Furto de celular aumenta em até 150% em dias de carnaval em Belo Horizonte

Nos dias de carnaval, a chance de alguém ter o aparelho furtado é 150% maior em BH e 49% maior no estado de Minas Gerais do que em dias comuns

A chance de uma pessoa ter o celular furtado em Belo Horizonte durante o carnaval pode ser de até 150% maior do que em um dia normal. No estado de Minas Gerais, esse índice é 49% maior do que na média diária. É o que mostram dados exclusivos obtidos pela reportagem do Estado de Minas sobre os furtos de aparelhos registrados pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) de Minas (veja a tabela) até o ano de 2023.

No total, foram registrados 44.820 de furtos de telefones celulares no ano de 2023, queda de 1% em relação aos 45.270 aparelhos levados por ladrões em 2022. Em Belo Horizonte, por outro lado, os equipamentos furtados passaram de 18.019 para 20.102, registrando alta de 11,5% no mesmo período.

Em Minas Gerais uma média de 122,7 telefones foram furtados por dia em 2023, sendo 55 deles (44,8%) deles em Belo Horizonte, a cada 24 horas do ano.

No carnaval, essa média de telefones furtados por dia em Minas Gerais é de 182,7, o que representa 49% mais do que a média anual. Já em Belo Horizonte, a média é de 137,5 aparelhos afanados nos dias de carnaval, um aumento de 150% no volume furtado diariamente em 2023.

Segundo as informações da Sejusp, Belo Horizonte a cada dia aumenta a sua representatividade na fatia das ocorrências de aparelhos celulares furtados, tendo sido responsável por 35,8% dos crimes no estado em 2021, 19,8% em 2022 e atingido 44,8% em 2023.

No carnaval de 2023, durante os quatro dias, foram registrados 731 furtos de aparelhos de telefonia celular, sendo 550 em Belo Horizonte, um índice de 75,3% dos equipamentos perdidos para o crime na capital mineira. Em 2022, o carnaval de rua não foi celebrado oficialmente, em razão do período de restrições da pandemia do coronavírus.

Roubos despencam

Já os roubos de telefones celulares despencaram, mostrando que a preferência tem sido pelos furtos. Os roubos ocorrem quando a pessoa tem o aparelho levado por meio de uso de violência ou ameaça pelos ladrões. Entre 2021 e 2022, a queda foi de 1,5% e, de 2022 para 2023, o índice despencou 26,9%. Em BH, os assaltos com roubo de celulares caíram 3,5% de 2021 para 2022 e 10,4% menos de 2022 para 2023.

De acordo com a porta-voz da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), major Layla Brunnela, o furto de celular é o principal, entre os crimes de furto, ocorrido nos dias normais e sobretudo no carnaval. Segundo a militar, de sexta-feira (9/02) a domingo (11/02), os furtos (incluindo os de celulares) em Minas Gerais caíram cerca de 45% em relação ao registrado em 2023 no mesmo período de carnaval.

“Os presos que temos são daqui de Minas Gerais mesmo, de Belo Horizonte ou da região metropolitana (diferentemente de outros estados, como São Paulo e Rio de Janeiro, onde atuam quadrilhas de outros estados e até mesmo de outros países, com grande participação africana). São quadrilhas especializadas de furtos de celulares, com cerca de cinco componentes com roupas comuns, misturando-se na multidão. Um dos métodos usados é o de iniciar uma confusão, pequenos tumultos, esbarrando e empurrando e, quando a pessoa percebe, já teve o bem levado”, descreve a oficial.

De acordo com a porta-voz da PMMG, a utilização de drones no monitoramento dos blocos e dos percursos dos foliões tem auxiliado na prevenção e combate aos crimes como o furto de celular. “O monitoramento pelo ar, pelas plataformas e drones tem apoiado as prisões. Conseguimos capturar as imagens, pegar as características desses autores e direcionar o policiamento.

Crimes no carnaval

Furtos de celular

Local/2021/2022/2023
Minas Gerais/38.225/45.270/44.820
Minas Gerais (carnaval)/-/-/731
Belo Horizonte/13.720/18.019/20.102
Belo Horizonte (carnaval)/-/-/550

Roubos de Celular

Local/2021/2022/2023
Minas Gerais/18.155/17.897/13.096
Minas Gerais (carnaval)/-/-/79
Belo Horizonte/5.898/5.696/5.107
Belo Horizonte (carnaval)/-/-/40

Fonte: Sejusp

FONTE ESTADO DE MINAS

Caminhão carregado de porcos tomba e animais são furtados em rodovia

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o motorista do caminhão não se feriu. Um suspeito foi preso com ferramentas de abate animal.

Um caminhão com carga viva tombou na manhã desta sexta-feira (9) na BR-262, na altura da cidade São Domingos do Prata, Região Central de Minas Gerais.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do caminhão não se feriu, mas alguns dos porcos que estavam no veículo foram furtados.

Pelas imagens, é possível ver o momento que os animais — muitos deles já mortos — são arrastados pelos suspeitos

Segundo a PRF-MG, quatro homens foram presos em flagrante por furto de carga, um dos suspeitos estava com ferramentas para abate, no porta-malas de um carro. Além de ser preso por furto, o homem foi preso também por maus-tratos aos animais.

Ainda não se sabe qual a origem da viagem do caminhão, nem para onde seguia. A pista foi liberada ainda pela manhã.

Ainda de acordo com os policiais, os quatro presos foi encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil em João Monlevade.

FONTE G1

Celular Seguro: mais de 3,8 mil aparelhos são bloqueados em uma semana

São Paulo é estado com maior número de bloqueios

Uma semana após ser lançado, o programa Celular Seguro, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, já resultou no bloqueio de 3.896 aparelhos roubados, furtados, perdidos ou extraviados.

Conforme o ministério informou à Agência Brasil, até o início da tarde desta terça-feira (26), a ferramenta recebeu 1.658 alertas de usuários vítimas de roubos. Outros 1.154 alertas foram motivados por furtos; 801 por perdas e 283 por motivos diversos. Só no último dia 20, foram 1.113 medidas restritivas.

São Paulo é a unidade federativa com maior número de alertas de bloqueio: 1.011. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (453); Pernambuco (286); Bahia (272) e Minas Gerais (259).

Disponibilizado no último dia 19, o programa Celular Seguro é uma iniciativa federal de combate ao roubo e ao furto de aparelhos celulares e aplicativos digitais no país. Por meio do site e do aplicativo, as vítimas podem comunicar o crime e pedir o bloqueio imediato dos aparelhos, dos aplicativos bancários e de novos acessos aos dispositivos.

Ainda de acordo com o ministério, 700.697 pessoas acessaram o aplicativo por meio da plataforma gov.br. Destas, apenas 513.098 registraram os números das linhas de telefone que gostariam de bloquear remotamente. Segundo o ministério, é possível acessar o aplicativo informando apenas o CPF, deixando de registrar os dados do aparelho.

Cada pessoa que se cadastra no Celular Seguro pode indicar pessoas da sua confiança, autorizando-as a efetuar os bloqueios em seu nome. Mais de 467,8 mil pessoas de confiança já tinham sido cadastrados até esta tarde. O próprio dono do aparelho cadastrado pode bloqueá-lo acessando o site celularseguro.mj.gov.br, usando um computador seguro. Não há limite para o cadastro de números, mas eles precisam estar vinculados ao CPF para que o bloqueio seja efetivado.

Não há a opção de bloqueio temporário. Caso o aparelho seja recuperado, o usuário terá que entrar em contato com a operadora de telefonia e com os demais parceiros do Projeto Celular Seguro, como bancos e aplicativos, para reativar seus acessos.

FONTE AGÊNCIA BRASIL

Tráfico de drogas, furto e receptação

Na noite de sexta-feira (27), um homem, 61 anos, acionou a Polícia Militar e relatou que estava sentado próximo a um ponto de moto táxi, no Bairro São Sebastião, em Barbacena (MG), esperando a chegada de uma moto para ir para casa. Em determinado momento, um homem, 29 anos, chegou ao local e sentou ao seu lado, subtraiu seu celular e fugiu.

Os militares identificaram o autor, já conhecido pela prática de furtos na cidade, e iniciaram imediatamente o rastreamento. O suspeito foi encontrado no Bairro Funcionários e abordado. Durante busca pessoal, foi localizado no bolso de sua bermuda um pequeno pote na cor branca, contendo em seu interior seis pedras de substância análogas a crack, já desembaladas e prontas para o uso.

O autor disse que pegou o celular e foi ao Bairro Nossa Senhora Aparecida, na casa de um homem de 19 anos, e trocou o aparelho por dez pedras de crack. Foi montada uma operação e os militares foram na casa do suspeito de 19 anos.

A PM, após autorizada a entrada na casa, iniciou as buscas. O autor de 19 anos se apresentou e, ao ser questionado sobre osfatos, entregou um aparelho celular e disse inicialmente que comprou o aparelho pela quantia de R$ 60,00. Durante as buscas, foram localizados: três lâminas com resquícios de crack, uma tesoura também com resquícios de crack, uma máquina de cartão de crédito; uma bolsa contendo em seu interior a quantia de R$179,00; uma roda (estepe) com pneu.

Em continuidade às buscas, dentro de um viveiro de pombos no quintal da residência, os militares encontraram 123 pedras de substância análoga a crack embaladas em plástico transparente, prontas para o comércio, além de uma pedra bruta da mesma substância

O homem assumiu a propriedade de todo entorpecente localizadorelatando que faz a venda e ainda confessou que trocou dez pedrasde crack pelo aparelho celular. Ele foi preso pelos crimes de tráficode drogas e receptação e o autor de 29 anos foi preso por furto.

Moradores saqueiam botijões de gás após caminhão tombar e motorista morrer em MG

Após o acidente, grupo de aproximadamente 10 pessoas chegou ao local e, para realizar o saque, agrediu o responsável por cuidar da carga acidentada. Ocorrência foi registrada na MGC-120, entre Leopoldina e Cataguases.

Quatro homens, de 42, 40, 25 e 20 anos, foram detidos por suposta participação no saque de botijões de gás, que estavam em um caminhão que tombou na MGC-120, entre Leopoldina e Cataguases , na Zona da Mata mineira.

O motorista, de 62 anos, ainda chegou a ser socorrido com vida, mas morreu, segundo a Polícia Militar. O caso aconteceu no início da manhã da segunda-feira (4).

Ainda de acordo com a PM, a corporação foi acionada depois que o auxiliar de viagem, responsável por cuidar da carga acidentada, foi agredido por aproximadamente 10 pessoas, que chegaram ao local em três veículos.

Durante buscas, dois homens foram flagrados no Bairro Bela Vista, em Leopoldina, com a roupa ainda suja de tinta prata, que se assemelha com as cores das botijas de gás. A dupla confessou participação no saque, foi presa e informou o endereço de um terceiro homem, de 42 anos, que teria comprado 15 botijas.

Os militares foram até o local e deram voz de prisão em flagrante ao suspeito pelo crime de receptação.

Além dos três, um quarto, de 25 anos, foi preso no mesmo dia em casa com 4 botijas.

Além dos botijões de gás, foram apreendidos os celulares dos envolvidos, além de certa quantia em dinheiro. Todos foram levados para a delegacia.

Botijão de gás apreendidos com saqueadores de carga em Cataguases — Foto: Polícia Militar/Divulgação
Botijão de gás apreendidos com saqueadores de carga em Cataguases — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Condutor socorrido com traumatismo craniano

Segundo Corpo de Bombeiros, no momento da chegada da corporação, o motorista estava fora do veículo inconsciente, com dificuldade para respirar, com sinais vitais alterados e traumatismo cranioencefálico. Ele ainda chegou a ser socorrido, mas morreu.

A perícia foi chamada para realizar levantamentos no local. A dinâmica do acidente não foi informada.

FONTE G1

Moradores saqueiam botijões de gás após caminhão tombar e motorista morrer em MG

Após o acidente, grupo de aproximadamente 10 pessoas chegou ao local e, para realizar o saque, agrediu o responsável por cuidar da carga acidentada. Ocorrência foi registrada na MGC-120, entre Leopoldina e Cataguases.

Quatro homens, de 42, 40, 25 e 20 anos, foram detidos por suposta participação no saque de botijões de gás, que estavam em um caminhão que tombou na MGC-120, entre Leopoldina e Cataguases , na Zona da Mata mineira.

O motorista, de 62 anos, ainda chegou a ser socorrido com vida, mas morreu, segundo a Polícia Militar. O caso aconteceu no início da manhã da segunda-feira (4).

Ainda de acordo com a PM, a corporação foi acionada depois que o auxiliar de viagem, responsável por cuidar da carga acidentada, foi agredido por aproximadamente 10 pessoas, que chegaram ao local em três veículos.

Durante buscas, dois homens foram flagrados no Bairro Bela Vista, em Leopoldina, com a roupa ainda suja de tinta prata, que se assemelha com as cores das botijas de gás. A dupla confessou participação no saque, foi presa e informou o endereço de um terceiro homem, de 42 anos, que teria comprado 15 botijas.

Os militares foram até o local e deram voz de prisão em flagrante ao suspeito pelo crime de receptação.

Além dos três, um quarto, de 25 anos, foi preso no mesmo dia em casa com 4 botijas.

Além dos botijões de gás, foram apreendidos os celulares dos envolvidos, além de certa quantia em dinheiro. Todos foram levados para a delegacia.

Botijão de gás apreendidos com saqueadores de carga em Cataguases — Foto: Polícia Militar/Divulgação
Botijão de gás apreendidos com saqueadores de carga em Cataguases — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Condutor socorrido com traumatismo craniano

Segundo Corpo de Bombeiros, no momento da chegada da corporação, o motorista estava fora do veículo inconsciente, com dificuldade para respirar, com sinais vitais alterados e traumatismo cranioencefálico. Ele ainda chegou a ser socorrido, mas morreu.

A perícia foi chamada para realizar levantamentos no local. A dinâmica do acidente não foi informada.

FONTE G1

MP denuncia grupo colombiano por furto de relíquia religiosa em Ouro Preto

Na última sexta-feira, 24 de novembro, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) formalizou denúncia contra quatro cidadãos colombianos no âmbito da Operação Relicário, em que dois homens e duas mulheres foram acusados de envolvimento no furto de um terço de ouro do Rosário Beneditino, peça valiosa pertencente ao acervo do Museu de Arte Sacra da Igreja do Pilar, em Ouro Preto.

A polícia descobriu que a relíquia foi levada de Ouro Preto, Minas Gerais, para São Paulo. Imagens obtidas com exclusividade e divulgadas pelo Jornal Nacional, revelam detalhes cruciais da ação criminosa.

As imagens mostram um casal embarcando na rodoviária de Belo Horizonte em 12 de novembro, um dia após o furto. De acordo com o Ministério Público, o Rosário de um metro e oitenta de comprimento estava enrolado no pescoço da mulher, identificada como Ingrid Lorena Ceron Rincon, de 20 anos, colombiana que já está presa. Seu comparsa, também colombiano, Miller Daniel Hortua Laverde, está foragido.

No dia do furto, o casal fornecia suporte aos outros dois colombianos, William Cardona Silva e Carol Viviana Pineda Rojas, que aparecem nas imagens. William Silva forçou a vitrine onde o Rosário estava, utilizando até uma chave de fenda para retirar a peça, entregando-a para Carol Rojas, que a guardou em uma bolsa.

Outras imagens mostram que dias antes, a dupla visitou joalherias na cidade histórica e esteve no museu na véspera do furto. O Ministério Público e as polícias Federal, Civil e Militar investigam o crime.

O Rosário beneditino tem elementos em ouro e faz parte do acervo tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O Ministério Público inseriu o objeto no site Sondar, um instrumento utilizado para divulgar bens esculturais desaparecidos em Minas Gerais, na esperança de obter informações da sociedade para localizá-lo rapidamente e, quem sabe, recuperá-lo para o local de onde nunca deveria ter saído.

AS APURAÇÕES DA OPERAÇÃO RELICÁRIO

Os quatro indivíduos, identificados como William Cardona Silva (também conhecido como Javier Hernando Abril Duque), Ingrid Lorena Ceron Rincon, Carol Viviana Pineda Rojas e Miller Daniel Hortua Laverde, foram denunciados com base nos artigos 155, § 4º, I, II e IV (furto qualificado), c/c art. 288 (associação criminosa), na forma do art. 69 (concurso material), todos do Código Penal.

De acordo com a matéria do Jornal Nacional, Ingrid Lorena Ceron Rincon já está presa.

O Ministério Público, fundamentando-se no art. 387, IV, do CPP, solicitou a fixação, na sentença condenatória, de um valor mínimo para reparação dos danos materiais e morais causados pelo furto. O montante requerido é de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para danos materiais e R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) para danos morais coletivos.

Os denunciados, todos colombianos, possuem antecedentes criminais em diversos estados brasileiros, incluindo Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Maranhão, Piauí, Rondônia, Tocantins e Ceará.

Detalhes da Operação: A denúncia foi assinada pelos promotores de Justiça Fernando Mota Machado Gomes, da 1ª Promotoria de Justiça de Ouro Preto; Marcelo Azevedo Maffra, coordenador Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais; e Marcos Paulo Souza Miranda, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Criminais (Caocrim).

No desdobramento da Operação Relicário, já haviam sido decretadas as prisões preventivas de Ingrid Lorena, William Cardona e Carol Viviana. Ingrid foi presa em 17 de novembro, enquanto William Cardona e Carol Viviana estão foragidos.

Junto à denúncia, foi requerida também a prisão preventiva de Miller Daniel e a transferência de Ingrid Lorena para um estabelecimento prisional em Minas Gerais.

Dinâmica do Crime: Segundo a investigação, os denunciados alugaram um veículo em São Paulo no dia 24 de outubro e, após coletar informações em Ouro Preto em 8 de novembro, retornaram à cidade no dia 10 com a intenção de furtar o terço de ouro.

Imagens de segurança mostram que, por volta das 13 horas do dia 10 de novembro, os denunciados adentraram o Museu de Arte Sacra da Igreja do Pilar, onde William Cardona, com destreza incomum, rompeu a trava do vidro de proteção e subtraiu o terço sem disparar o alarme. Carol Viviana prestou auxílio no crime, enquanto Ingrid Lorena percorreu o interior do museu para impedir a aproximação de testemunhas.

Miller Daniel, por sua vez, permaneceu fora do museu, vigilante, passando informações por mensagens para Ingrid e preparando o veículo para a fuga. Após o furto, os denunciados fugiram para Belo Horizonte e, posteriormente, para São Paulo, dificultando as investigações.

O material apreendido, incluindo aparelhos celulares e documentos, está sendo analisado pelo setor de perícias do MPMG. Os denunciados são acusados não apenas do furto em Ouro Preto, mas também de integrarem uma associação criminosa especializada em crimes contra o patrimônio em diversas regiões do Brasil.

FONTE JORNAL GALILÉ

MP denuncia grupo colombiano por furto de relíquia religiosa em Ouro Preto

Na última sexta-feira, 24 de novembro, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) formalizou denúncia contra quatro cidadãos colombianos no âmbito da Operação Relicário, em que dois homens e duas mulheres foram acusados de envolvimento no furto de um terço de ouro do Rosário Beneditino, peça valiosa pertencente ao acervo do Museu de Arte Sacra da Igreja do Pilar, em Ouro Preto.

A polícia descobriu que a relíquia foi levada de Ouro Preto, Minas Gerais, para São Paulo. Imagens obtidas com exclusividade e divulgadas pelo Jornal Nacional, revelam detalhes cruciais da ação criminosa.

