Serro celebra 322 anos; confira cinco passeios imperdíveis na cidade histórica

De 27 a 29/2, destino na serra do Espinhaço promove Festival Degusta e entrega casarão centenário à comunidade; turista depara com muita história, natureza e queijos artesanais

Em 1702, os bandeirantes Antônio Soares Ferreira e João Soares – pai e filho – deram início à ocupação do Arraial do Ribeirão das Minas de Santo Antônio do Bom Retiro do Serro do Frio, também já chamado de Arraial das Lavras Velhas ou Minas do Serro do Frio. Esse é o primeiro registro encontrado no “Livro Primeiro de Receitas e Despesas da Fazenda Real” sobre o Serro. Em 29 de janeiro de 1714, o arraial foi elevado à categoria de vila, então denominada Vila do Príncipe.

No próximo dia 29, Serro comemora 322 de descobrimento e 310 anos de elevação à vila. As comemorações acontecem neste final de semana. Nos dias 27 (sábado) e 28 (domingo), acontece o Festival Degusta na praça João Pinheiro, com intervenções culturais, oficinas, arte, shows e gastronomia. O ponto alto é a apresentação da Orquestra Mineira de Viola no dia 28, às 20h.

No dia 29, uma missa de ação de graças na igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo comemora o aniversário da cidade. Logo depois, um cortejo embalado pela banda Santíssimo Sacramento caminha em direção à casa onde nasceu o Cônego Lafayette, o chamado “Santo Serrano”. O casarão onde nasceu o religioso, que passou por um processo de restauração, será entregue à comunidade.

Cinco programas imperdíveis no Serro:

1. Explorar as ruas e vielas da cidade

O cartão-postal do Serro é uma escadaria de pedra com a igreja de Santa Rita no topo, ladeada por casarios históricos. Do alto da colina, é possível ver toda a cidade e a praça João Pinheiro. Caminhar pela cidade, de preferência acompanhado de um guia de turismo, é a melhor forma de descobrir seus tesouros arquitetônicos, como as igrejas do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, Matriz Nossa Senhora da Conceição, de Nossa Senhora do Carmo e de Nossa Senhora do Rosário, o sobrado da Prefeitura Municipal, a Casa do Barão, Chácara do Barão do Serro e o Museu Regional Casa dos Ottoni. O tour pelo centro histórico pode ser contratado na Associação de Condutores Turísticos, no Centro de Atendimento ao Turista, pelo telefone (38) 3541-1998 ou pelo e-mail aconturserro@gmail.com. O espaço funciona de 8h às 17h, na rua Nagib Bahmed, no centro.

2. Visitar a Vila Fantasma do Carola

A 18 m do Serro, no sentido do distrito de Deputado Augusto Clementino, também denominado Vila Mato Grosso, pega-se a estrada em direção à serra do Carola (ou Caroula, como diziam os antigos moradores). No século XX, a fé de três homens católicos ergueu um santuário no alto do morro dedicado à Nossa Senhora das Dores. Para evitar a subida íngreme e cansativa durante os festejos da santa, devotos ergueram uma centena de casas em torno da capela, hoje totalmente desabitadas e só ocupadas durante o Jubileu, motivo pelo qual originou o nome “Vila Fantasma do Carola”. Atualmente, o local é ponto de peregrinação. Do alto da serra tem-se uma bela vista da região.

3. Bate e volta a São Gonçalo do Rio das Pedras

O tempo parece passar bem devagar em São Gonçalo do Rio das Pedras. O charmoso distrito do Serro preserva a atmosfera de uma vila do século XVIII, com seu conjunto arquitetônico colonial, com destaque para as igrejas de São Gonçalo e Nossa Senhora do Rosário. No entorno, são cinco cachoeiras: Grota Seca, do Comércio, Rapadura, Cadete, Retiro e Pacu, localizada no encontro do rio Jequitinhonha com o córrego São Gonçalo. O visitante pode apreciar a tapeçaria feita pelos artesãos locais e visitar a Casa de Doces, um empreendimento de mulheres quilombolas. Elas produzem doces no tacho e fogão à lenha, como as compotas de frutas típicas, além de geleias.

4. Bate e volta a Milho Verde

Boa parte das atrações de Milho Verde se concentra em suas capelas e cachoeiras, além da comunidade quilombola de Capivari. Duas das igrejas estão carregadas de história, a de Nossa Senhora do Rosário e a de Nossa Senhora dos Prazeres. A primeira já foi capa de um disco de Milton Nascimento. O interior tem belas imagens sacras e uma Pietá inacabada. Muito próximas de Milho Verde, estão as quedas d’água do Piolho, do Moinho, do Carijó (foto acima) e do Canelal, além da Prainha do Lajeado, todas acessíveis por trilhas e ótimas para banhos.

