Cadastro Escolar 2024: prazo para matrícula na rede estadual termina nesta sexta-feira (12/1)

Confirmação da matrícula deve ser feita de forma presencial na secretaria da escola; é preciso se atentar ao horário de funcionamento da instituição

Atenção, pais, responsáveis ou estudantes maiores de 18 anos que realizaram o Cadastro Escolar 2024: termina nesta sexta-feira (12/1) o prazo para a confirmação das matrículas de estudantes na rede pública estadual de ensino. Para efetivação da matrícula é necessário comparecer à escola para a qual o aluno foi encaminhado e apresentar a documentação solicitada. A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) reforça que só estarão com a vaga garantida nas escolas estaduais aqueles que fizerem essa confirmação dentro do prazo. O ano letivo tem início no dia 5/2.

Para a efetivação da matrícula, pais, responsáveis ou os próprios estudantes maiores de 18 anos devem apresentar todos os documentos que constam na Resolução SEE nº 4.917/2023 e comprovar os dados informados no Cadastro Escolar 2024, realizado por meio do Sistema Único de Cadastro e Encaminhamento para Matrícula (Sucem). 

A confirmação da matrícula deve ser feita de forma presencial na secretaria da escola à qual o estudante foi encaminhado pelo Sucem. Confira para qual unidade foi encaminhado para confirmar a matrícula neste link.

“Chamo atenção de toda comunidade escolar quanto ao período de confirmação da matrícula, pois este é o segundo momento, após terem realizado o cadastro para 2024, pelo Sucem. Lembramos que os documentos informados no cadastro devem ser apresentados na unidade escolar à qual o estudante foi encaminhado para confirmar a matrícula e garantir a vaga”, explicou o subsecretário de Articulação Educacional, Gustavo Pedroso.  

Adesão Sucem

Em todo o estado, 714 municípios aderiram ao Sucem. Veja a lista com todos os municípios participantes neste link. Desta forma, por meio do zoneamento, o Sucem indica as escolas estaduais ou municipais mais próximas do endereço informado do candidato, de acordo com a etapa de ensino pretendida, durante o Cadastro Escolar.  

Rede municipal 

Já os estudantes que foram encaminhados para alguma escola da rede municipal de ensino, devem observar o calendário estabelecido por cada cidade e entrar em contato com a Secretaria Municipal de Educação para realizar a confirmação da matrícula. 

Vagas remanescentes

Os estudantes que perderam o prazo de inscrição entre os meses de outubro e novembro poderão tentar uma vaga novamente, no período de 22/1 a 2/2, pelo site do Cadastro Escolar. Nas vagas excedentes, o encaminhamento será realizado de acordo com a disponibilidade nas escolas da região ao endereço do estudante.

FONTE AGÊNCIA MINAS

Governo de Minas já investiu R$ 4,5 bi para fortalecer a infraestrutura da rede estadual de ensino 

Recursos foram aplicados em obras em 1,7 mil escolas, além de alimentação escolar, transporte, inovação e outras melhorias

Educação pública de qualidade é resultado também de investimentos em infraestrutura. Com o propósito de transformar a rede pública estadual de Minas Gerais em unidades mais modernas, acessíveis e bem cuidadas, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG), realizou investimentos recordes nos últimos anos. 

Em cinco anos de gestão, foram aplicados R$ 4,5 bilhões na melhoria da infraestrutura da rede estadual de ensino.

Entre as novidades foram realizados investimentos importantes para garantir mais segurança à comunidade escolar e ao patrimônio público, com R$ 70 milhões, em 2022 e 2023, para monitoramento e vigilância eletrônica. E para levar conectividade às unidades, foram investidos R$ 68 milhões no projeto Wi-Fi nas Escolas. 

Grande parte das escolas não passava por obras de reformas ou ampliação há anos e para transformar o que era um sonho da maioria dos estudantes e servidores foi necessário ousadia, muito trabalho e coragem para fazer. O subsecretário de Administração da SEE, José Roberto Avelar, faz um balanço das ações e considera que foram investimentos importantes e necessários. 

“Vivemos uma nova realidade. Existe um antes e um depois da rede estadual. A partir destes investimentos robustos que fizemos em diversos programas, como Mãos à Obra, por exemplo, conseguimos com muita responsabilidade e comprometimento fazer obras por todo o estado e transformar essa rede. Esse trabalho é resultado de uma gestão séria e que se preocupa com um ensino público de qualidade para atender aos nossos estudantes”, afirma. 