As imagens mostram um casal embarcando na rodoviária de Belo Horizonte em 12 de novembro, um dia após o furto. De acordo com o Ministério Público, o Rosário de um metro e oitenta de comprimento estava enrolado no pescoço da mulher, identificada como Ingrid Lorena Ceron Rincon, de 20 anos, colombiana que já está presa. Seu comparsa, também colombiano, Miller Daniel Hortua Laverde, está foragido.

No dia do furto, o casal fornecia suporte aos outros dois colombianos, William Cardona Silva e Carol Viviana Pineda Rojas, que aparecem nas imagens. William Silva forçou a vitrine onde o Rosário estava, utilizando até uma chave de fenda para retirar a peça, entregando-a para Carol Rojas, que a guardou em uma bolsa.

Outras imagens mostram que dias antes, a dupla visitou joalherias na cidade histórica e esteve no museu na véspera do furto. O Ministério Público e as polícias Federal, Civil e Militar investigam o crime.

O Rosário beneditino tem elementos em ouro e faz parte do acervo tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O Ministério Público inseriu o objeto no site Sondar, um instrumento utilizado para divulgar bens esculturais desaparecidos em Minas Gerais, na esperança de obter informações da sociedade para localizá-lo rapidamente e, quem sabe, recuperá-lo para o local de onde nunca deveria ter saído.

AS APURAÇÕES DA OPERAÇÃO RELICÁRIO

Os quatro indivíduos, identificados como William Cardona Silva (também conhecido como Javier Hernando Abril Duque), Ingrid Lorena Ceron Rincon, Carol Viviana Pineda Rojas e Miller Daniel Hortua Laverde, foram denunciados com base nos artigos 155, § 4º, I, II e IV (furto qualificado), c/c art. 288 (associação criminosa), na forma do art. 69 (concurso material), todos do Código Penal.

De acordo com a matéria do Jornal Nacional, Ingrid Lorena Ceron Rincon já está presa.

O Ministério Público, fundamentando-se no art. 387, IV, do CPP, solicitou a fixação, na sentença condenatória, de um valor mínimo para reparação dos danos materiais e morais causados pelo furto. O montante requerido é de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para danos materiais e R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) para danos morais coletivos.

Os denunciados, todos colombianos, possuem antecedentes criminais em diversos estados brasileiros, incluindo Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Maranhão, Piauí, Rondônia, Tocantins e Ceará.

Detalhes da Operação: A denúncia foi assinada pelos promotores de Justiça Fernando Mota Machado Gomes, da 1ª Promotoria de Justiça de Ouro Preto; Marcelo Azevedo Maffra, coordenador Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais; e Marcos Paulo Souza Miranda, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Criminais (Caocrim).

No desdobramento da Operação Relicário, já haviam sido decretadas as prisões preventivas de Ingrid Lorena, William Cardona e Carol Viviana. Ingrid foi presa em 17 de novembro, enquanto William Cardona e Carol Viviana estão foragidos.

Junto à denúncia, foi requerida também a prisão preventiva de Miller Daniel e a transferência de Ingrid Lorena para um estabelecimento prisional em Minas Gerais.

Dinâmica do Crime: Segundo a investigação, os denunciados alugaram um veículo em São Paulo no dia 24 de outubro e, após coletar informações em Ouro Preto em 8 de novembro, retornaram à cidade no dia 10 com a intenção de furtar o terço de ouro.

Imagens de segurança mostram que, por volta das 13 horas do dia 10 de novembro, os denunciados adentraram o Museu de Arte Sacra da Igreja do Pilar, onde William Cardona, com destreza incomum, rompeu a trava do vidro de proteção e subtraiu o terço sem disparar o alarme. Carol Viviana prestou auxílio no crime, enquanto Ingrid Lorena percorreu o interior do museu para impedir a aproximação de testemunhas.

Miller Daniel, por sua vez, permaneceu fora do museu, vigilante, passando informações por mensagens para Ingrid e preparando o veículo para a fuga. Após o furto, os denunciados fugiram para Belo Horizonte e, posteriormente, para São Paulo, dificultando as investigações.