5. Visitar as fazendas produtoras do Queijo do Serro

O turismo de experiência está presente no Serro com a visitação às fazendas produtoras de queijo. Em 2011, a Associação dos Produtores Artesanais do Queijo Serro (APAQS) registrou a Indicação de Procedência (IP), e desde 2008 a iguaria é Patrimônio Imaterial de Minas. Com maturação mínima de 17 dias, o Queijo do Serro forma uma casca com crosta fina e amarelada, adquirindo um sabor acentuado e característico. Dos mais 60 produtores locais, ao menos cinco abrem as propriedades à visitação com agendamento prévio: as fazendas Engenho da Serra, Boa Vista, Bom Sucesso, Maria Nunes e Veludo. O visitante pode conhecer o processo de produção, participar de degustação e tomar café colonial com produtos locais. Além do tour guiado, propriedades, como a Fazenda Veludo, oferecem pernoite e atividades como passeio a cavalo e banho de piscina.

Serviço:

Como chegar:

De carro: 
a  partir de Belo Horizonte, pegue a MG-10, passando por Lagoa Santa, serra do Cipó e Conceição do Mato Dentro, até chegar ao Serro. A estrada tem trechos de terra, mas em boas condições. Pode-se ainda fazer o trajeto via Curvelo, pela BR-040, MG-135 e MG-259.
De ônibus: Pela Viação Serro.

Informações sobre turismo no Serro: acesse Serro.

Onde se hospedar:

Pousada Dona Tuca: 
diária a partir de R$ 130 por pessoa, com café da manhã.  Instagram / @pousadadonatucaserro
Pousada Mariana: diária a partir de R$ 170 por pessoa, com café da manhã. Praça Floriano Peixoto. Instagram /@pousadamarianaserro / (38) 98419-9413.]
Vila Verde Chalés: diária a partir de R$ 160 (1 pessoa), R$ 289 (o casal) e R$ 500 (chlé para 4 pessoas). Consulte os preços para duas ou mais diárias. Localizada em uma área rural, tem  estrutura com três chalés, piscina e churrasqueira. Instagram / @vilaverdechales.serro.mg / (31) 98818-0926.
Pousada de Queijo: diária a partir de R$ 140 pessoa, com café da manhã, estacionamento e Wi-Fi. Instagram / @pousadadoqueijo ou (38) 97400-9886

Onde comer:

Café da Praça: localizado na praça João Pinheiro, aos pés da escadaria da igreja Santa Rita, cartão-postal da cidade. A dica é experimentar a cumbuca de queijo (queijo do cedro em uma massa crocante, em formato de uma cumbuca, servido com caramelo salgado com castanhas, acompanhada de torradas) e o sorvete de queijo. Acesse Instagram / @cafedapracadoserro
Restaurante Vila do Príncipe: oferece salgados típicos da região, como o Capitão Vila do Príncipe (bolinho de mexido recheado dom Queijo do Serro, acompanhado de torresmo, molho de limão siciliano e cebola caramelizada), a carne de lata (acompanhada de tutu caipira, arroz, couve e ovo frito) e o PF Vila do Príncipe (arroz, tutu ou feijão tropeiro, batata frita, salada, ovo frito e/ou carne a escolha entre bife de boi, porco, frango ou nossa deliciosa linguiça caseira). Acesse Restaurante Vila do Príncipe.
Bar e Restaurante Zé de Lindolfo: culinária mineira no sistema de self-service. Acesse Instagram / @zelindolfo.serro

Onde comprar o Queijo do Serro:

Cooperativa dos Produtores Rurais do Serro: praça Ângelo Miranda, 26, centro. Cooper Serro.
Queijo do Cedro: escadaria Santa Rita, centro. Queijo do Cedro.
Trém-Ruá Grife do Queijo: rua São José, 422A, centro. Instagram / @grifedoqueijo

Fazendas no Serro abertas à visitação (sob agendamento):

Fazenda Engenho da Serra: a 15 km do Serro, oferece tour guiado sobre a origem do queijo, com possibilidade de tomar um café colonial. Contato: (38) 99968-0666.
Fazenda Boa Vista: a 5 km do Serro em estrada de terra (região do Lucas), oferece tour guiado sobre a origem do queijo, com possibilidade de um café colonial e adquirir os queijos na propriedade. Contato: (38) 99971-1223.
Fazenda Bom Sucesso: tour guiado sobre a origem do queijo com possibilidade de um café colonial e adquirir os queijos na propriedade. Contato: (38) 99971-1223. Acesse o site Serro do Queijo ou Instagram / @fazenda_bomsucesso
Fazenda Maria Nunes: a 21 km do Serro (17 km de asfalto e 3 km de terra), no sentido Santo Antônio do Itambé. Tour guiado sobre a origem do queijo com possibilidade de um café colonial e adquirir os queijos na propriedade, Contato: (38) 99848-9647.
Fazenda Veludo: a 14 km do Serro (3 km de terra), no sentido Alvorada de Minas. Tour guiado e venda de queijos na propriedade. É possível pernoitar na fazenda, com direito à café da manhã, vivenciando a experiência do turismo rural, acrescida de passeios a cavalo e banho de piscina, entre outras atividades. Contato: (38) 99903-6548.

FONTE O TEMPO

Serro: conheça a Terra do Queijo em Minas Gerais

O valor da tradição, a forma de fabricação e a importância do produto na economia familiar dos mineiros levou o IEPHA-MG a declarar o “QUEIJO DO SERRO” como primeiro Patrimônio Imaterial de Minas (primeira declaração deste tipo realizada no país, em 2002). Posteriormente, em 2008, o produto foi também declarado Patrimônio Cultural do Brasil, pelo IPHAN.

Ao redor do queijo foi se formando também uma lista de outras delícias que combinam com ele, como a marmelada, a goiabada, o vinho e a cachaça. E ainda há outras variedades de derivados do leite produzidos na cidade: meia cura, requeijão preto (moreno), manteiga, doce de leite, ricota, mussarela, queijo prato …

• COMO É O LEGÍTIMO QUEIJO DO SERRO

CARACTERÍSTICAS
Consistência: semiduro
Textura: compacta 
Cor: branca amarelada
Sabor: brando, ligeiramente ácido
Crosta: fina, sem trinca
Forma e Peso: cilindro de 13 a 15 cm de diâmetro.
Altura: 4 a 6 cm.
Peso: 700grs a 1 kg

• OS SEGREDOS DO QUEIJO DO SERRO

“O Serro é uma terra de gente simples, amante da natureza, da cultura e da culinária mineira, como o famoso queijo, produzido na região, que já vem com o selo da qualidade e da tradição”.

Serro é nome de queijo … e queijo é sinônimo de Serro. A cidade se orgulha de produzir o mais saboroso e conhecido produto mineiro: o famoso “Queijo do Serro” artesanal, tipo Minas. No estado ele é conhecido também como “queijo minas” (não é curado nem frescal). O motivo do diferenciado sabor, comparável aos melhores do mundo, ou ainda não está devidamente explicado, ou está guardado a sete chaves. Os antigos o creditavam ao capim gordura, excelente pastagem nativa da região, hoje quase desaparecida. Como permaneceu a mesma qualidade, atualmente alguns apontam a composição do solo (terreno calcáreo e úmido) e o clima, como os responsáveis pelo delicado sabor. 

A Fábrica de Laticínios local, pertencente ? Cooperativa de Produtores Rurais do Serro, é uma das poucas do estado que não se entregaram ao controle das grandes empresas, sobrevivendo por obra e graça dos próprios fazendeiros do Serro. Assim, os serranos se adaptam ? s mais modernas técnicas de produção, mantendo toda a originalidade do queijo Minas artesanal, “que se tenta, aqui e ali, inutilmente imitar”. 

São produzidas 40 toneladas/mês de queijo Minas artesanal, nas fazendas, e 80 toneladas/mês de queijo industrial, na Fábrica de Laticínios. É uma atividade cada dia mais ameaçada pelos crescentes investimentos nas grandes indústrias e pela ainda incipiente política governamental voltada para os pequenos produtores. Mas, com a vontade e a resistência que lhe é peculiar, o serrano prossegue mantendo a tradição de quase três séculos, que é passada de pai para filho.

• HISTÓRIA

Transportado antigamente em lombo de burro, pelas tropas, envolvidos por jacás de taquara ou em bruacas de couro cru, o “queijo do Serro em pouco passou a confundir-se com o queijo de Minas, criando um padrão novo na espécie que até hoje ocupa posição de destaque no comércio”. Durante o período colonial, tornou-se um produto estrategicamente utilizado nos garimpos de ouro e diamantes da região. Em 1772, uma circular do Governador de Minas, Conde de Valadares, ordenou que o Comandante das forças policiais do local instruísse os postos de fiscalização para “furarem os queijos que passassem pelos Registros, para exame”, a fim de evitar o contrabando de pedras preciosas.

Nas décadas de 1970-80, os serranos empreenderam uma importante migração, com o objetivo de ampliar o consumo e difundir o queijo e o pão-de-queijo mineiros. Neste período, foram abertas várias “casas de pão-de-queijo” em cidades-pólo do país, como Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória e Poços de Caldas. O pão-de-queijo, a partir de então, passou a ser conhecido nacionalmente, passando inclusive a denominar o estado como a “República do Pão-de-queijo”.

Atualmente, os queijos são acondicionados em modernos caminhões frigoríficos, com todo o rigor exigido pela legislação sanitária, mas sem perder os segredos que tornaram o seu sabor tão especial. O queijo do Serro, além de uma certa unanimidade entre os apreciadores e entendidos do assunto, tem recebido muitos elogios, ao longo da história, confirmando o produto também como embaixador do Brasil no exterior. Em 1997, o Presidente francês Jacques Chirac, teve a oportunidade de saborear o produto, durante visita oficial ao Brasil. No almoço do Palácio do Itamaraty, em meio a debates sobre o Mercosul e o turismo entre os dois países, a imprensa internacional noticiou que lhe serviram “queijo do Serro como sobremesa, junto com goiabada e doce de laranja”.

A ex-Deputada Sandra Starling contou recentemente sobre a sua alegria, vivida durante uma viagem a Roma, na Itália. Hospedando-se no Hotel Excelsior, um dos mais conceituados da Europa, em plena Via Veneto, teve a oportunidade de saborear, todos os dias, no café da manhã, uma fantástica bandeja de queijos, com as 7 melhores marcas do mundo. Entre eles, figuravam os conhecidos “Serra da Estrela” de Portugal, “Brie” da França, e o “Queijo do Serro”, como legítimo representante dos melhores queijos produzidos nas Américas.

• 7- OUTROS PRODUTOS LATICÍNIOS

Além do tipo Minas tradicional, a Fábrica de Laticínios da Cooperativa produz outras variedades: prato, meia cura, cobocó, fundido, ricota, mussarela em trança e em bolinha, além do doce de leite mole e em barra, manteiga e leite pasteurizado tipo C. Outra ótima opção oferecida pela cidade é o delicioso requeijão preto artesanal (de massa cozida), que pode ser encontrado em algumas casas, padarias e armazéns.

• 8- LINKS ESPECIAIS

QUEIJO DO SERRO, PATRIMÔNIO DO BRASIL

• Queijo Minas vira patrimônio do povo brasileiro
• Dossiê do Queijo Minas (junto ao IPHAN)
• Vídeo: Queijo Minas, Patrimônio do Brasil
• Queijo Minas patrimônio nacional (passo-a-passo)
• Queijo do Serro é patrimônio mineiro e brasileiro

QUEIJO DO SERRO, PATRIMÔNIO DE MINAS

• Queijo do Serro vira patrimônio de Minas
• Descrição da fabricação do Queijo do Serro
• Minas e queijo: uma obviedade

FESTA DO QUEIJO

A “Festa do Queijo”, que comemora o principal produto da cidade, é realizada anualmente, sempre na última semana de setembro

ONDE ENCONTRAR – QUEIJO E PRODUTOS LATICÍNIOS

EM SERRO: Para melhor organização e visualização, acesso o arquivo abaixo.

BELO HORIZONTE

– Cooperativa dos Produtores Rurais do Serro – CEASA, Queijos por atacado – Rodovia BR-040, s/n, km 688, Pavilhão U, loja 11, Contagem – MG; (31) 3394 2327.
– Mercado Central de BH, ? Av. Augusto de Lima, 744, centro. Melhor entrada para as queijarias: pelas ruas Curitiba ou Goitacazes.
– Queijaria Mineira UAI – Loja 124; tel: 31- 3274-9655.
– Lojas Dú Salim – Lojas 152 e 169; tel: 31- 3274-9508; www.queijariadusalim.com.brqueijariadusalim@yahoo.com; entrega a domicílio.
– Ponto do Queijo – Loja 296; tel: 31- 3274-9669.
– Trilha do Sabor Empório – Loja 134- tel: 31- 2516-1626; trilhadosaboremporio@hotmail.com
– Loja do Itamar – Loja 148; tel: (31)- 3274-9535; encontramos aqui o tradicional requeijão preto (moreno) do Serro.
– Para quem quer saborear o queijo na hora, com um cafezinho, recomendamos a Comercial Sabiá – Lojas 151 e 156; tel: 31- 3274-9491.


BRASÍLIA

– VITÓRIA Panificadora CLS 108, Bloco C, Loja 15 ou na QI 15 Lago Sul, lojas 17/43; tel. (61)- 3443-9309; www.vitoriapanificadora.com.br; contato@vitoriapanificadora.com.br 

Fotos: (Paulo Procópio e Maíra Buarque)

FONTE SERRO.MG

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.