Queda de helicóptero em Capitólio acontece 2 anos depois de tragédia em Furnas

No mesmo mês, em 8 de janeiro de 2022, um talude se desprendeu dos cânions e matou dez pessoas

A queda do helicóptero com quatro pessoas no Lago de Furnas, em Capitólio, no Sul de Minas Gerais, nesta terça-feira (2 de janeiro), ocorreu dois anos depois de uma tragédia que chocou o Estado e todo o país. No mesmo mês, em 8 de janeiro de 2022, um talude se desprendeu dos cânions de Capitólio, atingiu três lanchas e matou dez pessoas. Outras 27 ficaram feridas.

Alguns meses depois, o inquérito da Polícia Civil concluiu pelo não indiciamento de nenhuma pessoa. Conforme os estudos feitos pela instituição, a queda do bloco de rocha foi ocasionada por fenômenos naturais, sem responsabilidade humana.

O local voltou a ser aberto quase três meses depois do acidente. Novas regras foram estabelecidas, como as embarcações manterem uma distância mínima dos paredões. Uma equipe de geólogos passou a avaliar, frequentemente, a estabilidade dos blocos.

Queda do helicóptero

Um helicóptero com quatro pessoas caiu na zona rural de Capitólio, na região Sul de Minas Gerais, nesta terça-feira (2 de janeiro).

Conforme o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu na estrada de acesso a Escarpas do Lago. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado para ajudar no socorro.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, três vítimas, inclusive o piloto, já foram retiradas da água e uma permanece submersa. O estado de saúde delas não foi divulgado.

FONTE O TEMPO

Mulher sofre queda durante prática de rapel e fratura tornozelo na Cachoeira do Índio, em Rio Acima

Ela sofreu uma queda que resultou em uma fratura exposta de tíbia e fíbula

Na tarde deste último domingo, 10 de dezembro, um acidente envolvendo uma mulher de 55 anos, que praticava de rapel, mobilizou a equipe de resgate para a Cachoeira do Índio, em Rio Acima, na região Central de Minas Gerais.

Segundo relatos, a mulher estava na companhia de amigos, quando escorregou nas pedras próximas à queda d’água durante a descida de rapel.

Foi constatado pelo Corpo de Bombeiros que a queda resultou em uma fratura exposta de tíbia e fíbula na região do tornozelo.

O resgate foi realizado pela equipe da aeronave Arcanjo, que prontamente se dirigiu ao local, que era de difícil acesso e prestou os primeiros socorros à vítima. Posteriormente, a mulher foi encaminhada para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, onde receberá atendimento médico especializado.

FONTE RADAR GERAL

Após operações, número de homicídios consumados caem mais de 70% na região de Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Zona da Mata divulgou hoje, 31 de outubro, uma redução de mais de 70% no número de homicídios consumados cuja causa se relaciona com ações de gangues, facções e disputa pelo tráfico de drogas na comarca de Visconde do Rio Branco, após a deflagração das operações Hidra de Lerna, Hera e Hércules.  

Segundo o promotor de justiça Breno Costa da Silva Coelho, as operações, que seguem em andamento, já proporcionaram o cumprimento de aproximadamente cem mandados de prisão e visam ao combate de facções criminosas ligadas ao tráfico interestadual de drogas e armas nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Os grupos criminosos, que também estão envolvidos em homicídios e ameaças às autoridades, possuem atuação nas cidades de Visconde do Rio Branco, Ubá, Viçosa, Juiz de Fora e Rio de Janeiro.

Participam dos trabalhos o Ministério Público de Minas Gerais, as Polícias Militar, Civil, Penal e Rodoviária Federal, entre outros órgãos integrantes da Segurança Pública dos estados de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Como decorrência do trabalho conjunto, dezenas de denunciados já foram condenados pelo Poder Judiciário.

Gaeco Visconde Rio Branco.png

FONTE MPMG

Após operações, número de homicídios consumados caem mais de 70% na região de Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Zona da Mata divulgou hoje, 31 de outubro, uma redução de mais de 70% no número de homicídios consumados cuja causa se relaciona com ações de gangues, facções e disputa pelo tráfico de drogas na comarca de Visconde do Rio Branco, após a deflagração das operações Hidra de Lerna, Hera e Hércules.  

Segundo o promotor de justiça Breno Costa da Silva Coelho, as operações, que seguem em andamento, já proporcionaram o cumprimento de aproximadamente cem mandados de prisão e visam ao combate de facções criminosas ligadas ao tráfico interestadual de drogas e armas nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Os grupos criminosos, que também estão envolvidos em homicídios e ameaças às autoridades, possuem atuação nas cidades de Visconde do Rio Branco, Ubá, Viçosa, Juiz de Fora e Rio de Janeiro.

Participam dos trabalhos o Ministério Público de Minas Gerais, as Polícias Militar, Civil, Penal e Rodoviária Federal, entre outros órgãos integrantes da Segurança Pública dos estados de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Como decorrência do trabalho conjunto, dezenas de denunciados já foram condenados pelo Poder Judiciário.

Gaeco Visconde Rio Branco.png

FONTE MPMG

Até R$ 100 mil mais baratos: elétricos e híbridos despencam de preço

Preço baixo do BYD Dolphin foi responsável pelas diversas reduções na tabela de modelos eletrificados, como o Kona EV, que já custa R$ 100 mil a menos

O dia 28 de junho de 2023 iniciou uma verdadeira reviravolta no mercado de automóveis do Brasil. Nesta data, a princípio, a BYD anunciou o preço do seu hatch elétrico Dolphin. Enquanto todos esperavam valores em torno de R$ 200 mil, a marca chinesa anunciou a novidade por nada mais que R$ 149.800. E, a princípio, não era valor promocional.

Isso, em síntese, gerou uma verdadeira corrida contra o tempo para reposicionar os preços dos principais players do mercado. Afinal, essa foi a única forma de tentar combater um concorrente com preço menor que o do Renault Kwid E-Tech, porém, com porte de Chevrolet Bolt (que, aliás, valia o dobro do preço). Nessa lista, a princípio, ainda tem o Volvo EX30, que surpreendeu ao anunciar – no começo de junho – preços por volta de R$ 230 mil, mesmo pertencendo a categoria de SUVs. Adicione aí, ademais, o ORA 03, outra surpresa, que parte de R$ 150 mil.

Dessa forma, o jeito foi derrubar os preços. Ou seja, as montadoras foram obrigadas a baixar os lucros para, assim, fisgar a clientela. De lá para cá, por exemplo, até o Mini Cooper S E baixou para R$ 199.990. Cabe lembrar, no entanto, que o preço original, de R$ 285 mil, já havia baixado para R$ 259.990, em agosto. Mas não é só ele, tem uma vasta lista que ficou mais em conta. Assim, o Jornal do Carro separou 15 exemplares.

Veja (abaixo) a lista e suas variações:

1) Hyundai Kona EV

Hyundai Kona EV
Diogo de Oliveira/Estadão

De R$ 289.990 por R$ 189.990 (-R$ 100 mil)

2) Mini Cooper S E

Mini Cooper elétrico
Cooper S E (Diogo de Oliveira/Estadão)

De R$ 285 mil por R$ 199.990 (-R$ 85.100)

3) Peugeot e-2008

preços
Peugeot ficou mais barato, entretanto, apenas em compra online (Peugeot/Divulgação)

De R$ 259.990 por R$ 199.990 (-R$ 60 mil)

4) Hyundai Ioniq Hybrid

preços
Ioniq (TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO)

De R$ 199.990 por R$ 149.990 (-R$ 50 mil)

5) Peugeot e-208

preços
e-208 (Peugeot/Divulgação)

De R$ 276.990 por R$ 235.990 (-R$ 41 mil)

6) BYD Song Plus

preços
Song Plus (Diogo de Oliveira/Estadão)

De R$ 269.990 por R$ 229.990 (-R$ 40 mil)