O material apreendido, incluindo aparelhos celulares e documentos, está sendo analisado pelo setor de perícias do MPMG. Os denunciados são acusados não apenas do furto em Ouro Preto, mas também de integrarem uma associação criminosa especializada em crimes contra o patrimônio em diversas regiões do Brasil.

FONTE JORNAL GALILÉ

Ladrão rouba igreja e é localizado dentro de sofá

No fim da tarde de terça-feira, 19 de setembro, a Polícia Militar foi acionada em uma igreja no centro de Santos Dumont(MG) onde uma mulher, 48 anos, relatou que se encontrava na janela do escritório da igreja e um homem pediu para entrar no tempo para tomar água. O pedido foi atendido e o homem entrou. A mulhe relatou que não viu o homem saindo da igreja, mas um tempo depois percebeu que dois aparelhos de som do interior do templo teriam sido furtados.

De posse das informações, a equipe PM iniciou diligências e conseguiu identificar um suspeito, um homem de 40 anos, morador do Bairro Fátima já conhecido no meio policial pela prática de diversos crimes. Os militares foram na residência e realizaram o cerco. A mãe do suspeito atendeu os militares e disse que o filho não estava e só liberaria a entrada da equipe na casa através de um mandado de busca e apreensão.

A PM conseguiu o mandado que foi entregue e lido para a mãe do suspeito. Após uma breve verificação, não foi verificada a presença do homem no interior do imóvel e nada de ilícito foi verificado. Mas uma cena chamou a atenção da equipe já que dois cães se posicionaram sobre o sofá, não permitindo a aproximação dos militares.

Foi solicitado então pelos militares que a moradora retirasse os cães de cima do sofá. Quando a equipe PM se aproximou, foi possível observar que o suspeito se encontrava escondido dentro do sofá, de onde foi retirado e abordado. Ao ser questionado sobre o motivo de estar se escondendo, o homem assumiu a prática do furto e disse que teria deixado os aparelhos de som sob os cuidados de um morador do mesmo bairro.

Os militares foram ao local e recuperaram os equipamentos. O autor foi preso em flagrante delito pelo cometimento da prática de furto consumado e encaminhado para a Delegacia de Polícia.

Ladrão rouba igreja e é localizado dentro de sofá

No fim da tarde de terça-feira, 19 de setembro, a Polícia Militar foi acionada em uma igreja no centro de Santos Dumont(MG) onde uma mulher, 48 anos, relatou que se encontrava na janela do escritório da igreja e um homem pediu para entrar no tempo para tomar água. O pedido foi atendido e o homem entrou. A mulhe relatou que não viu o homem saindo da igreja, mas um tempo depois percebeu que dois aparelhos de som do interior do templo teriam sido furtados.

De posse das informações, a equipe PM iniciou diligências e conseguiu identificar um suspeito, um homem de 40 anos, morador do Bairro Fátima já conhecido no meio policial pela prática de diversos crimes. Os militares foram na residência e realizaram o cerco. A mãe do suspeito atendeu os militares e disse que o filho não estava e só liberaria a entrada da equipe na casa através de um mandado de busca e apreensão.

A PM conseguiu o mandado que foi entregue e lido para a mãe do suspeito. Após uma breve verificação, não foi verificada a presença do homem no interior do imóvel e nada de ilícito foi verificado. Mas uma cena chamou a atenção da equipe já que dois cães se posicionaram sobre o sofá, não permitindo a aproximação dos militares.

Foi solicitado então pelos militares que a moradora retirasse os cães de cima do sofá. Quando a equipe PM se aproximou, foi possível observar que o suspeito se encontrava escondido dentro do sofá, de onde foi retirado e abordado. Ao ser questionado sobre o motivo de estar se escondendo, o homem assumiu a prática do furto e disse que teria deixado os aparelhos de som sob os cuidados de um morador do mesmo bairro.

Os militares foram ao local e recuperaram os equipamentos. O autor foi preso em flagrante delito pelo cometimento da prática de furto consumado e encaminhado para a Delegacia de Polícia.

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.