Sangue novo: prefeito eleito defendeu união de forças e adiantou que será prefeito 100% presente

11
Mário Marcus e Marco Antônio cobraram um governo de união/Foto:Fato Real
Mário Marcus e Marco Antônio cobraram um governo de união/Foto:Fato Real
Mário Marcus e Marco Antônio cobraram um governo de união/Foto:Fato Real

Diálogo, participação, disponibilidade e presença. Assim resumiu o prefeito eleito, Mário Marcus (DEM) traçando as linhas norteadoras de seu governo. Nesta manhã, ele concedeu sua primeira entrevista coletiva a imprensa. Ainda com voz rouca, Mário Marcus falou em tom de entusiasmo. Ao que parece a campanha ainda brotava em seu discurso.

Ele discorreu sobre coragem, vontade de trabalhar, defendeu a união das forças políticas, pregou a transparência e participação popular em seu governo. “Serei um  prefeito presente em todas as áreas, em todos os bairros, dialogando diretamente com a população, com as entidades, associações e a Câmara Municipal. Mais que os 35 mil votos que tive seremos um governo de toda Lafaiete indistintamente”, pontuou. “Desde o início me coloquei como vitorioso”, observou, destacando o papel desempenhado pelo deputado Glaycon Franco e seu vice, Marco Antônio.

Ele enumerou que as principais preocupações ouvidas da população foram saúde, segurança, geração de empregos e educação.

Sucesso da administração depende do deputado Glaycon Franco/Foto:Fato real
Sucesso da administração depende do deputado Glaycon Franco/Foto:Fato real

Márcio Marcus frisou que vai apoiar as entidades sociais esportivas e culturais. Pela fala, ele deve investir no resgate do carnaval e volta dos campeonatos promovidos pela Liga de Desportos. “Acreditamos que com criatividade no primeiro momentos vamos resolver diversos problemas. Sabemos das dificuldades, mas não vamos culpar a crise. O nosso governo será diferente”. Ele frisou que vai manter atividades permanentes no parque de exposição. “O que falta é boa vontade e presença”, discorreu. Mário também disse que não fez propostas que não pudesse executar.

Apoio a cultura

A cultura foi uma de suas principais prioridades em seu governo. Ele disse que vai buscar recursos para os prédios históricos abandonados e apoiará os talentos e manifestações.

Transição e secretariado

O novo prefeito adiantou que vai buscar na sociedade os nomes como capacidade e articulação para compor seu governo e que nas próximas semanas inicia o governo de transição. Ele quer o mapa completo da administração.

Obras

Mário disse que vai buscar na engenharia de tráfego projetos para melhorar o trânsito, investir no urbanismo e na infra estrutura. Uma de suas principais prioridades logo no início do governo será retomada do hospital regional. Também criticou a situação da usina de lixo e da frota municipal.

Ao se questionado se pode assumir sem a Certidão Negativa de Débitos (CND), o que impede a prefeitura de celebrar convênios. “Vamos assumir com os pés nos chãos, sabendo das dificuldades. Nós não vamos perder quaisquer recursos”, comentou. Ele defendeu que Lafaiete assuma seu protagonismo regional, liderança perdida nos últimos anos. “Vamos unir forças com todos os prefeitos. Lafaiete estará em uma nova era a partir de 1º de janeiro. Queremos todos unidos conosco. Teremos uma prefeitura aberta e transparente”, finalizou.

O vice e o deputado

Antes do discurso do novo prefeito, o vice prefeito, Marco Antônio (PSDB), destacou o momento ímpar de Lafaiete. “Acredito em nossas propostas. As dificuldades nos deixam entusiasmados para superá-las”, disse.

Já o deputado Glaycon Franco pregou um governo de união e o fortalecimento do espírito regional. “Vamos dar o suor e as lágrimas pelo progresso de Lafaiete”, finalizou, hipotecando total apoio a chapa vencedora.

Fotos:Fato real