18 de junho de 2024 21:41

Plano Municipal de Segurança de Barragens de Congonhas mobilizou 32 bairros

O treinamento testou a eficácia das rotas de fuga, pontos de encontro, sirenes e a participação da população sem dificuldade de locomoção que vive na Zona de Autossalvamento (ZAS).

O primeiro simulado de emergência do Plano Municipal de Segurança de Barragens (PMSB) de Congonhas, cidade da região central de Minas, mobilizou moradores de 32 bairros que se encontram na Zona de Autossalvamento (ZAS), na manhã deste domingo (16/4). A atividade prática foi coordenada pela Defesa Civil Municipal, com apoio das empresas CSN Mineração, Gerdau e Vale. A ação voltada para a comunidade tem a gestão feita pela Agência de Desenvolvimento Econômico e Social dos Inconfidentes e Alto Paraopeba (Adesiap)..

O Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), a Defesa Civil Estadual, o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar, a Guarda Municipal, além de outros órgãos públicos e privados, também acompanharam a atividade.

O secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Civil e Social, porta-voz do PMSB, Gláucio Ribeiro de Souza, ressalta que, “além de cumprir a legislação vigente, o simulado é uma ação preventiva. Ele contribui para promover a cultura de prevenção e preparar a população para possíveis cenários de emergência relacionados às estruturas de contenção de rejeito, sedimento e água, como também a inundações, desabamentos e incêndios”.

O secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Civil e Social, Gláucio Ribeiro de Souza atendeu a imprensa e esclareceu as ações do Plano Municipal de Segurança de Barragens, de Congonhas/MG. Foto: Carolina Lacerda

Durante coletiva de imprensa, Gláucio destacou que não houve alteração dos níveis de segurança das 16 barragens inscritas no Plano Municipal de Segurança de Barragens: “Todas elas passam por inspeções rotineiras de campo e são monitoradas permanentemente por uma série de instrumentos e são fiscalizadas por órgãos estaduais e federais”.

O simulado

Às 10h desse domingo, uma mensagem de voz avisou aos 10.593 habitantes que vivem na Zona de Autossalvamento, segundo cadastramento socioeconômico realizado pelo Plano Municipal de Segurança de Barragens, que a atividade seria um treinamento. Em seguida, ao ser acionado o toque real de sirene, 592 pessoas deslocaram-se pela rota de fuga mais próxima de sua localização até um dos 65 pontos de encontro. O cenário planejado pelo PMSB para este simulado foi o Nível 2 de emergência (classificação que indica que a estrutura precisa de reparos e exige a evacuação das Zonas de Autossalvamento), em que elas caminham calmamente até o local seguro.

População mobilizada foi acolhida nos pontos de encontro. Foto: Daniel Silva

Na chegada, a comunidade teve a presença registrada, respondendo a uma pesquisa de satisfação sobre as rotas de fuga, os pontos de encontro e a efetividade da comunicação, o que inclui o som emitido pelas sirenes. Apesar da participação ainda aquém do ideal, os organizadores do simulado de emergência de barragens apontam grande evolução em relação ao último simulado realizado em Congonhas, quando apenas 19 pessoas haviam participado.

Já 35 moradores da Zona Secundária de Salvamento (ZSS), região da cidade que não era objeto deste simulado de emergência, também se deslocaram para o treinamento. 

O simulado ocorreu de forma tranquila, sem nenhum registro de ocorrência. Não foram levantados casos de fake news relacionadas ao simulado de emergência de barragens, nem mesmo atendimento médico em decorrência da atividade.  

Em um dos bairros da cidade com maior participação nas reuniões públicas e no 1º Simulado de Emergência de Barragens, do PMSB, o Residencial Gualter Monteiro, participantes se disseram favoráveis o maior envolvimento popular em ações que elevem a segurança da população.

