Sem censura – Quem serão os candidatos em Lafaiete? Acordo entre vereadores e prefeito Ivar pode por fim a Comissão Processante

15

] ] ]

O retorno

  Depois uma breve interrupção, nossa coluna volta revelando os bastidores da política sempre sob um prisma crítico e ângulos inusitados. Então, vamos que vamos!

 

] ] ]

 

Eleição I

A semana foi bem agitada no mundo político local, principalmente no grupo do prefeito Ivar. O seu vice, Darci Tavares, conforme manda a lei, desincompatibilizou-se do cargo de secretário de educação para dedicar-se integralmente a reeleição da chapa. Já Zilda Helena deixou as fileiras do PT para ingressar na sigla do prefeito, o PSB. Como não desincompatibilizou-se a tempo ela não será candidata a qualquer cargo. Porém sua ida para o PSB mostra fidelidade com o prefeito, já que tornaram-se grandes amigos justamente no Governo Júlio Barros quando Zilda discordava integralmente das atitudes do ex prefeito.

 

] ] ]

Eleição II

 Ao que tudo indica, Ivar e Darci vão reeditar a dobradinha vencedora 2012. Esta semana a principal especulação foi de que Ivar não seria mesmo candidato a reeleição, como sempre pontuou esta coluna. Ivar até chegou contestar este colunista, mas ele sempre deu pista, pelo seu comportamento, que não seriai candidato. Mas ao que parece contra tudo e contra todos, diga ao povo que seria candidato. Tanto que Darci ocupa bem mais espaço na mídia do que ele. Assim caminha Ivar remando contra todos que apostavam que não disputaria o pleito. Alguns mais próximos, dizem, que por ele mesmo, ele não entraria. Mas a pressão do grupo falou mais forte. Ele sentiu na pele o que é ser prefeito. Saiu de estilingue durante anos e agora experimentou ser vidraça.

 

] ] ]

Eleição III

Pelo quadro sucessório, Lafaiete terá pelos menos 3 candidatos, cada qual de uma corrente política. De um lado, Ivar e Darci. De outro, a Frente de Esquerda com um pretendente. Não se espantem se Júlio Barros assumir de vez a sua candidatura a prefeito. Ele sofre pressão de todos os lados inclusive do PT estadual. Isso sem contar o assédio popular.Nesta hipótese, Benito é o mais cotado para ser seu vice. E ele aceitaria com total prazer.No terceiro campo, vem o “grupão”, liderado por Glaycon Franco. Ao que tudo indica pipocam no “grupão” vários nomes com Wesley Luciano, Vicente Faria, Dimas Marioza e o vereador Pedro Loureiro, que recentemente se desincompatibilizou de um cargo que tinha no Estado. Até falam em uma dobradinha de Wesley/Pedro. Ainda temos Eddie, mais conhecido como “Gato” que não abre mão de sua candidatura, e de Ana Lúcia, que mesmo que remotamente, pode entrar na disputa.

 

] ] ]

Eleição IV

Ainda resta esperança na união do “grupão” e da frente de esquerda? Esta coluna sempre ventilou que seria uma árdua tarefa para o nosso deputado tentar colocar no mesmo barco político tantos adversários históricos. Como ironizou o prefeito Ivar, quando Júlio defendeu uma união com Vicente Faria e Zé Milton, de que água e óleo não se misturam.

] ] ]

Eleição V

Na Tribuna da Câmara, Tarciano Franco voltou a afirmar de que é candidato a prefeito. Zezé do Salão também fez o mesmo comentário esta semana de sua intenção de entrar na disputa. Tarciano se posicionou que não irá apoiar o ex prefeito Júlio Barros por incompatibilidade ideológica. Franco é um dos principais críticos contundentes na Câmara da Presidente Dilma e do PT.

 

] ] ]

Rota de colisão I

O ambiente interno na Câmara não é mais o mesmo desde as últimas sessões, em especial a acorrida ontem, dia 7, depois de um tremendo bate boca sem fim os vereadores decidiram pelo fim do 13º para as próximas legislaturas. Após mais de uma hora de discussão em torno do requerimento do “vereador bomba”, Zezé do Salão, que pedia que a mesa apresentasse um projeto para extinguir o 13º de vez, a casa caiu, literalmente. Os vereadores deixaram o recinto da Casa rapidamente. No ar sentia um gosto de confronto, rivalidade, ciúme, falta de companheirismo… Mais de 2 anos depois, quando em 18/12/2013, foi aprovado o 13°, até o hoje os vereadores não se entendem quando este é o assunto em comum. Realmente os representantes não superaram a chaga aberta do desgaste da aprovação do 13º.

] ] ]

Rota de colisão II

Ao colocar o 13º no radar das discussões populares e na pauta da mídia, os vereadores dão um tiro no próprio calcanhar já que o período pré eleitoral vai inverter os propósitos colocando a extinção do benefício como medida meramente eleitoreira. “Tá vendo como os vereadores erraram e agora querem corrigir o erro. Mas isso é só por causa da eleição”, podem interpretar os eleitores no imaginário popular. O estrago será ainda maior para a Câmara expondo suas mazelas. Agora é o seguinte: se ficar o bicho pegar se correr o bicho come. E cada que se salve. E olha que ainda faltam as votações do requerimento da diminuição do recesso e obrigatoriedade de cumprir 20 horas semanais na Câmara. Não vai sobrar pedra sobre pedra na Câmara. Aguardemos o desenrolar dos fatos.

] ] ]

Acordo?

O prefeito Ivar, que foi por duas veze vereador, e a Câmara estão agora em lados totalmente opostos. O gestor é alvo de uma CPI que tem contundentes denúncias, e uma Comissão Processante (CP) que estava prestes a ser arquivada, mas Carlos Magno e Boaventura votaram pela sua continuação. Na quinta feira, dia 7, o prefeito foi pessoalmente a esta CP para prestar seu depoimento. Ao que apurou nossa reportagem está em curso um acordo que vai por fim a CP. O prefeito decidiu recuar e vai enviar a Casa um projeto pedindo aos vereadores autorização para contratar monitores educacionais de inclusão. Se o prefeito insistisse no prosseguimento da CP poderia dar com os burros na água, já que não conta com nenhum vereador em sua base. Se não conseguir estancar a CP o relatório final vai votação no dia 28/4.

] ] ]

Sem base

O prefeito Ivar sofre uma incomum diferença com seus antecessores. Vicente Zé Milton tinha base. Júlio tinha gatos pingados na Casa. Mas Ivar nãoa tem base nenhuma. Até mesmo, João Paulo, seu afilhado, é um dos neo oposicionistas, como também Sandro José. Um foi parar no colo de Vicente faria e o outro no ninho tucano. Toninho do PT ironizou a saída de Pé Quente do PSB. “Ivar perdeu um dos bons quadros do seu partido que até poderia ocupar uma pasta, mas ele veio tarde para a oposição”. Um dos poucos que ensaia um elogio público é Gildo Dutra (PV), que também recentemente disse que não pertenceria a base já que seu partido é ferrenho opositor a Ivar. Mas o prefeito Ivar não apostava na fúria dos vereadores e subestimou a capacidade de reação da Câmara ao aprovar duas comissões que lhe vai render muita dor de cabeça.

 

] ] ]

Sem defesa

Como se explica: porque ao contrário da presidente Dilma que é defendida pelo Advogado Geral da União, José Cardozo, no processo de impeachment, e o prefeito não pode usar o procurador do município em sua defesa na CPI e CP? Os dois não teriam cometido crimes/irregularidade no exercício da função?

 

] ] ]

Merenda escolar

Circulam rumores de irregularidades na merenda escolar. O assunto já ganhou as discussões da Câmara. João Paulo Pé apresentou esta semana um requerimento bombástico de uma possível investigação do Ministério Público Federal sobre a existência de um inquérito para apurar possíveis desvios na merenda escolar. As denúncias que chegam são que em muitas escolas faltam livros e merenda escolar.

] ] ]