Vereadores elogiam resultado do rotativo, mas levantam dúvidas e cobram explicações

10
Empresa instalou pontos móveis de venda de recarga e vai ampliar monitores nas ruas
Ruas vazias mostram resultado do rotativo, apesar das críticas/CORREIO DE MINAS

Em menos de 20 dias de funcionamento, os vereadores, na sessão do dia 4, levantaram diversas dúvidas nas quais os usuários vêm reclamando constantemente. Tanto que foi aprovado um requerimento, de autoria de Pedro Américo (PT), encaminhando a TI. MOB Tecnologia e Soluções, que gerencia o rotativo, como Departamento Municipal de Trânsito, cobrando informações. Américo questiona e cobra mais vagas reservadas as motos no rotativo.

O rotativo foi tema central dos debates na Câmara, porém os representantes elogiaram os resultados. “Acredito que 30% dos carros foram retirados das ruas”, comemorou. “Mas precisamos melhor e fazer alguns ajustes”, disse Gildo Dutra (PV).

Toninho do PT questionou porque não há vagas de motos para idosos. “Fiz este questionamento ao departamento de trânsito, mas não me responderam. Tenho mais de 60 anos e dirijo moto. Como faço pois tenho esse direito?”.

Vereadores cobraram eficiência e mais monitores nas ruas/CORREIO DE MINAS
Vereadores cobraram eficiência e mais monitores nas ruas/CORREIO DE MINAS

Toninho defendeu o direito do usuário de não ser obrigado a usar o aplicativo e sugeriu a utilização do talonário.

Outra dúvida também levantada foi em questão do fracionamento do horário. “A empresa diz que podemos usar, dentro das 2 horas de recarga, qualquer vaga de rotativo disponível. Se eu estou em uma vaga e saio, mas depois quero voltar a vaga original. Porém vejo que há um carro nela. Como faço?, indagou Sandro José (PRTB).

Outras críticas foram direcionadas aos números insuficientes de agentes para a venda da recarga como também divulgação dos pontos de vendas de recarga. “Eu mesmo outro dia tive que andar por diversos lugares para tentar achar uma agente. E olha que foi difícil, mas tinha vagas sobrando”, frisou Zezé do Salão (PMN). “Eu admito que não está havendo facilidade  na compra da recarga e empresa tem de melhorar imediatamente”, cobrou Gildo.

Um dos pontos mais defendidos pelos vereadores é que a prefeitura seja prudente e só inicie a cobrançae multas do rotativo após a empresa sanar todas as dúvidas dos usuários. “Eu vejo que a cobrança de multas para quem ultrapassar o limite de duas horas seja realmente realizada quando a empresa estiver com o rotativo funcionando 100%. Por enquanto isso ainda está distante”, posicionou-se Toninho do PT que prontamente foi defendido pelo seu colega Gildo Dutra.