Mãos à obra  

O programa Mãos à Obra chegou à nona etapa neste ano. Realizou mais de 3 mil obras em cerca de 1,7 mil escolas da rede estadual. Essas obras foram executadas em  mais de 600 municípios. Para essas conquistas, a SEE/MG investiu quase R$ 1 bilhão em 2023.

O Mãos à Obra é um marco na educação de Minas. Responde pelo maior montante feito por uma gestão do Estado em infraestrutura de escolas, desde 2019, quando foi realizado o primeiro Diagnóstico de Infraestrutura de Rede, para levantar dados importantes na identificação das principais e mais urgentes reformas necessárias em cada prédio escolar. Ele proporcionou uma melhoria visível das condições dos prédios escolares. 

Manutenção e custeio 

E não parou por aí. Nestes cinco anos de governo, por meio do Programa de Manutenção e Custeio, 3,5 mil escolas foram atendidas, com investimentos de aproximadamente 1,4 bilhão para intervenções, reparos e manutenção dos prédios escolares. Só em 2023, aproximadamente R$ 368 milhões foram utilizados para a manutenção. 

Outra iniciativa que merece destaque é o valor mínimo para manutenção e custeio.  Criado em 2023,  estipulou uma média de recursos para que nenhuma escola recebesse menos de R$ 51 mil para manutenção, custeio e conservação. Esse é o valor para unidades com 300 alunos, ou seja, toda escola com menos de 300 alunos passou a receber, a partir deste novo critério, compensando o valor reduzido que resultaria do cálculo por per capita.

Este programa tem como finalidade garantir que as unidades tenham recursos em caixa para realizar pequenos reparos como a troca de torneira, porta, fazer a poda de árvore, capina do terreno, compra de gás de cozinha, pagamento de telefone, material de escritório e de informática, dentre outros. 

Itens obrigatórios

Além de cuidar da parte física, foi necessário trabalhar para levar às unidades da rede uma série de itens que são considerados de uso obrigatório, mas que grande parte das escolas ainda não contavam com eles. Para a aquisição foi realizado um levantamento que permitiu conhecer a necessidade de cada escola e definir que elas deveriam  ter,  no mínimo, uma unidade de cada item. 

Nesta ação, o Estado investiu mais de R$ 72 milhões, beneficiando cerca de 3.262 escolas. Os itens adquiridos foram balança antropométrica, bebedouro, cadeira de rodas, quadro branco, quadro de vidro, maca de transporte de paciente, mesa acessível para cadeirante e tanquinho para lavar cortinas e toda rouparia das escolas. 

Além disso, desde 2019 foi investido R$ 1,1 bilhão na compra de equipamentos diversos e na aquisição de mobiliário para sala de aula – conjuntos de carteiras escolares para alunos e professores, que estavam há muitos anos sem serem renovados.

Manual de Prédios Escolares 

A fim de orientar os gestores escolares e dar-lhes mais autonomia na gestão escolar, a SEE/MG criou e repassou às escolas estaduais o Manual de Prédios Escolares. O documento contém dicas importantes sobre manutenção preventiva e corretiva, vida útil de um imóvel, prazo de garantia,  o que compreende o período em que o construtor e/ou incorporador responde pela adequação do produto, quanto ao seu desempenho, dentro do uso que normalmente dele se espera. 

Instruções para elaboração do plano de manutenção preventiva, para que fossem feitos  reparos importantes nos equipamentos prediais, resolvendo possíveis defeitos e proporcionando, assim, uma durabilidade muito maior. O manual foi disponibilizado para as 3,5 mil unidades da rede estadual.  

Alimentação escolar 

Em cinco anos de gestão, a pasta investiu R$ 1,5 bilhão na melhoria da merenda escolar, e neste ano, foram mais de R$ 464 milhões. 

Em 2023, foi reestruturado o repasse da verba para aquisição dos alimentos nas escolas. A mudança passou a garantir mais recursos  para a merenda. Com isso, os estudantes passaram a ter acesso a uma alimentação saudável, equilibrada, com nutrientes importantes para o aprendizado. 

Essa melhoria é fruto também do valor mínimo de R$ 51,2 mil, instituído pela pasta, para o repasse de recursos às escolas estaduais para a aquisição de gêneros alimentícios, no âmbito do Programa Estadual de Alimentação Escolar.

