Aumento nas pensões e aposentadorias do INSS são revistos para a alegria dos idosos

Supremo Tribunal Federal (STF) está prestes a retomar o julgamento da revisão da vida toda pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), trazendo expectativas para aposentados e pensionistas em busca de aumentos significativos em seus benefícios mensais.

O julgamento aborda a revisão no cálculo de benefícios do INSS, especialmente a consideração das contribuições realizadas antes de 1994. As regras atuais excluem essas contribuições no cálculo das aposentadorias, norma implementada a partir de 1999

Muitos aposentados e pensionistas do INSS, cujas maiores contribuições ocorreram antes desse período, enfrentaram perdas substanciais com essa mudança. O instituto busca limitar as mudanças no cálculo após decisão do STF em 2022, entrou com recurso, resultando na paralisação de todos os processos de revisão. 

O desfecho sobre a aplicação da alteração aguarda o término do julgamento em andamento. Diversos ministros já apresentaram suas teses no julgamento. O ministro Alexandre de Moraes, por exemplo, propôs um marco temporal para os aposentados, permitindo que escolham a regra mais vantajosa.

A data de retomada do julgamento, a ser definida neste mês, traz esperança aos aposentados e pensionistas. Ficar informado sobre essas questões é essencial para proteger direitos e explorar as opções disponíveis Continue acompanhando para mais detalhes sobre benefícios do INSS.

Impactos da nova revisão da vida toda do INSS

A revisão da vida toda, em discussão, destaca a problemática do fator previdenciário, criado para conter os pedidos de aposentadoria, mas que, na prática, resultou na diminuição dos benefícios. 

A fórmula, considerada “esdrúxula” pela CNTM, levava em conta idade, tempo de contribuição, expectativa de vida e sobrevida. Até 2019, a reforma da previdência de Bolsonaro aposentou por tempo de contribuição sob essa fórmula, reduzindo benefícios.

Apesar da reforma, em casos específicos, o fator previdenciário ainda pode ser aplicado, mas com limitações. O processo em discussão destaca que a fórmula aprovada, devido à sua complexidade, dificulta a compreensão pelos trabalhadores, além de reduzir significativamente os valores dos benefícios.

Os advogados que buscam a revisão da vida toda estão apreensivos com o posicionamento do ministro Luís Roberto Barroso, atual presidente do STF, no contexto da ação que trata do fator previdenciário. 

Barroso sustenta que, se declarada a inconstitucionalidade do artigo 3º da Lei 9.876, não seria viável permitir ao segurado escolher entre as regras, conforme proposto na revisão da vida toda

O processo 1.012, ligado à revisão da vida toda, está vinculado ao 2.111, gerando preocupações sobre o desfecho dessa questão técnica para os segurados.

Quem tem direito à revisão da vida toda do INSS?

Tem direito à revisão, qualquer pessoa que receba um dos seguintes benefícios a partir de 1999, como:

  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Aposentadoria por idade;
  • Aposentadoria especial;
  • Aposentadoria por invalidez;
  • Auxílio-doença;
  • Pensão por morte;

revisão da vida toda pode trazer benefícios a muitos brasileiros aposentados, mas antes de entrar com a revisão na Justiça Federal é preciso:

  • Realizar o cálculo para ter certeza que a revisão é boa para você;
  • Encontrar um advogado de sua confiança para ingressar com a ação (se atente com quem promete milagres, no direito trabalha-se com possibilidades e não certezas);
  • Estar ciente que apesar de muitos julgamentos favoráveis, esta ação não está ganha.

Análise da revisão da vida toda do INSS

Para conferir se o valor da aposentadoria seria superior ou inferior ao se afastar da regra de transição, é necessário realizar o cálculo previdenciário de cada cliente individualmente.

Pois, ainda não existe uma regra geral que permita saber se o resultado é favorável ou não, sem calcular. Existem apenas dois indícios, entretanto, não são absolutos:

  • Caso os salários de contribuição anteriores a julho de 1994 sejam mais altos que os demais;
  • Caso o cálculo tenha caído no “divisor mínimo”.

Sendo assim, o auxílio de um advogado previdenciarista é essencial para realizar estes cálculos, e encontrar os benefícios mais viáveis a cada cliente, junto aos melhores honorários.

Modelos de revisão do INSS

O INSS realiza diferentes tipos de revisão em seus processos. Alguns dos principais tipos de revisão são:

  • Revisão da Vida Toda: busca incluir no cálculo da aposentadoria as contribuições realizadas antes de julho de 1994, que não eram consideradas no cálculo anterior.
  • Revisão de Benefício por Incapacidade: avalia a possibilidade de aumentar o valor do benefício por incapacidade, levando em conta a possibilidade de um aumento na renda do segurado.
  • Revisão de Teto: verifica se o valor do benefício do segurado está de acordo com o teto estabelecido pela Previdência Social.
  • Revisão de Buraco Negro: busca corrigir possíveis erros no cálculo da aposentadoria, levando em conta as contribuições realizadas entre julho de 1975 e junho de 1991.
  • Revisão de Auxílio-Doença: avalia se o segurado ainda está incapacitado para o trabalho e, portanto, tem direito a continuar recebendo o benefício.
  • Revisão de Aposentadoria Especial: verifica se o segurado que trabalhou em atividades consideradas insalubres tem direito a uma aposentadoria com tempo de contribuição reduzido.

FONTE FDR

Novas Regras Do INSS Para Aposentadoria Por Invalidez em 2024: Saiba Quem Tem Direito

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), organização responsável pela concessão de benefícios aos trabalhadores brasileiros, informou recentemente que as regras para a concessão da aposentadoria por invalidez sofreram importantes alterações. Isso significa que a lista de condições que dão acesso ao benefício foi ampliada, o que demanda atenção extra por parte dos segurados interessados.

Quem pode receber a aposentadoria por invalidez?

Para ter direito à aposentadoria por invalidez, o segurado deve preencher uma série de requisitos, incluindo a capacidade total e permanente para o trabalho. Assim, para ser qualificado para este benefício, o trabalhador deve ser incapaz de retomar suas atividades profissionais anteriores e não pode ser reabilitado para outra função.

Na maioria dos casos, as pessoas que têm direito à aposentadoria por invalidez identificam essa possibilidade enquanto estão recebendo o auxílio-doença e fazendo o tratamento médico adequado. Se, ao longo desse processo, constatar-se a impossibilidade de melhora, o segurado pode solicitar a conversão do auxílio-doença para aposentadoria por invalidez.

Doenças que garantem a aposentadoria por invalidez em 2024

A lista de enfermidades reconhecidas para a concessão da aposentadoria por invalidez inclui doenças graves, como AIDS, alienação mental, cegueira, câncer, cardiopatia grave, doença de Parkinson, esclerose múltipla, hepatopatia grave, entre outras. Contudo, essa lista é flexível, permitindo que outras condições sérias de saúde também possam dar direito ao benefício.

Valor da aposentadoria por invalidez em 2024

A quantia mensal da aposentadoria por invalidez é estabelecida pela regra que concede até 60% do salário do benefício, com adicional de 2% para cada ano de contribuição que exceda 20 anos para os homens e 15 anos para as mulheres. É importante ressaltar que, se o segurado estiver sob as regras anteriores à Emenda Constitucional 103/2019, provavelmente, o valor do benefício será mais vantajoso.

Como solicitar a aposentadoria por invalidez em 2024?

Para requerer a aposentadoria por invalidez, é necessário agendar uma perícia médica por meio do site ou do aplicativo Meu INSS, ou ainda pela Central de Atendimento 135. O laudo pericial é o documento central para comprovar a incapacidade do segurado e, assim, permitir a concessão do benefício.

Vale lembrar que o auxílio-doença é o primeiro passo para obter o benefício definitivo, já que possui os mesmos requisitos que a aposentadoria por invalidez. Posteriormente, caso seja constatada a incapacidade definitiva do segurado, a aposentadoria por invalidez será finalmente concedida.

FONTE BM&C NEWS

Como idosos podem antecipar a aposentadoria pelo INSS

A aposentadoria antecipada é uma opção que oferece a oportunidade do segurado se aposentar mais cedo, com requisitos de idade e contribuição reduzidos em comparação com as aposentadorias convencionais. Esta opção, também chamada de aposentadoria proporcional, aplica-se exclusivamente a pessoas que eram seguradas do INSS antes da vigência da Emenda Constitucional 20 de 1998.

Quem pode antecipar a aposentadoria do INSS?

Os segurados que desejam antecipar a aposentadoria devem avaliar cuidadosamente se a diminuição do benefício atende às suas necessidades financeiras. Deve-se ter em mente que, embora a aposentadoria seja antecipada, o valor do benefício será menor.

Para ter direito à aposentadoria antecipada:

  • Os homens devem preencher requisitos como ter 53 anos de idade, ter contribuído por 30 anos e ter pago um pedágio de 40%.
  • As mulheres, por outro lado, devem ter 48 anos, ter contribuído por 25 anos e cumprir o mesmo pedágio. Isso se todos esses requisitos tiverem sido cumpridos até 13 de novembro de 2019.

Qual o valor da aposentadoria antecipada?

O valor do benefício da aposentadoria antecipada é calculado a partir da média aritmética dos 80% maiores salários desde julho de 1994, corrigida monetariamente. Depois, essa média é multiplicada pelo fator previdenciário. O resultado equivale a 70% do benefício, com acréscimo de 5% para cada ano que ultrapassar o tempo mínimo de contribuição (30 ou 25 anos) mais o pedágio.

Para os desejosos de se aposentar antecipadamente em 2024, é essencial ter cumprido os requisitos até 12 de novembro de 2019, isto é, antes da entrada em vigor da Reforma da Previdência, que eliminou a possibilidade de antecipação da aposentadoria. É importante revisar períodos de trabalho não contabilizados que podem contribuir para o cumprimento do tempo de contribuição exigido, como trabalhos no exterior, tempo como aluno-aprendiz e serviço militar.

Conclusão

Lembramos que é recomendado procurar uma assessoria previdenciária para avaliar o melhor momento e a melhor modalidade de aposentadoria, além de fazer um planejamento previdenciário de acordo com o perfil do segurado. Além disso, é essencial verificar se todos os períodos contributivos foram devidamente contabilizados no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), evitando equívocos e atrasos no pedido de aposentadoria.

FONTE BM&C NEWS

Governo liberou lista de quem pode antecipar a aposentadoria pelo INSS

Se você está prestes a se aposentar, sabe que a espera pode ser longa. Entretanto, você sabia que é possível antecipar a sua aposentadoria ao comprovar que realizou determinadas atividades? Como? Continue lendo esta matéria para descobrir!

É possível antecipar a aposentadoria pelo INSS?

Se você têm entre 55 e 60 anos e trabalhou em atividade profissional exposta a agentes nocivos à saúde, é provável que pode solicitar a aposentadoria especial, uma das modalidades oferecidas pela Previdência. Para isso, além de comprovar a exposição a agentes nocivos, é necessário ter realizado 180 contribuições ao INSS. Cabe lembrar que a aposentadoria pelo INSS é vitalícia, com exceção da aposentadoria por incapacidade, que pode ser interrompida caso haja melhora na condição de saúde do beneficiado. Após completar 65 anos ou 15 anos recebendo o benefício, o valor se torna permanente.

O que é a aposentadoria especial?

A aposentadoria especial é uma modalidade de aposentadoria que beneficia os trabalhadores que exerceram atividades prejudiciais à saúde ou à integridade física. Esse benefício permite que o trabalhador se aposente mais cedo, diminuindo o tempo total de contribuição necessário. Para solicitar a aposentadoria especial, o trabalhador deve apresentar o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), um documento emitido pelo empregador que comprova a exposição a agentes nocivos à saúde do trabalhador. Esse documento deve ser baseado em um laudo técnico assinado por médico do trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho.

Quais são as profissões que dão direito à aposentadoria especial do INSS?

Existem várias profissões que podem dar o direito de solicitar a aposentadoria especial. Entre elas, podemos citar:

  • Aeroviário,
  • Enfermeiro,
  • Médico,
  • Dentista,
  • Químico industrial,
  • Jornalista,
  • Motorista de ônibus,
  • Entre outros.

É importante lembrar que não é a profissão em si que garante a aposentadoria especial, mas sim o grau de exposição a agentes nocivos durante o exercício das atividades profissionais.

