Corpo é encontrado com as mãos amarradas na BR-040

Vítima estava perto do meio-fio da rodovia

A Polícia Militar e a Polícia Civil foram empenhadas na manhã desta sexta-feira (23 de fevereiro) para o encontro de um corpo na BR-040, na altura do Viaduto da Mutuca, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. A PM foi acionada por volta de 9h30.

Conforme as informações iniciais, o cadáver foi encontrado na altura do km 350, perto do meio-fio. O homem, que não teve a identidade divulgada, estava com as mãos amaradas para trás. 

Ainda conforme as primeiras informações, foram encontradas cápsulas deflagradas no local onde o corpo foi encontrado.

Matéria em atualização.

FONTE O TEMPO

Corpo encontrado boiando em rio é do ex-marido de mulher assassinada em Itabirito

Corpo de Cláudia Aparecida Vieira Martins foi encontrado em um matagal no último dia 27. No dia seguinte, o ex-marido apareceu boiando no Rio das Velhas

O exame no corpo de um homem, encontrado no último dia 28, boiando no Rio das Velhas, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, realizado pelo Instituto Médico Legal (IML), identificou que se trata de Vander Ferreira Martins, de 49 anos.

O homem é o principal suspeito do assassinato da ex-mulher dele, Cláudia Aparecida Vieira Martins, de 50 anos. Ela desapareceu no dia 19 e foi encontrada morta num matagal, em Itabirito, no sábado passado (27).

A confirmação, segundo nota do IML, foi feita por parentes de Vander. Para a família de Cláudia, que era supervisora de limpeza da Prefeitura de Itabirito, a confirmação não põe fim ao drama que estão vivendo.

“O IML acabou de confirmar que é do meu ex-cunhado. É uma mistura de sentimento de indignação e de repúdio. Ele fez uma barbaridade com minha irmã, ele tirou a vida dela covardemente. Agora, que Deus faça a justiça divina porque aqui, na terra, ele deixou uma mágoa imensa na família”, diz a irmã de Cláudia, Regina Vieira.

Desaparecimento

Cláudia foi vista pela última vez num salão de beleza, em 19 de janeiro. Segundo a Polícia Civil, ela teria sido sequestrada e morta por Vander. Eles foram vistos, juntos, no carro dele, seguindo no sentido de Ouro Preto.

O carro de Vander, um Celta, foi encontrado no dia 22 de janeiro, no estacionamento (Arena Gamel), do Bairro Esperança, e no veículo, a PM encontrou um par de brincos, óculos e um pedaço de unha de gel, além de manchas de sangue no banco do passageiro. Tudo foi reconhecido pelo irmão de Cláudia. O veículo estava trancado.

Parentes de Cláudia contaram que o casal tinha se separado, mas Vander não aceitava o fim do relacionamento e, por isso, vivia perseguindo a ex-mulher. Dizia sempre, segundo eles, que “se Cláudia não fosse dele, não seria de mais ninguém”.

Cláudia morava com os três filhos, no Bairro Santo Antônio. O casal estava junto há cerca de 20 anos. De 2021 pra cá, o homem passou a ser agressivo com a esposa e no ano passado, ela se afastou dele, mesmo continuando casados no papel.

FONTE ESTADO DE MINAS

Você Não Vai Acreditar Como Uma Lata de Energético por Mês Afeta Seu Sono

Essas bebidas prometem um impulso de energia, mas um estudo recente sugere que o preço a pagar pode ser um sono de qualidade ruim.

Nos últimos anos, as bebidas energéticas ganharam popularidade, especialmente entre jovens e estudantes universitários, que buscam uma forma rápida de aumentar a energia e o foco para enfrentar rotinas exaustivas de estudos e atividades sociais.

Essas bebidas, repletas de cafeína e outros estimulantes, prometem um impulso de energia, mas um estudo recente da Noruega sugere que o preço a pagar pode ser um sono de qualidade ruim.

Entenda a pesquisa e seus resultados

A pesquisa apontou que mesmo um consumo moderado de energéticos pode levar a problemas no sono entre estudantes universitários. Os resultados indicaram que aqueles que consomem de uma a três latas de energético por mês já estão em risco de desenvolver distúrbios do sono.

Com mais de 50 mil jovens entre 18 e 35 anos participando, o estudo revelou uma relação clara entre a frequência do consumo dessas bebidas e a redução nas horas de sono.

Energéticos, comuns nas prateleiras de supermercados e lojas de conveniência, contêm em média 150 mg de cafeína por litro, além de açúcar, vitaminas, minerais e aminoácidos. Eles são vendidos como potencializadores do desempenho mental e físico, o que atrai estudantes em busca de melhorar sua concentração e energia.

No Estudo de Saúde e Bem-Estar de Estudantes (SHOT22), os jovens responderam sobre a frequência com que consumiam bebidas energéticas. As opções variavam de consumo diário a raramente ou nunca. O estudo também se aprofundou em detalhes sobre os padrões de sono, como o tempo necessário para adormecer e as interrupções no sono.

insônia foi definida no estudo como dificuldades para adormecer, manter o sono ou acordar cedo demais, além de sonolência e cansaço diurno. Esses problemas deveriam ocorrer pelo menos três vezes por semana durante um período de três meses.

As respostas revelaram diferenças notáveis entre os sexos no que diz respeito ao consumo de energéticos. Enquanto metade das mulheres relatou que nunca ou raramente consumia essas bebidas, 40% dos homens disseram o mesmo. Por outro lado, uma parcela significativa relatou um consumo frequente de quatro a seis vezes por semana.

Aqueles que consumiam energéticos diariamente dormiam, em média, meia hora a menos do que os que consumiam ocasionalmente ou não consumiam. Mais de 50% das mulheres e 37% dos homens nessa categoria de consumo diário relataram insônia.

Os homens que consumiam diariamente tinham o dobro de chances de dormir menos de seis horas por noite, e as mulheres tinham 87% mais chances de enfrentar o mesmo problema.

Os pesquisadores, porém, ressaltam que esse é um estudo observacional e que não estabelece uma relação de causa e efeito definitiva. Embora as evidências sugiram que as bebidas energéticas podem perturbar o sono, não está claro até que ponto diferentes aspectos do sono são afetados.

Eles também consideram a possibilidade de que o consumo de energéticos possa ser uma consequência, e não a causa, de um sono de má qualidade.

FONTE CAPITALIST

Corpo de rinoceronte que vivia em zoológico vai virar peça de museu em Belo Horizonte

Luna, que ultrapassou expectativa de vida da espécie, será empalhada e ficará no Museu da PUC Minas. Ela morreu na sexta-feira (13).

A rinoceronte-branco Luna, que morreu na última sexta-feira (13) aos 53 anos, vai integrar o Museu de Ciências Naturais da PUC Minas. O animal era o mamífero mais velho do Zoológico de Belo Horizonte.

Segundo a universidade, o corpo de cerca de três toneladas foi transportado por funcionários do museu e técnicos do Zoo para a câmara fria do Centro Técnico Operacional (CTO), no Campus Coração Eucarístico, onde passará pelo processo de taxidermia, popularmente conhecido como “empalhamento”.

Luna ultrapassou expectativa de vida da espécie e morreu aos 53 anos  — Foto: Suziane Fonseca/Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica
Luna ultrapassou expectativa de vida da espécie e morreu aos 53 anos — Foto: Suziane Fonseca/Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica

A pele será tratada por um técnico especializado, e os ossos passarão por um processo de limpeza por maceração, usando uma enzima chamada bromelina. Este é o início da preparação, que pode levar de seis meses a um ano.

Luna servirá de fonte de estudos de morfologia e anatomia, além de fazer parte, futuramente, da exposição “Era dos Mamíferos”.

Curiosidades da vida de Luna

O mamífero ultrapassou a expectativa de vida da espécie, que é de 50 anos.

Luna nasceu na Alemanha, em 1970, e foi trazida para o Brasil quando tinha dois anos. Desde então, ela vivia na Região da Pampulha, cercada de cuidados.

A idosa alemã tinha uma conjuntivite crônica, além de doenças típicas da idade avançada.

 O aniversário dela em 2021 teve até presente: uma relaxante escovada nos pelos.

Até 2018, Luna possuía um companheiro no zoo, o macho Doran, que morreu aos 27 anos de idade.

Ao todo, ela se relacionou com dois parceiros na vida, mas não teve filhotes.

FONTE G1

Corpo de rinoceronte que vivia em zoológico vai virar peça de museu em Belo Horizonte

Luna, que ultrapassou expectativa de vida da espécie, será empalhada e ficará no Museu da PUC Minas. Ela morreu na sexta-feira (13).

A rinoceronte-branco Luna, que morreu na última sexta-feira (13) aos 53 anos, vai integrar o Museu de Ciências Naturais da PUC Minas. O animal era o mamífero mais velho do Zoológico de Belo Horizonte.

Segundo a universidade, o corpo de cerca de três toneladas foi transportado por funcionários do museu e técnicos do Zoo para a câmara fria do Centro Técnico Operacional (CTO), no Campus Coração Eucarístico, onde passará pelo processo de taxidermia, popularmente conhecido como “empalhamento”.

Luna ultrapassou expectativa de vida da espécie e morreu aos 53 anos  — Foto: Suziane Fonseca/Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica
Luna ultrapassou expectativa de vida da espécie e morreu aos 53 anos — Foto: Suziane Fonseca/Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica

A pele será tratada por um técnico especializado, e os ossos passarão por um processo de limpeza por maceração, usando uma enzima chamada bromelina. Este é o início da preparação, que pode levar de seis meses a um ano.

Luna servirá de fonte de estudos de morfologia e anatomia, além de fazer parte, futuramente, da exposição “Era dos Mamíferos”.

Curiosidades da vida de Luna

O mamífero ultrapassou a expectativa de vida da espécie, que é de 50 anos.

Luna nasceu na Alemanha, em 1970, e foi trazida para o Brasil quando tinha dois anos. Desde então, ela vivia na Região da Pampulha, cercada de cuidados.

A idosa alemã tinha uma conjuntivite crônica, além de doenças típicas da idade avançada.

 O aniversário dela em 2021 teve até presente: uma relaxante escovada nos pelos.

Até 2018, Luna possuía um companheiro no zoo, o macho Doran, que morreu aos 27 anos de idade.

Ao todo, ela se relacionou com dois parceiros na vida, mas não teve filhotes.

FONTE G1

PM localiza corpo em decomposição

Na tarde de sexta-feira (22), um homem acionou a PM no Lugarejo Ponte do Beto, zona rural de Alto Rio Doce (MG). Ele relatou para a equipe que alugou um terreno no povoado há um tempo e no local já habitava um senhor, 60 anos, e que permitiu que o senhor continuasse morando ali.

Na sexta-feira, ele deu por falta do senhor e, ao aproximar-se da casa, percebeu que alguns urubus sobrevoavam o local. A porta estava fechada e o homem entrou. Ele disse que estava um forte odor e se deparou com o corpo do senhor deitado sobre um colchão no chão da sala, com um cobertor nas pernas aparentando estar sem sinais vitais.

No local, a equipe PM verificou que o corpo já apresentava estado inicial de decomposição não sendo verificado aparentemente indícios da prática de crimes no local. O óbito foi atestado por um médico do hospital da cidade e o corpo foi liberado para a família para demais providências.

PM localiza corpo em decomposição

Na tarde de sexta-feira (22), um homem acionou a PM no Lugarejo Ponte do Beto, zona rural de Alto Rio Doce (MG). Ele relatou para a equipe que alugou um terreno no povoado há um tempo e no local já habitava um senhor, 60 anos, e que permitiu que o senhor continuasse morando ali.

Na sexta-feira, ele deu por falta do senhor e, ao aproximar-se da casa, percebeu que alguns urubus sobrevoavam o local. A porta estava fechada e o homem entrou. Ele disse que estava um forte odor e se deparou com o corpo do senhor deitado sobre um colchão no chão da sala, com um cobertor nas pernas aparentando estar sem sinais vitais.

No local, a equipe PM verificou que o corpo já apresentava estado inicial de decomposição não sendo verificado aparentemente indícios da prática de crimes no local. O óbito foi atestado por um médico do hospital da cidade e o corpo foi liberado para a família para demais providências.

Conheça a igreja que abriga o corpo do adolescente beatificado conhecido como “padroeiro da internet”

A igreja Santa Maria Maggiore, em Assis, é o local onde o corpo de Carlo Acutis, que criou um site de catalogação de milagres, está exposto

Com construção datada do século XII e paredes de pedra, esta igreja viralizou recentemente nas redes sociais, mas não por conta de seus afrescos ou pinturas milenares, e sim por abrigar o corpo de um jovem adolescente conhecido como “padroeiro da internet”. Nascido em Londres e criado em Milão, Carlo Acutis foi responsável pela criação do “Google dos Milagres”: após se tornar católico e devoto da Virgem Maria, o jovem utilizou seu conhecimento em ciência da computação acima da média para criar um site dedicado à catalogação de milagres.

Falecido aos 15 anos, Carlo Acutis foi responsável por criar um site dedicado à catalogação de milagres — Foto: Mondadori Portfolio/Getty Images
O exterior da Igreja Santa Maria Maggiore — Foto: Wikimedia Commons

Em 2006, aos 15 anos, Carlo Acutis faleceu enquanto lutava contra a leucemia e, em 2020, foi beatificado pela Igreja Católica. Desde então, o corpo do “santo blogueiro” está exposto no Santuário do Despojamento, na Igreja Santa Maria Maggiore, localizada na cidade de Assis, na Itália. Em bom estado de conservação, seus restos mortais foram recompostos, mas detalhes do processo não foram oferecidos pelo Vaticano.