Desta forma, independente da quantidade de estudantes matriculados e do cálculo que é feito seguindo o critério per capita/aluno, este passou a ser o valor mínimo destinado a cada escola.  

A partir da reestruturação, o valor per capita médio ano/aluno saltou de R$ 162,76 para R$ 189,60, representando um aumento de 16,49%. Isso gerou um impacto de R$ 65  milhões no orçamento da pasta, além dos recursos do Pnae, que é apenas um complemento, já que Minas Gerais investe duas vezes mais do que o Governo Federal no Programa de Alimentação Escolar. 

Transporte escolar

Para garantir o acesso e permanência dos estudantes da rede pública estadual, algo que é bem mais complexo para quem mora na zona rural, o Governo de Minas implementou em 2023 um novo modelo do Programa Estadual de Transporte Escolar e aumentou em cerca de 60% o valor de repasse aos municípios que fazem a gestão do serviço. O montante investido no transporte escolar, em 2023, ultrapassou R$ 800 milhões, representando aumento de 60% na comparação com 2022. 

Neste ano, cerca de 281 mil estudantes da rede estadual, residentes da área rural, foram  atendidos com o transporte escolar. O número tem como base os dados oficiais do Censo Escolar de 2022, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Governo Federal. 

FONTE AGÊNCIA MINAS

Rede Estadual oferece mais de 100 mil vagas em programa de reforço escolar

Aulas já começaram, mas estudantes público-alvo ainda podem participar da iniciativa disponibilizada em unidades de todo o estado

O Reforço Escolar se consolidou como importante estratégia para mitigar perdas de aprendizagem acumuladas ao longo da vida escolar dos estudantes e intensificadas no período da pandemia de covid-19. Nos últimos dois anos, mais de 150 mil alunos fizeram parte do programa e apresentaram melhorias expressivas no resultado das avaliações internas e externas. A aquisição de conhecimento propicia ao estudante mudança de postura e de comportamento que impacta positivamente em toda a escola. 

Em Uberlândia, na Escola Estadual José Zacharias Junqueira, a diretora Fátima Prado relatou que o programa traz muitos resultados para os estudantes, como melhoria no desempenho nas disciplinas e aumento da autoestima. Fátima destaca, ainda, que o resultado do Reforço Escolar no ano anterior foi tão positivo que houve aumento na adesão de mais turmas para 2023. 

“O Reforço Escolar é uma política pública muito interessante, efetiva e está sendo muito bem recebida pelos pais dos estudantes aqui da escola. Eles fizeram um compromisso conosco, de frequência dos alunos, e a gente tem visto isso no dia a dia escolar”, comenta Fátima, que ressalta que o apoio dos pais é fundamental para a realização do programa junto à escola. 

Emanuelly Mendanha, estudante da Escola Estadual José Zacharias Junqueira, relatou que ela e outros colegas, durante o período pandêmico, tiveram dificuldades na alfabetização devido à parada forçada das aulas presenciais. A mãe da estudante, Danielle Mendanha, diz que o Reforço Escolar foi muito importante para o desenvolvimento dos estudos da filha e até mesmo reavivou nela a vontade de ir às aulas novamente. 

Durante o período das aulas remotas, Emanuelly desenvolveu dores abdominais por medo de voltar às aulas presenciais, por causa das dificuldades que apresentou com as aulas remotas. “Além da melhoria da aprendizagem, com as aulas de reforço minha filha desenvolveu mais segurança, autoestima e vontade de ir para a escola”, relata Danielle. 

Programa 2023

Para o programa Reforço Escolar 2023 serão oferecidas mais de 100 mil vagas, em 4 mil turmas distribuídas em todo o estado e organizadas em três momentos. Os estudantes que fazem parte do público-alvo interessado em participar podem procurar a gestão da escola e solicitar inclusão nas vagas disponíveis. As aulas são destinadas aos estudantes matriculados a partir do 2º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio. 

A iniciativa oferece um trabalho pedagógico mais individualizado, focado nas necessidades de cada estudante. 

Além de oferecer metodologia de ensino mais dinâmica e interativa, o reforço inclui novas práticas pedagógicas e é focado em sanar algum ponto de dificuldade e aprimorar conhecimentos voltados para os componentes curriculares Língua Portuguesa, Matemática e alfabetização.

As aulas ocorrem em 4 horas semanais, organizadas no contraturno e sextos horários, sendo 2 horas/aula de Língua Portuguesa e 2 horas/aula de Matemática ou 4 horas/aula de alfabetização.

FONTE AGÊNCIA MINAS

Prazo para inscrição em vagas remanescentes da rede estadual de ensino termina nesta sexta (10/2)

Interessados em estudar em uma das 3.461 unidades de ensino devem ficar atentos também aos documentos necessários para a matrícula

Ainda dá tempo de garantir uma vaga na rede estadual para o ano letivo de 2023. As inscrições para as vagas remanescentes da rede pública estadual de Minas Gerais se encerram nesta sexta-feira (10/2). O candidato maior de 18 anos ou responsável pelo aluno menor de idade deve acessar o site do Cadastro Escolar: cadastroescolar.educacao.mg.gov.br, preencher o formulário de inscrição e selecionar o tipo de ensino, nível, etapa e turno que o aluno pretende estudar.

Ao acessar o sistema, será exibido quais as escolas que ainda possuem vagas dentro do zoneamento do candidato. Ao escolher uma escola, o encaminhamento é imediato e o candidato terá dois dias úteis para confirmar a matrícula, de forma presencial, na instituição escolhida, apresentando a documentação necessária. Vale lembrar que se o candidato não confirmar a matrícula dentro do prazo estabelecido a vaga será disponibilizada para outro candidato.

Cabe destacar ainda que após o encerramento das inscrições no Sistema Único de Cadastro e Encaminhamento para Matrícula (Sucem), o candidato terá até dia 14/2, próxima terça-feira, para confirmar a matrícula para a vaga escolhida no sistema.

Documentos exigidos

Depois de se inscrever o candidato precisa ficar atento aos documentos exigidos, listados abaixo. Eles devem ser apresentados pelos pais ou responsáveis ou pelo próprio aluno, quando maior de 18 anos, para  efetivação da matrícula.

1. Documento de Identidade ou, na sua ausência, Certidão de Nascimento/Casamento do aluno, original e cópia;

2. CPF do aluno, original e cópia, sendo obrigatória a apresentação se for maior de idade e facultativa se menor de idade;

3. Comprovante de residência, original e cópia, no nome de um dos pais/responsáveis ou do aluno, quando maior de idade;

4. Histórico Escolar ou Declaração de Transferência, com indicação do ano de escolaridade que o aluno está habilitado a cursar em 2022, ficando o documento original na escola;

5. Histórico Escolar ou Declaração de Conclusão do ensino médio ou parecer da Secretaria de Estado de Educação e publicação de Equivalência de Estudos, concluídos no exterior, ao ensino médio brasileiro, para o candidato/aluno que for ingressar no curso técnico na forma subsequente; ou

6. Histórico Escolar ou Declaração de Escolaridade, comprovando matrícula no ensino médio, para o aluno que for ingressar no curso técnico na forma concomitante.

7. A Secretaria Estadual de Educação (SEE-MG) esclarece também que para o aluno menor de idade é necessária, ainda, a apresentação de documento de identidade e do CPF, originais e cópias, de um dos pais ou responsáveis.

FONTE AGÊNCIA MINAS

Período de matrículas na rede estadual de ensino é prorrogado para 18/1

Data de inscrições para as vagas remanescentes também foi alterada e será a partir de 27/1

Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais anunciou, nesta quinta-feira (12/1), a prorrogação do período de matrículas dos estudantes que se cadastraram para uma vaga na rede pública de ensino em 2023. O prazo, que terminaria nesta sexta-feira (13/1), agora passou para a próxima quarta-feira (18/1).

Com isso, os pais e/ou responsáveis ou jovens maiores de 18 anos ganharam mais alguns dias para comparecer à escola para a qual o estudante foi encaminhado e efetivar a matrícula. As alterações no cronograma constam na Resolução SEE nº 4.814/2023, a ser publicada no Diário Oficial de Minas Gerais de 13/1.

Os inscritos no Sistema Único de Cadastro e Encaminhamento para Matrícula (Sucem) podem consultar a escola para a qual o estudante foi encaminhado acessando o site cadastroescolar.educacao.mg.gov.br.

O encaminhamento dos alunos inscritos no Sucem foi realizado de acordo com a disponibilidade de vagas por turno, o espaço físico de cada escola, o tipo de atendimento prestado e o nível de ensino oferecido, sempre respeitando os critérios de alocação e desempate na seguinte ordem de prioridade: I – aluno com deficiência; II – zoneamento; III – zona; IV – aluno com irmãos que frequentam a escola pretendida, respeitando-se o zoneamento; V – aluno já integrante da rede pública de ensino e VI – aluno com menor idade.

Documentação

Para a efetivação da matrícula, os pais/responsáveis ou o próprio aluno, quando maior de idade, deverão apresentar a seguinte documentação:

– Documento de Identidade ou, na sua ausência, Certidão de Nascimento/Casamento do aluno, original e cópia;

– CPF do aluno, original e cópia, sendo obrigatória a apresentação se for maior de idade e facultava se menor de idade;

– Comprovante de residência, original e cópia, no nome de um dos pais/responsáveis ou do aluno, quando maior de idade;

– Histórico Escolar ou Declaração de Transferência, com indicação do ano de escolaridade que o aluno está habilitado a cursar em 2023, ficando o documento original na escola;

– Histórico Escolar ou Declaração de Conclusão do Ensino Médio ou Parecer da Secretaria de Estado de Educação e publicação de Equivalência de Estudos, concluídos no exterior, ao ensino médio brasileiro, para o candidato/aluno que for ingressar no curso técnico na forma subsequente; 

– Histórico Escolar ou Declaração de Escolaridade, comprovando matrícula no ensino médio, para o aluno que for ingressar no curso técnico na forma concomitante;

– Para o aluno menor de idade é necessária, ainda, a apresentação de documento de identidade e do CPF, originais e cópias, de um dos pais/responsáveis.

Vagas remanescentes

Com a prorrogação do período de matrícula, o prazo para inscrição nas vagas remanescentes também foi alterado. Agora, o candidato que não fez o cadastro no Sucem dentro do prazo estabelecido deverá aguardar o período de vagas remanescentes, a partir do dia 27/1.

FONTE AGÊNCIA MINAS

Governo de Minas anuncia nova expansão do Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI) na rede estadual de ensino

Programa chegará a 720 escolas, de 407 cidades mineiras, em 2023. Entre as novidades anunciadas está o aumento de 50% da oferta do EMTI Profissional 

Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE/MG), anuncia uma nova expansão do Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI) nas escolas da rede estadual mineira. Não só o número de estudantes atendidos aumentará nessa modalidade de ensino como, também, a abrangência territorial: o EMTI chegará a 407 municípios em 2023 – atualmente são 338 cidades. Entre as novidades está o aumento de 50% na oferta do EMTI Profissional.  Com a expansão, ao todo 720 escolas estaduais passarão a disponibilizar o EMTI, com mais de 100 mil vagas. 

Atualmente, a modalidade está em 591 escolas da rede, com cerca de 61 mil alunos matriculados. Desse total, no próximo ano, 299 escolas serão de Ensino Médio em Tempo Integral Profissional, quando o estudante terá a oportunidade de concluir o ensino médio e um curso técnico ao mesmo tempo. O investimento previsto do Estado na expansão da modalidade em 2023 é de cerca de R$137 milhões, valor que considera despesas de pessoal, custeio e investimentos para o devido funcionamento do Ensino Médio em Tempo Integral.

Uma das pioneiras na política de implementação do EMTI na rede estadual, em 2019, a Escola Estadual Neusa Pimentel Barbosa, de Paracatu, no Noroeste de Minas, já colhe bons frutos. Segundo a diretora Ana Beatriz da Silva Oliveira, novas turmas serão abertas em 2023 devido à demanda da comunidade. 

“O EMTI oferece mais oportunidades aos alunos tanto na formação acadêmica quanto para a vida. Desenvolvemos a pedagogia da presença e todos se sentem envolvidos. A escola hoje é muito reconhecida em toda a cidade de Paracatu como sendo de excelência, de inclusão, de respeito, de acolhimento e formação profissional. Para este ano de 2022, nós tivemos até lista de espera de interessados em cursar o EMTI conosco”, conta a diretora. 

A EE Neusa Pimentel Barbosa conta hoje com 263 estudantes do Ensino Médio em Tempo Integral e Profissional com opção de curso técnico em Agropecuária e ainda cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) de  Agente Cultural e Assistente de Produção Cultural. 

A expansão na rede estadual visa atender a meta seis do Plano Nacional de Educação (PNE), que idealiza que a rede estadual de ensino ofereça educação em tempo integral em pelo menos 50% das escolas públicas e de forma a atender 25% dos alunos. “Essa expansão é de extrema importância porque possibilita que o estudante possa ficar mais tempo no ambiente escolar gerando maior aprendizado e, consequentemente, maior inserção no mercado de trabalho de forma mais efetiva. Esse aumento no número de vagas é motivo de muito orgulho”, destaca o secretário de Estado de Educação de Minas Gerais, Igor de Alvarenga. 

Desempenho superior

O Instituto Insper (Centro de Evidências da Educação Integral) estudou os impactos econômicos de médio e longo prazo de uma educação integral. A pesquisa apontou que estudantes dessa modalidade de ensino têm desempenho superior aos estudantes de escolas regulares. 

A diferença de desempenho pode chegar até 20 pontos em escala do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), ressalta a diretora da Educação Integral  e Profissional da SEE/MG, Andrea Botelho de Abreu. “Outro ponto positivo que o estudo aponta é que estudantes do ensino integral têm maior índice de conclusão do ensino médio e de acesso e conclusão do ensino superior e, consequentemente, remuneração maior do que os estudantes que se formaram em ensino médio parcial. Os benefícios tendem a ser ampliados em sua trajetória profissional”, explica Andrea.

Mais detalhes sobre o estudo do Instituto Insper podem ser acessados aqui

Vagas em 2023 

Os estudantes interessados em ingressar no Ensino Médio em Tempo Integral no ano que vem já podem realizar o cadastro para garantir uma vaga. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet, por meio do Sistema Único de Cadastro e Encaminhamento para a Matrícula (Sucem), até 30/11, no site cadastroecolar.educacao.mg.gov.br.

Para se inscrever, pais, responsáveis ou o aluno maior de idade devem acessar o site do Sucem e preencher os campos com o nome, data e local de nascimento, além do nome do pai, mãe ou responsável legal, entre outras informações. O candidato também deverá indicar qual é o tipo de ensino, nível e etapa que pretende cursar.

Para saber mais sobre o Ensino Médio em Tempo Integral acesse o site https://querointegral.org/mg/.

FONTE AGENCIA MINAS

Renovação de matrícula para 2021 na rede estadual será on-line em Minas Gerais.

A renovação da matrícula dos estudantes da rede pública estadual de Minas que pretendem permanecer na mesma escola estará aberta entre 9 e 30/10. Neste ano, de acordo com a Resolução SEE 4.421, publicada nesta quarta-feira (30/9), na página 24, do Diário Oficial do Estado, o processo será feito de forma on-line, sem necessidade de comparecimento à unidade de ensino.

A renovação de matrícula será formalizada pelos responsáveis ou pelo próprio aluno, quando maior de idade, no endereço www.renovacao.educacao.mg.gov.br. No caso dos estudantes que não têm acesso à internet, as famílias devem entrar em contato com a escola por telefone, aplicativo de mensagens ou outros meios disponíveis, dentro deste mesmo período. 

O aluno que já está matriculado, em 2020, na escola estadual, e que dará continuidade aos estudos em 2021, terá assegurado o direito de permanência na mesma unidade de ensino, desde que haja turmas previstas para o ano seguinte ou, nos casos de retenção, para o mesmo ano que cursou. Para quem pretende mudar de escola ou trocar de outra rede para a estadual, será preciso aguardar o cadastramento escolar, em novembro.

Os documentos que comprovam os dados informados na renovação de matrícula podem ser solicitados pela escola quando houver retorno às atividades presenciais. 

Processo

Para renovar a matrícula, pais/responsáveis ou o aluno com mais de 18 anos devem acessar o site renovacao.educacao.mg.gov.br entre 9 e 30/10. Será necessário inserir o número da matrícula no campo destinado ao login, e a data de nascimento com dia, mês e ano com os quatro dígitos (sem barras), no espaço destinado à senha.

Caso o estudante não tenha o número da matrícula, basta clicar na opção “recuperar número de matrícula do aluno”. Com isso, o sistema solicitará identificação da escola onde o aluno está matriculado, seu nome completo, data de nascimento e o nome da mãe ou do pai.

Ao concluir o procedimento, será disponibilizado o comprovante de renovação, que pode ser impresso ou salvo em formato PDF. (G37)

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.