7) BYD Yuan Plus

BYD Yuan Plus
Yuan Plus (DIOGO DE OLIVEIRA/ESTADÃO)

De R$ 269.990 por R$ 229.990 (-R$ 40 mil)

8) Hyundai Kona Hybrid

preços
Kona Hybrid (Alex Silva/Estadão)

De R$ 209.990 por R$ 169.990 (-R$ 40 mil)

9) Seres 3 BEV

Seres
Seres 3 (Leo Souza/Estadão)

De R$ 239.990 por R$ 199.990 (-R$ 40 mil)

10) JAC iEV330P

preços
iEV330P (JAC/Divulgação)

De R$ 369.900 por R$ 334.900 (-R$ 35 mil)

11) Caoa Chery iCar

elétricos iCar carros
iCar (ALEX SILVA/ESTADAO)

De R$ 149.990 por R$ 119.990 (-R$ 30 mil)

12) JAC E-J7

preços
E-J7 (JAC/Divulgação)

De R$ 255.900 por R$ 234.900 (-R$ 21 mil)

13) JAC E-JS1

JAC e-JS1 elétrico mais barato
E-JS1 (JAC Motors/Divulgação)

De R$ 145.900 por R$ 126.900 (-R$ 19 mil)

14) JAC E-JS4

preços
E-JS4 (Vagner Aquino/Especial para o Estadão)

De R$ 242.900 por R$ 229.900 (-R$ 13 mil)

15) Renault Kwid E-Tech

elétrico
Kwid E-Tech (DIOGO DE OLIVEIRA/ESTADÃO)

De R$ 149.990 por R$ 139.990 (-R$ 10 mil)

FONTE JORNAL DO CARRO

Até R$ 100 mil mais baratos: elétricos e híbridos despencam de preço

Preço baixo do BYD Dolphin foi responsável pelas diversas reduções na tabela de modelos eletrificados, como o Kona EV, que já custa R$ 100 mil a menos

O dia 28 de junho de 2023 iniciou uma verdadeira reviravolta no mercado de automóveis do Brasil. Nesta data, a princípio, a BYD anunciou o preço do seu hatch elétrico Dolphin. Enquanto todos esperavam valores em torno de R$ 200 mil, a marca chinesa anunciou a novidade por nada mais que R$ 149.800. E, a princípio, não era valor promocional.

Isso, em síntese, gerou uma verdadeira corrida contra o tempo para reposicionar os preços dos principais players do mercado. Afinal, essa foi a única forma de tentar combater um concorrente com preço menor que o do Renault Kwid E-Tech, porém, com porte de Chevrolet Bolt (que, aliás, valia o dobro do preço). Nessa lista, a princípio, ainda tem o Volvo EX30, que surpreendeu ao anunciar – no começo de junho – preços por volta de R$ 230 mil, mesmo pertencendo a categoria de SUVs. Adicione aí, ademais, o ORA 03, outra surpresa, que parte de R$ 150 mil.

Dessa forma, o jeito foi derrubar os preços. Ou seja, as montadoras foram obrigadas a baixar os lucros para, assim, fisgar a clientela. De lá para cá, por exemplo, até o Mini Cooper S E baixou para R$ 199.990. Cabe lembrar, no entanto, que o preço original, de R$ 285 mil, já havia baixado para R$ 259.990, em agosto. Mas não é só ele, tem uma vasta lista que ficou mais em conta. Assim, o Jornal do Carro separou 15 exemplares.

Veja (abaixo) a lista e suas variações:

1) Hyundai Kona EV

Hyundai Kona EV
Diogo de Oliveira/Estadão

De R$ 289.990 por R$ 189.990 (-R$ 100 mil)

2) Mini Cooper S E

Mini Cooper elétrico
Cooper S E (Diogo de Oliveira/Estadão)

De R$ 285 mil por R$ 199.990 (-R$ 85.100)

3) Peugeot e-2008

preços
Peugeot ficou mais barato, entretanto, apenas em compra online (Peugeot/Divulgação)

De R$ 259.990 por R$ 199.990 (-R$ 60 mil)

4) Hyundai Ioniq Hybrid

preços
Ioniq (TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO)

De R$ 199.990 por R$ 149.990 (-R$ 50 mil)

5) Peugeot e-208

preços
e-208 (Peugeot/Divulgação)

De R$ 276.990 por R$ 235.990 (-R$ 41 mil)

6) BYD Song Plus

preços
Song Plus (Diogo de Oliveira/Estadão)

De R$ 269.990 por R$ 229.990 (-R$ 40 mil)

7) BYD Yuan Plus

BYD Yuan Plus
Yuan Plus (DIOGO DE OLIVEIRA/ESTADÃO)

De R$ 269.990 por R$ 229.990 (-R$ 40 mil)

8) Hyundai Kona Hybrid

preços
Kona Hybrid (Alex Silva/Estadão)

De R$ 209.990 por R$ 169.990 (-R$ 40 mil)

9) Seres 3 BEV

Seres
Seres 3 (Leo Souza/Estadão)

De R$ 239.990 por R$ 199.990 (-R$ 40 mil)

10) JAC iEV330P

preços
iEV330P (JAC/Divulgação)

De R$ 369.900 por R$ 334.900 (-R$ 35 mil)

11) Caoa Chery iCar

elétricos iCar carros
iCar (ALEX SILVA/ESTADAO)

De R$ 149.990 por R$ 119.990 (-R$ 30 mil)

12) JAC E-J7

preços
E-J7 (JAC/Divulgação)

De R$ 255.900 por R$ 234.900 (-R$ 21 mil)

13) JAC E-JS1

JAC e-JS1 elétrico mais barato
E-JS1 (JAC Motors/Divulgação)

De R$ 145.900 por R$ 126.900 (-R$ 19 mil)

14) JAC E-JS4

preços
E-JS4 (Vagner Aquino/Especial para o Estadão)

De R$ 242.900 por R$ 229.900 (-R$ 13 mil)

15) Renault Kwid E-Tech

elétrico
Kwid E-Tech (DIOGO DE OLIVEIRA/ESTADÃO)

De R$ 149.990 por R$ 139.990 (-R$ 10 mil)

FONTE JORNAL DO CARRO

Trechos com radares registram queda de 77% no número de acidentes em rodovias estaduais de Minas

Dados comprovam efetividade do controle eletrônico de velocidade na redução de mortes no trânsito

O índice de acidentes em trechos de rodovias estaduais onde foram instalados controle eletrônico de velocidade apresentou redução de 77% entre 2011 e 2022. Em números absolutos, a queda foi de 22 mil sinistros, em 2011, para 5 mil, em 2022, nos pontos sob responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG)

O número atesta o que os estudos já apontam há décadas: a redução da velocidade em pontos críticos das rodovias diminui drasticamente o número de vítimas graves e fatais no trânsito.  

“Por falta de informação, é comum ouvirmos reclamações sobre excessos de aparelhos nas vias, mas os números são categóricos e demonstram que não existe fundamento para o discurso de ‘indústria da multa’. Pelo contrário, os dados mostram que apenas 0,08% dos veículos que passam pelos radares são multados”, destaca o gerente de controle e segurança de tráfego do DER-MG, Beatriz Pinheiro. 

Beatriz Pinheiro / Crédito: DER/Divulgação

Números 

Dados compilados pelo DER-MG revelam que, nos locais onde há redutores de velocidade, os acidentes podem até acontecer, mas pelo fato de os veículos estarem em velocidades menores, a gravidade das ocorrências também diminui.  

Bernadete Amado

Na rodovia MG-235, km 75,20, em São Gotardo, no Triângulo Mineiro, os números surpreendem. No local, o número de acidentes caiu 100%, desde a implantação do radar, em novembro de 2022. Este dado demonstra a importância da gestão da velocidade como uma eficiente arma no combate à violência no trânsito, pela relação direta entre velocidade e a consequência dos sinistros, principalmente, no índice de mortos e feridos graves. O mesmo número é apontado na MG-455, km 41,70, em Andradas, Sul de Minas, ou seja, queda de 100%. 

No Norte do estado, o bom exemplo vem da MGC-122, km 136,25. O relatório do DER-MG apresenta uma redução de 83%, desde março de 2023, nas ocorrências de acidentes no local. 

Tecnologia 

O km 52 da rodovia MG-010, próximo à comunidade da Vilinha, em Jaboticatubas, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), é um bom exemplo de como a tecnologia pode ter um papel educativo importante na prevenção de acidentes. No local, o radar em operação há um ano, com velocidade regulamentada em 60 quilômetros por hora, foi responsável pela redução de 71% no total de acidentes naquele ponto. 

Gabriel Rodrigues, dono de um restaurante na comunidade situada à beira da rodovia onde residem mais de 200 pessoas, conta que nos 24 anos que ele está no local, já presenciou inúmeros acidentes e chegou a perder amigos atropelados. A situação só mudou após a instalação dos controles de velocidade.  

“Eu testemunho, diariamente, a importância deste equipamento. Depois que o DER-MG colocou os redutores de velocidade, diminuiu muito os acidentes. Mas o mais importante é o motorista ter consciência do seu papel”, destaca o comerciante.  

A mesma opinião é compartilhada por quem lida diretamente com trânsito e tem no controle de velocidade uma importante ferramenta de trabalho. É o caso do comandante do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (PMRv), tenente-coronel Aleixo Junior.  

Para ele, o medidor de velocidade eletrônico é um aliado da Polícia Militar, pois faz com que os motoristas obedeçam aos limites previstos em lei e tenham tempo hábil para tomar atitudes corretivas e preventivas na direção, evitando acidentes. 

Ferramenta 

A fiscalização eletrônica exerce muitas outras funções. Os softwares utilizados pelos radares são atualizados com frequência e os equipamentos já são capazes de realizar a leitura automática das placas. 

Além disso, por meio dos radares, são coletados dados de acordo com modo de transporte utilizado, quantidade de veículos que se deslocam de um local para outro, velocidade média dos veículos, tempo estimado de percurso, entre outras informações, fundamentais para o planejamento de melhorias e intervenções nas rodovias. 

Atualmente, o DER-MG tem em funcionamento 660 radares fixos e 62 pontos fiscalizados por 28 radares portáteis. Antes de entrar em operação definitiva, os equipamentos são aferidos pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) e constantemente monitorados e inspecionados. 

O departamento divulga em seu site a rodovia, o quilômetro, a cidade, a velocidade regulamentada, quando o radar operou em modo educativo, o início de sua operação no modo de autuação, além de outras informações complementares sobre os seus radares fixos e portáteis. 

DER Pela Vida 

Lançando em setembro último, e com previsão de um aporte de recursos da ordem de R$ 45 milhões para 2024, o programa “DER Pela Vida”, focado na melhoria da sinalização e implantação de dispositivos de segurança viária em diversos pontos da malha mineira. A ação visa a prevenção e redução de acidentes de trânsito nas estradas estaduais, sobretudo com a proximidade do período chuvoso.   

O programa é alicerçado em três pontos fundamentais: controle de velocidade eletrônica, intervenções em pontos críticos nas rodovias sob jurisdição do DER-MG e educação para o trânsito. Cerca de 200 projetos de intervenções em rodovias já estão prontos. Os trechos, conforme estudos técnicos, apontaram os pontos com riscos e/ou histórico de recorrência de acidentes.  Em 2025, serão os outros 130 projetos. Paralelamente, o Departamento vai elaborar mais 200 projetos para serem executados em 2026.  

FONTE AGÊNCIA MINAS

Trechos com radares registram queda de 77% no número de acidentes em rodovias estaduais de Minas

Dados comprovam efetividade do controle eletrônico de velocidade na redução de mortes no trânsito

O índice de acidentes em trechos de rodovias estaduais onde foram instalados controle eletrônico de velocidade apresentou redução de 77% entre 2011 e 2022. Em números absolutos, a queda foi de 22 mil sinistros, em 2011, para 5 mil, em 2022, nos pontos sob responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG)

O número atesta o que os estudos já apontam há décadas: a redução da velocidade em pontos críticos das rodovias diminui drasticamente o número de vítimas graves e fatais no trânsito.  

“Por falta de informação, é comum ouvirmos reclamações sobre excessos de aparelhos nas vias, mas os números são categóricos e demonstram que não existe fundamento para o discurso de ‘indústria da multa’. Pelo contrário, os dados mostram que apenas 0,08% dos veículos que passam pelos radares são multados”, destaca o gerente de controle e segurança de tráfego do DER-MG, Beatriz Pinheiro. 

Beatriz Pinheiro / Crédito: DER/Divulgação

Números 

Dados compilados pelo DER-MG revelam que, nos locais onde há redutores de velocidade, os acidentes podem até acontecer, mas pelo fato de os veículos estarem em velocidades menores, a gravidade das ocorrências também diminui.  

Bernadete Amado

Na rodovia MG-235, km 75,20, em São Gotardo, no Triângulo Mineiro, os números surpreendem. No local, o número de acidentes caiu 100%, desde a implantação do radar, em novembro de 2022. Este dado demonstra a importância da gestão da velocidade como uma eficiente arma no combate à violência no trânsito, pela relação direta entre velocidade e a consequência dos sinistros, principalmente, no índice de mortos e feridos graves. O mesmo número é apontado na MG-455, km 41,70, em Andradas, Sul de Minas, ou seja, queda de 100%. 

No Norte do estado, o bom exemplo vem da MGC-122, km 136,25. O relatório do DER-MG apresenta uma redução de 83%, desde março de 2023, nas ocorrências de acidentes no local. 

Tecnologia 

O km 52 da rodovia MG-010, próximo à comunidade da Vilinha, em Jaboticatubas, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), é um bom exemplo de como a tecnologia pode ter um papel educativo importante na prevenção de acidentes. No local, o radar em operação há um ano, com velocidade regulamentada em 60 quilômetros por hora, foi responsável pela redução de 71% no total de acidentes naquele ponto. 

Gabriel Rodrigues, dono de um restaurante na comunidade situada à beira da rodovia onde residem mais de 200 pessoas, conta que nos 24 anos que ele está no local, já presenciou inúmeros acidentes e chegou a perder amigos atropelados. A situação só mudou após a instalação dos controles de velocidade.  

“Eu testemunho, diariamente, a importância deste equipamento. Depois que o DER-MG colocou os redutores de velocidade, diminuiu muito os acidentes. Mas o mais importante é o motorista ter consciência do seu papel”, destaca o comerciante.  

A mesma opinião é compartilhada por quem lida diretamente com trânsito e tem no controle de velocidade uma importante ferramenta de trabalho. É o caso do comandante do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (PMRv), tenente-coronel Aleixo Junior.  

Para ele, o medidor de velocidade eletrônico é um aliado da Polícia Militar, pois faz com que os motoristas obedeçam aos limites previstos em lei e tenham tempo hábil para tomar atitudes corretivas e preventivas na direção, evitando acidentes. 

Ferramenta 

A fiscalização eletrônica exerce muitas outras funções. Os softwares utilizados pelos radares são atualizados com frequência e os equipamentos já são capazes de realizar a leitura automática das placas. 

Além disso, por meio dos radares, são coletados dados de acordo com modo de transporte utilizado, quantidade de veículos que se deslocam de um local para outro, velocidade média dos veículos, tempo estimado de percurso, entre outras informações, fundamentais para o planejamento de melhorias e intervenções nas rodovias. 

Atualmente, o DER-MG tem em funcionamento 660 radares fixos e 62 pontos fiscalizados por 28 radares portáteis. Antes de entrar em operação definitiva, os equipamentos são aferidos pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) e constantemente monitorados e inspecionados. 

