13 de abril de 2024 20:20

Alerta geral: cidade da região confirma 2 casos da varíola dos macacos

Ouro Preto (MG) confirmou dois casos de varíola dos macacos nesta semana. O secretário municipal de Saúde, Leandro Moreira, confirmou a informação na tarde de sexta-feira (9), em contato com o Jornal Galilé e à Rádio Real FM.

“A Secretaria de Saúde informa que nesta semana tivemos dois casos confirmados da varíola do macaco, monkeypox. Trata-se de duas pessoas em estado estável, sem necessidade de internação, mas com sinais e sintomas que levaram a nossa equipe a investigar, fazendo os exames que confirmaram. Estamos fazendo o monitoramento e fazendo todas as orientações às pessoas envolvidas. Estamos em alerta. Não só Ouro Preto, como Mariana e Itabirito já confirmaram alguns casos. Então, faço o chamado à população em relação aos cuidados, principalmente em relação ao contato e aos riscos por aerossol e gotículas. É importante o uso de máscaras todas as vezes que tivermos pessoas com suspeitas, com alguma lesão de pele, antes de ter um contato com um profissional de saúde”, declarou Leandro Moreira.

O tratamento que é feito é nas lesões, já que não tem tratamento direto para a doença. O grande risco é se as pessoas forem imunocomprometidas. Se tiver algum déficit no sistema de defesa do organismo, é bem possível que haja complicações. Entretanto, não é uma doença de alta mortalidade, como foi a Covid-19.

No dia 20 de agosto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve em Ouro Preto para o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação e falou sobre a imunização contra a avaríola dos macacos. De acordo com ele, nenhum país do mundo tem um planejamento para a realização de uma campanha de vacinação em massa contra a doença, pois o número de vacinas disponíveis ainda são insuficientes para atender a demanda mundial.

“Quando houver vacinas em maior escala, nós vamos saber da eficácia dessas vacinas que foram feitas e se será necessário ampliar essa vacinação para um público maior. Temos que informar a população acerca das formas de contágio, isso está sendo feito. Recentemente, o Tribunal Superior Eleitoral autorizou uma campanha que o Ministério da Saúde irá veicular e estruturar a nossa rede de laboratórios. Quando foi identificado o primeiro caso na Inglaterra, em maio, nós já começamos a nossa estruturação. Hoje, há oito laboratórios públicos do Brasil que têm condição de fazer o diagnóstico. A iniciativa privada também já oferta esse diagnóstico. Uma vez que o indivíduo esteja com suspeita da doença, ele deve ficar isolado até que se tenha a confirmação do diagnóstico. Caso haja a confirmação, ele ficará isolado até a sua cura”, declarou Queiroga na oportunidade.

  • Fonte: Galilé

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade