Serra do Ouro Branco: fotos reforçam que incêndio pode ter sido criminoso, mas parque clama de investimentos em segurança

7
Serra do Ouro Branco: fotos reforçam que incêndio pode ter sido criminoso, mas parque clama de investimentos em segurança/Divulgação

Imagens feitas por um militar do Corpo de Bombeiros podem ajudar na elucidação das causas do incêndio que devastou o Parque Estadual da Serra do Ouro Branco, entre os dias 7 a 12 de setembro.

As fotos distribuídas a imprensa agora pelo comando da 2ª Cia, de Lafaiete mostram uma pilha de lenha preparada para colocar fogo reforçando a tese de crime. As imagens foram captadas quando o bombeiro precisou ir a um curso d’água para encher a bomba costal, durante o combate a incêndio. As causas do incêndio estão sendo apuradas oficialmente.

Em outra vertente de reflexão é que o incêndio chama a atenção do Estado para as responsabilidades socioambientais para implantação efetiva do Parque Estadual da Serra do Ouro Branco. Com quase 10 anos de constituição, o parque necessita de investimento em monitoramente e segurança.

Para atuar no incêndio, o Governo Estado usou da estrutura da Força Tarefa Previncêndio  ( FTP) é um Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais instituído para desenvolver as atividades de prevenção e combate a incêndios florestais, durante o período crítico de ocorrência de incêndios florestais, nas Unidades de Conservação sob responsabilidade do Estado, nas áreas de relevante interesse ecológico ou em áreas florestais que coloquem em risco a segurança das pessoas, o meio ambiente e o patrimônio da comunidade.

A FTP é constituída pela Secretaria de Estado Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMAD; Instituto Estadual de Florestas – IEF; Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais – CBMMG; Polícia Militar de Minas Gerais – PMMG; Polícia Civil do Estado de Minas Gerais – PCMG; e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil – CEDEC.