela ficou, nem acreditamos que é nossa mesmo”, comemoram. Do lado, fica a moradia do pai José Guadalupe e Aparecida Nepomuceno, que também foi jogada ao chão e reconstruída.

casas-populares-cong-3

Em frente, fica a moradia de dona Maria Dalva, que tem problema de visão, e que por isso ganhou uma extensa rampa, da rua à porta de entrada. “Minha casa estava toda ruim, com alicerce danificado, ou seja, estava quase caindo. Fiquei aproximadamente três anos morando de aluguel. Agradeço muito à Prefeitura, através da Secretaria de Habitação, e as associações do Residencial e Murtinho, porque agora estou no paraíso. Antes, se tivesse uma chuva de vento, mais forte que essa de hoje, eu corria risco”, comenta.

casas-populares-cong-4

Em outra rua do Alvorada, mora Cleuza de Fátima Balbino, que também é beneficiária dos Programas/ FNHIS e Mão Solidária. “Minha casa era toda trincada, sem reboco, não havia janelas assentadas, apenas um pano para segurar sol, vento e chuva. O teto era de telha de amianto. O chão, de terra batida. Não tinha banheiro, eu precisava esquentar a água pra dar banho nos meninos. Agora a casa ficou excelente. Agradeço ao prefeito Zelinho e ao Secretário Anivaldo Coelho, além das associações de moradores que nos ajudaram”, diz sorridente.