Zelinho desabafa: “a falta de emprego angustia um prefeito”

17
Prefeito de Congonhas Zelinho/Foto:Arquivo
Zelinho discursa entre os prefeitos Mário Marcus (Lafaiete) e Celinho (Queluzito)/CORREIO DE MINAS

Em entrevista ao site e jornal CORREIO DE MINAS nesta manhã o prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro (PSDB), o Zelinho, frisou que desemprego é o principal fator que angustia um gestor público. Segundo ele, são mais de 6 mil desempregados na cidade. “A crise veio de uma vez e gente não estava preparado. Então hoje a falta de vagas é o principal problema enfrentado em Congonhas, o que antes não havia. Ao contrário havia demanda mas faltavam profissionais. Isso angustia um prefeito. Todos os dias recebo pelo menos 20 currículos”, comentou.

Segundo ele, este é o pior momento em que o país atravessa, somando-se à crise financeira a questão política. “O setor mais atingido é das empreiteiras”, comentou.

Desemprego

O desemprego foi um dos principais problemas criticados pelos prefeitos durante reunião da Amalpa, hoje pela manhã, dia 17, em Queluzito. “É muito triste ver um pai de família pedindo um emprego e a gente não poder fazer nada”, resumiu o prefeito de Queluzito, Célio Pereira. “De 50 pedidos que recebo diariamente mais de 90% são de empregos”, disse o prefeito de Ouro Branco, Hélio Campos (PSDB).

A reunião

Na reunião da Amalpa, o seu presidente, o prefeito de Lafaiete, Mário Marcus (DEM) voltou a reforçar a criação de setor de convênio para auxiliar as prefeitura na captação de recursos e comemorou o retorno a entidade de Congonhas, Ouro Branco, Entre Rios de Minas, Moeda, Ressaquinha e Caranaíba.

A próxima reunião da Amalpa acontece no dia 24 de março, em Ouro Branco.