Como é o caso de Deise Gomes. “Fiquei sabendo do simulado de emergência pelas propagandas e o material [de divulgação e orientação sobre o treinamento preventivo] que recebi em casa. “Mesmo tendo problema no joelho e uma filhinha, saí caminhando até o lugar que informaram que é seguro. Por morarmos em área de risco, achei que mais gente iria participar. Este tipo de ação é muito importante, porque estamos falando de vidas, não é?”, destacou Deise.

Para Moacir Fortes da Silva, “é importante a simulação para a gente saber o caminho que vai seguir numa eventualidade. Andei por 5 minutos até chegar aqui no ponto de encontro”, disse o morador, que acrescenta: “A divulgação foi muito boa, foi comentado nas igrejas e nas rádios sobre o simulado. A estrutura para nos receber também me agradou, mas a população do bairro devia

Na avaliação do coordenador da Defesa Civil Municipal, Wagner Matosinhos, “houve uma grande evolução do último simulado coordenado pelo órgão de Congonhas para o deste domingo, em termos de participação popular, apesar de esta ainda estar aquém do esperado, e organização da atividade. Agora temos informações que irão nortear novas ações de aprimoramento do PMSB.  Iremos realizar uma reunião entre a Defesa Civil, outros órgãos públicos e as empresas para buscarmos estes aperfeiçoamentos, como, por exemplo, a maior conscientização população sobre o tema”.  

Posto de comando acompanhou toda a simulação do incidente . Foto: Carolina Lacerda

A atividade completa, incluindo a divulgação dos resultados aferidos em campo, durou cerca de uma hora e quarenta minutos.

O prefeito de Congonhas, Dr. Cláudio (Dinho) afirmou que “Congonhas tem a honra de ser o primeiro município do Brasil a realizar um simulado integrado de emergência de barragens. Isto graças a um posicionamento dos órgãos públicos e das empresas em torno da criação de um plano único de segurança de barragens. Agora temos de envolver a população, já que a segurança dela é o que mais importa. Estamos implantando uma cultura de prevenção, o que se consegue gradualmente. O importante é que os números demonstram uma evolução neste sentido. Permaneci no Posto de Comando, durante o Simulado de Emergência de Barragens, e percebi que cada equipe envolvida no treinamento sabe o que fazer em um plano de evacuação, isso nos passa segurança”.

Reunião após a simulação avaliou os resultados da atividade . Foto: Carolina Lacerda

Chefe do Gabinete Militar do Governador e Coordenador Estadual de Defesa Civil, o Coronel PM Carlos Frederico Otoni Garcia acompanhou toda a atividade de perto. “Não estamos hoje (domingo) aqui por conta de barragens, mas sim em virtude da nossa responsabilidade, que antecede a qualquer fator de risco. É desta responsabilidade que advêm todas as nossas ações, principalmente as de cunho preventivo. Parabenizo, portanto, em nome do Governo de Minas, à Prefeitura e aos empreendedores por este exercício simulado, que reforça a ação preventiva. É importante que a comunidade também participe para se inteirar das informações. E a Defesa Civil Estadual é um instrumento facilitador para envolver órgãos públicos na prevenção ou ação de resposta em possíveis situações de desastre civil”, reforçou o coronel Carlos Frederico.

Resultados

O Centro de Comando e Operações da Defesa Civil fará um relatório que analisará todas as ações de desdobramentos do Simulado. Este será avaliado por uma Auditoria Externa e, posteriormente, submetido aos órgãos reguladores e fiscalizadores, que tomam as decisões cabíveis. 

Comando do simulado analisou minuciosamente todos os desdobramentos do exercício integrado. Foto: Carolina Lacerda

O PMSB está em evolução constante e o Simulado de Emergência de Barragens é uma grande oportunidade de se verificar novas oportunidades de aperfeiçoamento do Plano de Contingenciamento Integrado e seu Plano de Evacuação.

Para mais informações, fale com a Defesa Civil Municipal pelos telefones 199 e 3731-4133 e acesso o site: pmsbcongonhas.com.br

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade