Vallourec vai transferir unidades da França para MG e minimizar crise em Jeceaba

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Existe um plano em curso para, ao menos, minimizar os reflexos da crise do setor siderúrgico na cidade de Jeceaba, no interior de Minas, que abriga a nova fábrica de tubos em aço sem costura da Vallourec Tubos do Brasil.

Na edição de ontem do Hoje em Dia, matéria especial da repórter Tatiana Lagoa mostrou a decepção de comerciantes e moradores da cidade com o empreendimento, que prometia ser a redenção econômica da cidade. Hoje, por conta do baixo ritmo de produção da usina, a cidade convive com desemprego e fechamento de empresas comerciais e de serviços.

Em entrevista durante o Congresso Brasileiro do Aço, que aconteceu na semana passada em São Paulo, o presidente da Vallourec Tubos do Brasil, Alexandre de Campos Lyra, afirmou que o grupo controlador francês, a Vallourec, planeja fechar dois laminadores de tubos na França e transferir a produção para a usina de Jeceaba. Com isso, a unidade mineira se transformaria de fato em plataforma mundial de exportação do grupo, conforme seu planejamento original.

Valurec

Lyra não quis adiantar o que a transferência de produção significará em termos de volume, dada a volatilidade da demanda internacional por tubos. Mas disse que trabalha para que a transferência de produção esteja concluída no final de 2017. Atualmente, afirmou, os tubos produzidos em Jeceaba estão em fase de qualificação técnica e de qualidade na Europa. A partir da aprovação, a produção será paulatinamente transferida para Jeceaba.

Ele lembrou que isso não significará elevação abrupta da produção, já que o principal setor consumidor dos tubos produzidos em Jeceaba, o de petróleo e gás, atravessa uma das maiores crises mundiais de sua história, com o preço do barril achatado e congelamento de investimentos em todos os principais mercados.

“Os investimentos estão parados nos principais centros produtores: nos Estados Unidos, no Golfo do México, no Mar do Norte e também no pré-sal do Brasil. Mas temos alguma perspectiva no Oriente Médio, onde os investimentos são mantidos por empresas estatais ainda capitalizadas”, disse.

Lyra ainda disse que está mantido o plano do encerramento por completo da área de redução (altos-fornos) da unidade da Vallourec do Barreiro, em Belo Horizonte. Um dos altos-fornos da unidade já foi desligado no ano passado, e o outro será abafado em 2018. Toda a produção de gusa e aço será transferida para Jeceaba, e no Barreiro ficarão apenas duas linhas de laminação e as áreas de acabamento. O número de empregados na unidade, que hoje é de 3,2 mil, será reduzido em 250. “Mas não teremos demissões. Os cortes acontecerão naturalmente pelo turn over (aposentadorias e pedidos de demissão)”, afirmou.

Foto:Reprodução

Fonte:Hoje em dia

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *