Trocadores e motoristas podem entrar em greve em Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco

19
00onibuspresidente
Usuários criticam a má qualidade dos serviços prestados pela Viação Presidente

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Conselheiro Lafaiete (SINTTROCOL), que abrange também as cidades de Ouro Branco e Congonhas, lançaram ontem um manifesto público, pedindo apoio a campanha de aumento salarial da categoria e sensibilizando os usuários e a população. O panfleto está sendo distribuído pelas ruas das cidades.

O reajuste pleiteado pelos trabalhadores é pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), da data base, ou seja, 11,08% que é a reposição da inflação de 2015 em seus salários, além de ajuda alimentação e plano de saúde.

A proposta dos trabalhadores foi apresentada na 2ª reunião entre as duas partes no Ministério Público do Trabalho de Conselheiro Lafaiete.

Já os empresários do setor ofereceram menos de 5% de aumento salarial, desagradando a categoria. A proposta do SINCOL (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Conselheiro Lafaiete) foi submetida a apreciação dos trabalhadores  assembleia e rejeitada.

Diante do impasse os motoristas e cobradores já estão com indicativo de greve, dentro do prazo previsto por lei, mas ainda aguardam uma contraposta dos empresários. “Caso o sindicato patronal tenha interesse em rever sua posição antes da paralisação, os trabalhadores estão abertos às negociações”, diz a nota oficial.

Se o Sincol insistir na proposta, os trabalhadores vão para greve em Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco paralisando o transporte coletivo público. “Os transtornos são temporários, mas os benefícios para as categorias são para um ano”, afirma o SINTTROCOL.

 Imagens:Reprodução