Para solicitar a antecipação da aposentadoria pelo INSS é necessário comprovar um determinado tempo de exposição a agentes nocivos à saúde, que varia de 15 a 25 anos, dependendo do grau de exposição. Além disso, deve-se ter entre 55 a 60 anos e ter realizado 180 contribuições ao INSS. Se você se enquadra nestas condições e deseja se aposentar mais cedo, é essencial que procure um advogado ou um especialista na área para orientá-lo.

Conclusão

A possibilidade de antecipar a aposentadoria é um direito garantido a todos os trabalhadores que exerceram atividades insalubres ou perigosas ao longo de sua carreira. Entretanto, para garantir esse direito, é necessário comprovar a exposição a agentes nocivos e cumprir os demais requisitos exigidos pelo INSS. Caso você se enquadre nessas condições, recomenda-se buscar a ajuda de um advogado ou especialista no assunto para orientá-lo durante o processo de solicitação da aposentadoria especial.

FONTE BM&C NEWS

BPC confirma valores EXTRAS para os titulares; saiba quando serão liberados

Por não se tratar de um benefício previdenciário, quem tem acesso ao BPC (Benefício de Prestação Continuada) acessa poucos valores extras. No entanto, desde setembro do ano passado esse grupo voltou a receber dos bancos o direito de contratar crédito. As regras seguem as mesmas impostas aos aposentados.

O titular do BPC é a pessoa com deficiência de qualquer idade, ou o idoso com mais de 65 anos. Ao se inscreverem no Cadastro Único e solicitarem o benefício ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), recebem um salário mínimo todo mês. No entanto, têm poucos benefícios extras ou adicionais.

Valor extra confirmado para titular do BPC

Os inscritos no BPC podem contratar empréstimo consignado. As regras para esse público são as mesmas impostas para aposentados ou pensionistas. A margem que representa o porcentual que pode ser reservado do salário para pagar o empréstimo, é o mesmo para todos.

A taxa de juros também acompanha os benefícios previdenciários. A diferença é que o limite dado a esse público pode ser menor, já que o salário deles é mais baixo. O aposentado que ganha acima do piso terá acesso a um limite de crédito superior, porque a parcela de pagamento será maior.

As regras atuais são:

Margem consignável: 45% do valor do benefício;
 35% para empréstimo pessoal consignado;
5% para o cartão de crédito consignado;
5% para o cartão consignado de benefício.
Taxa de juros: limite de 1,76% ao mês para crédito pessoal;
Número de prestações: até 84 meses para pagamento.

Onde contratar consignado do BPC?

Os interessados em contratar empréstimo consignado do BPC podem procurar o banco em que recebem seu salário. Caso a instituição não esteja habilitada a oferecer este produto, há outros bancos que oferecem o serviço.

Hoje, liberam crédito para esse público:

Pagbank;
C6 Bank;
Banco do Brasil;
Itaú;
Bradesco;
Santander.

FONTE FDR

Depósito acima de R$ 1.400 caí na conta dos idosos de forma surpreendente

A conta dos idosos de baixa renda receberá neste mês um valor pouco superior a R$ 1,4 mil. Acompanhando a evolução do salário mínimo, quem depende da ajuda do governo federal para garantir o básico para sobrevivência vai ser surpreendido. Os depósitos começam a ser feitos a partir do dia 25 de janeiro. 

Os brasileiros com mais de 65 anos que vivem de baixa renda podem receber mensalmente um salário mínimo do governo federal. O depósito feito na conta dos idosos parte do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), mas não exige contribuição previdenciária, basta comprovar vulnerabilidade. 

Valor depositado na conta dos idosos pelo INSS

A partir deste mês o INSS reajusta o valor do BPC (Benefício de Prestação Continuada). Este é o auxílio pago na conta dos idosos com mais de 65 anos, e que estão em situação de renda baixa. A quantia acompanha o salário mínimo do país e o piso da Previdência Social.

Em 2023 o valor mensal era de R$ 1.320, mas recebeu o reajuste e passa a pagar:

Valor do BPC em 2024: R$ 1.412,00.

Quem tem direito ao valor do BPC?

Podem receber o pagamento do BPC as pessoas que cumprirem com os seguintes requisitos:

Ser idoso com mais de 65 anos; ou
Pessoa com deficiência permanente de qualquer idade;
Estar inscrito no Cadastro Único;
Ter renda familiar de no máximo 1/4 do salário mínimo por pessoa.

O pedido do BPC é feito no Meu INSS onde os dados do solicitante serão analisados.

Quando o BPC caí na conta dos idosos?

O valor reajustado do BPC vai cair na conta dos idosos a partir do dia 25 de janeiro. O calendário segue como ordem o último número do benefício, aquele que antecede o hífen dentro da sequência. Os depósitos vão seguir até o dia 7 de fevereiro.

Número final do benefício Data de liberação
1 25/01
2 26/01
3 29/01
4 30/01
5 31/01
6 01/02
7 02/02
8 05/02
9 06/02
10 07/02

FONTE FDR

Governo Lula anuncia pagamento de 1 salário mínimo a idosos

A partir da próxima semana, idosos em situação de baixa renda receberão 1 salário mínimo, com reajuste de 2024, por meio do INSS

O governo federal anunciou que, a partir da próxima semana, começará a efetuar o pagamento de 1 salário mínimo, já ajustado com o reajuste de 2024, destinado a idosos com mais de 65 anos em situação de baixa renda. Esta iniciativa visa amparar aqueles que não dispõem de outra fonte de renda para atender às necessidades básicas.

O salário mínimo destinado aos idosos será concedido por meio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e faz parte do Benefício de Prestação Continuada (BPC), um auxílio assistencial que abrange um pouco mais de 5 milhões de pessoas em todo o país.

Quem pode receber o salário mínimo do INSS?

O BPC é direcionado aos idosos que enfrentam dificuldades financeiras, proporcionando suporte para o sustento daqueles que não contam com o apoio da família e não estão mais inseridos no mercado de trabalho. Para ser elegível a receber o salário mínimo mensalmente, é necessário atender a alguns requisitos essenciais. Vale ressaltar que, por ser um benefício assistencial, não é preciso ter contribuído para o INSS. Os requisitos incluem:

Estar inscrito no Cadastro Único;
Ter renda familiar de até 1/4 (25%) do salário mínimo por pessoa;
Possuir mais de 65 anos.

Calendário de pagamento do BPC em janeiro

Os idosos que já foram aprovados para o BPC receberão o pagamento do INSS a partir do dia 25 de janeiro, seguindo a organização do calendário conforme o último dígito do benefício. Aqueles que ainda não tiveram a aprovação devem dar entrada no processo por meio do Meu INSS, encaminhando os documentos necessários para avaliação.

FONTE CATRACA LIVRE

13º salário do INSS para idosos já tem valores e calendário disponíveis

Liberado anualmente para aposentados e pensionistas, o 13º salário do INSS já teve seu calendário definido para o ano de 2024. Assim como nos anos anteriores, o pagamento do abono natalino será dividido em duas parcelas. Dessa forma, o benefício será liberado durante os meses de maio e junho.

Atualmente, o benefício é pago para todos os aposentados e pensionistas pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A exceção são os idosos que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada). Isso porque o programa é uma iniciativa social e não dá direito ao 13º salário.

Para os demais, a parcela do 13º é liberada com um valor proporcional ao salário do beneficiário. Esse pagamento é definido com base nas contribuições realizadas pelo aposentado ou pensionista durante a vida.

Para auxiliar no cálculo, o FDR preparou uma calculadora que aponta o valor médio da aposentadoria. Confira:

Como calcular o 13º salário do INSS:

Para saber quanto irá receber, é essencial que o beneficiário calcule durante quantos meses do ano receberá pagamentos do INSS;
Caso vá ser contemplado durante todo o ano, seu 13º será referente a uma parcela extra do salário;
No entanto, em situações que o pagamento será efetuado por menos tempo, é preciso realizar outro cálculo;
Para saber quanto será o 13º, ele deverá dividir o valor do seu benefício por 12;
Em seguida, será preciso multiplicar pelos meses em que será atendido;
O resultado será proporcional e indicará o valor do pagamento extra;
Vale lembrar que essa liberação de recursos costuma ser dividida em duas parcelas;
Dessa forma, o beneficiário deverá contar com esse parcelamento ao realizar planos com o dinheiro;
A liberação do 13º acontece em conjunto com o benefício principal do INSS.

FONTE FDR

Proposta para desaposentar o idoso foi aprovada afetando o bolso desse grupo

Um projeto que vem sendo analisado pela Câmara dos Deputados poderá modificar o sistema de aposentadoria do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em todo o Brasil. A proposta prevê a liberação da renúncia da aposentadoria do idoso.

O projeto foi aprovado na Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados. A medida prevê a permissão da renúncia da aposentadoria para que o benefício possa ser recalculado.

Entenda detalhes do projeto que poderá alterar a aposentadoria do idoso:

O novo cálculo do benefício poderá ser realizado pelo beneficiário que se manteve trabalhando mesmo após a aposentadoria;
O projeto prevê a liberação para aqueles que contribuíram por, pelo menos, 60 meses;
A quantidade de pedidos de reformulação do cálculo estará limitada a duas vezes;
Além disso, a possibilidade não estará disponível para todos os tipos de aposentadoria;
A limitação prevê que casos de aposentadoria por incapacidade permanente ou aposentadoria especial estarão vetados do novo cálculo;
O pedido estará liberado para pensionistas do Instituto apenas em casos que o segurado não tenha realizado a solicitação anteriormente;
O texto aprovado não altera as regras de outros benefícios;
A medida tem o objetivo de beneficiar os aposentados que seguem realizando contribuições para o INSS;
Anteriormente, esse processo de desaposentação havia sido vista como inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal;
No entanto, caso o projeto seja aprovado, a medida terá validade;
Para entrar em vigor efetivamente, o projeto ainda precisará ser votado pelo Plenário da Câmara;
Além disso, ele também precisará ser aprovado no Senado Federal;
Após essas etapas, ele será encaminhado para o presidente Lula para ser sancionado;
Por enquanto, não existe prazo para que essa tramitação seja encerrada e as mudanças implementadas oficialmente.

FONTE FDR

Aposentadorias do INSS tem reajustes CONFIRMADOS beneficiando milhares de brasileiros

Aqueles que se beneficiam do pagamento do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) devem estar atentos às mudanças no repasse. Para 2024, um reajuste no teto salarial vai passar a ser adotado. Os primeiros valores serão liberados no começo do mês de fevereiro. Confira mudanças e datas.

O mesmo índice que reajusta o teto do INSS também é usado para aumentar o salário de quem ganha mais do que o piso, mesmo que não alcance o limite. Veja mudanças detalhadas, em números, abaixo:

Teto de 2023: R$ 7.507,49;
Teto de 2024: R$ 7.786;
Reajuste de 3,71%.

Os únicos que não terão o acréscimo de 3,71% em seus pagamentos são os aposentados ou pensionistas que passaram a receber salário do INSS ao longo de 2023.

Vale lembrar que o reajuste do teto do INSS segue como referência o resultado do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) dos últimos 12 meses, ou seja, a inflação oficial de 2023.

O reajuste será aplicado a partir de 1º de fevereiro, quando os aposentados e pensionistas começam a receber os benefícios referentes a janeiro. Atualmente, a Previdência atende a 39 milhões de beneficiários, dos quais 26 milhões recebem o salário mínimo, que será de R$ 1.412 em 2024.

Motivo dos reajustes do INSS

De acordo com o reajuste aplicado no INPC, diversos nichos da sociedade são impactados. Entre eles, está o INSS, que já está realizando os seus pagamentos com a definição de novos valores. O Benefício de Prestação Continuada (BPC) foi um dos positivamente impactados. Confira calendário abaixo:

Até 1 salário mínimo

Final 1: 25 de janeiro;
Final 2: 26 de janeiro;
Final 3: 29 de janeiro;
Final 4: 30 de janeiro;
Final 5: 31 de janeiro;
Final 6: 01 de fevereiro;
Final 7: 02 de fevereiro;
Final 8: 05 de fevereiro;
Final 9: 06 de fevereiro;
Final 0: 07 de fevereiro.

Acima de 1 salário mínimo

Finais 1 e 6: 01 de fevereiro;
Finais 2 e 7: 02 de fevereiro;
Finais 3 e 8: 05 de fevereiro;
Finais 4 e 9: 06 de fevereiro;
Finais 5 e 0: 07 de fevereiro.

FONTE FDR

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.