O interior da igreja conta com algumas pinturas e afrescos — Foto: Wikimedia Commons

Segundo o Vatican News, Carlo Acutis é o “primeiro beato de calça jeans e tênis”. Sua história chegou até os internautas através de um vídeo feito pela criadora de conteúdo Camilla Lecciolli, que foi publicado no TikTok e já conta com mais de 5,2 milhões de visualizações. Confira:

Carlo Acutis foi beatificado em 2020 — Foto: Vatican Pool/Getty Images

Além disso, o “padroeiro da internet” tem um milagre atribuído a si em Mato Grosso do Sul – apesar de nunca ter pisado em solo brasileiro. Após a sua morte, em 2010, um avô desesperado levou seu neto doente até uma das missas anuais em homenagem a Carlo Acutis promovidas pelo padre Marcelo Tenório, da Paróquia São Sebastião, em Campo Grande. Na ocasião, o garoto teria se curado ao tocar as roupas do jovem italiano que estavam expostas.

FONTE CASA VOGUE

Conheça a igreja que abriga o corpo do adolescente beatificado conhecido como “padroeiro da internet”

A igreja Santa Maria Maggiore, em Assis, é o local onde o corpo de Carlo Acutis, que criou um site de catalogação de milagres, está exposto

Com construção datada do século XII e paredes de pedra, esta igreja viralizou recentemente nas redes sociais, mas não por conta de seus afrescos ou pinturas milenares, e sim por abrigar o corpo de um jovem adolescente conhecido como “padroeiro da internet”. Nascido em Londres e criado em Milão, Carlo Acutis foi responsável pela criação do “Google dos Milagres”: após se tornar católico e devoto da Virgem Maria, o jovem utilizou seu conhecimento em ciência da computação acima da média para criar um site dedicado à catalogação de milagres.

Falecido aos 15 anos, Carlo Acutis foi responsável por criar um site dedicado à catalogação de milagres — Foto: Mondadori Portfolio/Getty Images
O exterior da Igreja Santa Maria Maggiore — Foto: Wikimedia Commons

Em 2006, aos 15 anos, Carlo Acutis faleceu enquanto lutava contra a leucemia e, em 2020, foi beatificado pela Igreja Católica. Desde então, o corpo do “santo blogueiro” está exposto no Santuário do Despojamento, na Igreja Santa Maria Maggiore, localizada na cidade de Assis, na Itália. Em bom estado de conservação, seus restos mortais foram recompostos, mas detalhes do processo não foram oferecidos pelo Vaticano.

O interior da igreja conta com algumas pinturas e afrescos — Foto: Wikimedia Commons

Segundo o Vatican News, Carlo Acutis é o “primeiro beato de calça jeans e tênis”. Sua história chegou até os internautas através de um vídeo feito pela criadora de conteúdo Camilla Lecciolli, que foi publicado no TikTok e já conta com mais de 5,2 milhões de visualizações. Confira:

Carlo Acutis foi beatificado em 2020 — Foto: Vatican Pool/Getty Images

Além disso, o “padroeiro da internet” tem um milagre atribuído a si em Mato Grosso do Sul – apesar de nunca ter pisado em solo brasileiro. Após a sua morte, em 2010, um avô desesperado levou seu neto doente até uma das missas anuais em homenagem a Carlo Acutis promovidas pelo padre Marcelo Tenório, da Paróquia São Sebastião, em Campo Grande. Na ocasião, o garoto teria se curado ao tocar as roupas do jovem italiano que estavam expostas.

FONTE CASA VOGUE

Após 6 dias de buscas, corpo é localizado em córrego e em estado avançado de decomposição

Ontem (26), por volta de 16:30 hs, a Polícia Militar compareceu nas proximidades da localidade denominada “Inhambu”, em São João Del Rei (MG), com a finalidade de atender um chamado referente a encontrado de cadáver. Segundo relatos de voluntários, eles visualizaram um bando de urubus nas árvores que margeiam o córrego do Inhambu e deslocaram até o local, logrando êxito em localizar um corpo dentro do curso d’agua, em seguida acionaram a Polícia Militar.

No local indicado os militares constaram que a vítima estava em decúbito dorsal, identificada como Vinícius Tadeu Vivas Costa Mata, 33 anos, morador da Colônia do Marçal que está desaparecido desde a última terça-feira (21). A vítima foi localizada morta, dentro do córrego e o corpo apresentava avançado estado de decomposição. Face ao exposto, o local foi devidamente isolado, em sequência acionada a perícia técnica, comparecendo ao local o perito da Polícia Civil. Também compareceu ao local uma viatura do Corpo de Bombeiros os quais auxiliaram o perito na remoção da vítima.

Importante frisar que não foi identificado indícios de violência/agressão em razão do estado de deterioração do cadáver. Segundo o perito, somente após os trabalhos do médico legista seria possível constatar a causa da morte. Segundo um irmão da vítima, o homem, de 33 anos, estava passando por problemas psicológicos, devido a problemas pessoais.

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.