O departamento divulga em seu site a rodovia, o quilômetro, a cidade, a velocidade regulamentada, quando o radar operou em modo educativo, o início de sua operação no modo de autuação, além de outras informações complementares sobre os seus radares fixos e portáteis. 

DER Pela Vida 

Lançando em setembro último, e com previsão de um aporte de recursos da ordem de R$ 45 milhões para 2024, o programa “DER Pela Vida”, focado na melhoria da sinalização e implantação de dispositivos de segurança viária em diversos pontos da malha mineira. A ação visa a prevenção e redução de acidentes de trânsito nas estradas estaduais, sobretudo com a proximidade do período chuvoso.   

O programa é alicerçado em três pontos fundamentais: controle de velocidade eletrônica, intervenções em pontos críticos nas rodovias sob jurisdição do DER-MG e educação para o trânsito. Cerca de 200 projetos de intervenções em rodovias já estão prontos. Os trechos, conforme estudos técnicos, apontaram os pontos com riscos e/ou histórico de recorrência de acidentes.  Em 2025, serão os outros 130 projetos. Paralelamente, o Departamento vai elaborar mais 200 projetos para serem executados em 2026.  

FONTE AGÊNCIA MINAS

Criança e adulto morrem após ônibus com mais de 50 ocupantes cair de ribanceira em MG

Acidente ocorreu na madrugada desta quinta-feira (5) no Anel Viário Norte de Uberlândia.

Um ônibus com 55 ocupantes caiu de uma ribanceira no Anel Viário Norte, em Uberlândia, na madrugada desta quinta-feira (5). Segundo o Corpo de Bombeiros, uma criança e um adulto morreram. As identidades ainda não foram divulgadas.

O acidente ocorreu pouco depois das 3h, próximo à saída para a BR-365. O veículo saiu do Piauí na última terça-feira (3) e seguia para São Paulo.

Inicialmente, a informação era de que havia 48 ocupantes no ônibus. No fim da manhã, os bombeiros atualizaram a contagem, e o número subiu para 55.

Ao todo, 44 vítimas com ferimentos foram levadas para as Unidades de Atendimento Integrado (UAI) dos bairros Pampulha, Tibery, Planalto e Roosevelt e para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). Algumas delas foram tiradas do meio das ferragens.

A concessionária Eco050, responsável pelo trecho, informou que a alça do viaduto está interditada para o atendimento à ocorrência. O trânsito flui por meio de um desvio.

g1 tentou contato com a Expresso Brasil Tur, responsável pelo ônibus, e aguarda retorno.

FONTE G1

Criança e adulto morrem após ônibus com mais de 50 ocupantes cair de ribanceira em MG

Acidente ocorreu na madrugada desta quinta-feira (5) no Anel Viário Norte de Uberlândia.

Um ônibus com 55 ocupantes caiu de uma ribanceira no Anel Viário Norte, em Uberlândia, na madrugada desta quinta-feira (5). Segundo o Corpo de Bombeiros, uma criança e um adulto morreram. As identidades ainda não foram divulgadas.

O acidente ocorreu pouco depois das 3h, próximo à saída para a BR-365. O veículo saiu do Piauí na última terça-feira (3) e seguia para São Paulo.

Inicialmente, a informação era de que havia 48 ocupantes no ônibus. No fim da manhã, os bombeiros atualizaram a contagem, e o número subiu para 55.

Ao todo, 44 vítimas com ferimentos foram levadas para as Unidades de Atendimento Integrado (UAI) dos bairros Pampulha, Tibery, Planalto e Roosevelt e para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). Algumas delas foram tiradas do meio das ferragens.

A concessionária Eco050, responsável pelo trecho, informou que a alça do viaduto está interditada para o atendimento à ocorrência. O trânsito flui por meio de um desvio.

g1 tentou contato com a Expresso Brasil Tur, responsável pelo ônibus, e aguarda retorno.

FONTE G1

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.